Por que eu acredito no vintage...


Durante esse inverno parisiense cheguei a passar dias repetindo o mesmo look por falta de opções no vestir. Andei de loja em loja para comprar algo que gostasse, mas na verdade, não achei nada que me enchesse os olhos. Minha vida tem sido de idas e vindas nos últimos nove anos, mas depois de 2014, resolvi ficar definitivamente na Europa, o que me fez não ter muita noção na hora que arrumei as malas para vir para Paris, em setembro do ano passado. O resultado foi um closet escasso de roupas de frio e uma imensa vontade de resgatar peças que tenho, mas que fica complicado trazer pelo correio. Motivos óbvios. Enviar roupas é uma incerta. Podem chegar ou não. Aliás, eu não entendo qual o motivo de ser tão complicado, mas é. Custa uma fortuna e já aconteceu de eu ter roupas e outros objetos extraviados. Então tive que entrar no "mode avion". Economizei misturas, esqueci os saltos, os casacos com estampas e eliminei as cores. Tenho me vestido basicamente de cinza, jeans e preto, mas confesso que sinto falta de um toque diferente. Não precisa ser nada espalhafatoso, nada muito colorido, mas algo que me faça sentir um pouco menos sem graça. E é aí que entra a vontade de vintage. Quando lembro de peças, roupas ou acessórios que funcionaram uma época, tenho vontade de resgatá-los no tempo e voltar a usar. Exemplos? Um casaco verde militar com capuz que vejo em cada canto de Paris (esqueci em Curitiba) e que, em Berlim ( onde passei alguns dias em janeiro), é uma peça conhecida como 'berlinense'. Lá eles usam tanto que existem os modelos de verão, sem as peles e revestimentos pesados e os cheios de revestimentos para proteger no frio que não é pouco.  Segundo: os casacos de pele. Volto a defendê-los. Os de época, que já existem, que você herdou, que não vão deteriorar o planeta com os terríveis tratamentos químicos que as roupas em geral sofrem hoje. Uma amiga trouxe o meu, herdado da minha tia, para Paris. Hoje, com temperaturas negativas, vou sair com ele. Misturado com tênis e jeans e ainda uma toca simples de lã, crio um novo estilo vintage, sem gastar e sem perder a graça que sinto tanta falta. O bom do vintage é poder ir bem além do que um casaco. Podemos nos inspirar em penteados, comprar óculos como o da foto ou os lindos brincos... Tudo ganha uma vida nova com um toque do passado num presente tão massacrado por fórmulas e com preços abusivos. É isso. Qual o seu tema preferido para vestir? Tem alguma fantasia? Amanhã vou abordar esse tema na minha coluna do Donna. Passa por aqui que darei o link de lá.
Vou para rua viver...

Som???

Vou descobrindo dia a dia coisas novas e outras nem tanto. O espírito de me lançar em frente é que me move. O lema é: a cada dia ter algo novo, seja uma ideia de som, livro, roupa, viagem e muitas ideias de como levar a vida numa boa. É a minha vibe:








Bisous
A+


3 comentários:

Urban Decontruct disse...

Adorei o post, beijinhos :)

Dá uma espreitadela no nosso blog de moda: www.urbandeconstruct.blogspot.pt

Anônimo disse...

aamo minhas coisinhas de sempre misturadas ao novo. Da um toque de personalidade no look! Vai buscando aos poucos e vai refazendo seu acervo aí. Bjss Patricia Dias

By Alcione disse...

A Uma é linda mesmo com o passar do tempo!!!

LinkWithin

Posts relacionados