Em defesa de Uma Thurman...


Fiz esse portrait snap-shot da Uma Thurman ano passado aqui em Paris, ou mesmo, ano retrasado. Ela chegava ao desfile da Versace Couture. Era fim do dia. Luz natural. Eu fazia a cobertura para a Vogue Brasil. Eram minhas fotos habituais. Percebi a presença das vivências e do tempo nas feições de Uma, mas isso não me deixou apavorada. Pensei em como ela continuava bela, mesmo com algumas marcas naturais que todos temos com a passagem dos anos. Disfarçar, muitas vezes, é ressaltar o tempo. Isso eu já percebi e faz tempo. Ontem, Uma foi assunto nas mídias. Foi julgada fortemente ao aparecer transformada em um evento, em Nova York. A imprensa e os críticos de tudo levaram a mudança visual, provocada por uma cirurgia de pálpebras e a aplicação de Botox ( sem esquecer que o Botox dura de 3 a 6 meses. Não é um procedimento irreversível) como algo terrível. Terrível, por quê? Certo que ela sempre foi e continuava linda, mas ela tem o direito de fazer o que quiser com seu rosto, seu corpo, sua vida. A liberdade é um exercício pleno. Uma não ofende ninguém e nem maltrata a humanidade ao corrigir erros que, para ela, podem ser insuportáveis. Quem sabe, as bolsas dos olhos a tiraram a vontade de se olhar no espelho? Quem sabe a retiraram de um papel ao qual sempre sonhou por estar um pouco além da idade? Ninguém sabe o que nós mulheres sofremos por sermos mulheres. Não falo nem de idade, pois esse é um assunto mais forte nos Estados Unidos e na América Latina, onde apenas os jovens são tratados como sexys, belos e em condições de viver a vida plenamente.  Falo em sermos, desde sempre, relegadas a função objeto. Quando se elogia alguém fala-se da beleza física, nunca na inteligência. Privilegia-se a aparência ao conhecimento. Desfaz-se de pessoas que já tem mais idade. Por sorte, o momento resgata um pouco o respeito a beleza madura, mas não acredito que essa moda vai durar. O efêmero vende mais que a permanência e o mercado precisa sempre de algo novo, mesma que seja velho, como é o caso das inúmeras novas Brigittes, Giseles, Kates...Enfim, finalizando a Uma. Deixem-as em paz. Elas sabem o que fazem. Ganham para isso. Precisava? Não gosta? Não faça você. Você tem a liberdade a seu favor. 

Bisous
A+

Um comentário:

PLOBAO@GMAIL.COM disse...

CORRETISSSIMA VOCÊ !!! BEIJOS

LinkWithin

Posts relacionados