Paris Fashion Week AW14/15: Alessandro Dell'Acqua para Rochas



Foi um deslumbre o desfile de estreia de Alessandro Dell'Acqua na direção criativa da Rochas. Com pedrarias, máxi casacos, luvas coloridas ou também bordadas e tecidos em alto relevo, motivos que me lembravam os anos 60', mas na verdade tudo é muito 2014. A proporção da roupa, nada de mostrar muito o corpo, mas mostra-se! É um hi-low pesado e requintado.


Um post relâmpago; Amanhã têm links para os lugares onde colaboro nessa temporada. E como sempre lá no site da Vogue Brasil.

Bisous,
A+

Sobre: Carine Roitfeld & Gaia Repossi

Vendo as imagens do street style de Nova York e Londres, comento com amigos via WhatsApp algumas imagens de fashionistas fotografados nas portas de desfiles. "Está tudo errado", diz um interlocutor. "Onde foi parar a elegância e o bom senso?", "Cadê a Carine Roitfeld?"...


Bem, aqui está ela linda e sóbria no dia do desfile da Dior Couture Summer 2014, no Museu Rodin. 
Não que seja feio ou fora de moda produções ousadas. Esse é um post para falar que existe, sim, uma turma que usa roupas de labels e sabe ser envolvente usando tudo preto. E também para falar que essa pegada de roupas fechadas, bem sóbrias, ao estilo claustro estão vindo com tudo! Pense em camisa com gola padre, capas como a da Carine, saias longas. Pense em rigidez... Tem esse mood no ar.

Outra pegada? 


Gaia Repossi

Simples. Detalhe, a bolsa Céline. Discreta, causal, prática, que mais você precisa para entrar nessa onda que it girls, como Gaia Repossi, encabeçam? Tem exageros, a gente sabe, mas segurar a mão e fazer uso do famoso luxe cachée é também uma boa maneira de ser vanguardista e causar - como a gente fala na linguagem popular.



E tem gente fazendo arte na moda com seu corpo como instrumento.
Também é lindo ver. Rosto-alegoria.

É isso! 


Som???

Vamos de filme Dior. Lady Dior: também bolsa cinza.

Quer arrasar no modelo? Então ensaia uma diva, como a Marion Cotillard nessa obra prima feita para vender a bolsa concebida um dia para agradar Lady Diana... Todos sabem a história, né? Contei algumas vezes aqui no blog. "A bolsa foi feita para presentear Diana em uma passagem oficial dela pela França. Por isso o nome Lady. O modelo já existia, mas foi confeccionado no tamanho que aparece no filme especialmente para ela. E assim nascia o nome para o mito que é hoje uma Lady em todas as suas versões".

Veja o filme, se é que ainda não viu. Vale sempre rever e absorver a fusão entre elegância, sensualidade, amor e arte. O comercial? Na loja, meu bem. Quando você passar o cartão e pagar o sonho que Cottilard vende aqui:




Bisous,
A+

Especial Valentine's Day + Street style

Saindo do Paul Smith, no final de janeiro, encontrei essa dupla.

No dia 14 de fevereiro, é Dia dos Namorados aqui na França, EUA e onde mais? Diferente no Brasil, ser o VALENTINE de alguém pode ser um amigo, uma amiga, enfim uma boa companhia. Eu, além de ter amado esses looks e olhares, amei também a postura de amigos que existe nos rostos deles. Não interessa se são relacionamentos sérios, enrolado ou whatever (interessa a quem isso? Relações deveriam ser mais privadas, mais romântico. Mistério...). O que importa é a sincronicidade e o momento. O elemento magia é o que vale em tudo. Para mim, isso é regra até na moda. Aqui tem isso... Magia na estampa, nos acessórios, nos olhares...





Guardei tanto essa foto da Kate Bosworth ou Catherine Ann «Kate» Bosworth no dia do desfile da Dior Couture. Boy magia é isso. Ela esquece tudo. É dele naquele momento. A roupa? Ela nem deve saber o que veste. Magnetizada. Linda. Poderia estar de tee e jeans, olharia para ele do mesmo jeito. O tempo parou ali. Paixão! 


É isso! Quando alguém segura forte na sua mão, você pode olhar para onde quiser. Ele está ali, a seu lado, nem que seja por instantes. Curta o seu Valentine com quem der a mão de amor incondicional para você. Nem que seja um frame. Lembrando o poeta "eterno posto que é chama, infinito enquanto dure".


Um som? Um filme? Alguns para comemorar o Valentine's Day ou para simplesmente sentir o amor:




A cena mais linda:







Umas músicas:










O filme para cair na real sobre a hipocrisia que envolve o amor




Mais músicas...






E em francês...



Amo!



Bisous,
A+

Uma cinderela russa


A it-girl russa Elena Perminova não é simplesmente uma mulher linda que resolveu dar pinta na porta dos desfiles para ficar famosa. Seu amor pela moda a moveu a fazer isso, mas, na verdade, sua condição de vida é bem mais instigante do que os looks incríveis desfilados por ela em Paris. Por trás desta loira de pernas longas, existe uma história parecida com a da Gata Borralheira. Literalmente. Per­minova é mulher do bilionário russo Alexander Lebedev, com quem tem dois filhos – Nikita e Igor – e espera um terceiro. Até aqui tudo normal. Uma linda e jovem mulher com um bilionário (charmoso) alguns anos mais velho. O inesperado é: como esta garota, que um dia foi presa e quase morta por vender drogas em uma boate russa, acabou virando a mulher de um dos homens mais ricos do mundo? Segundo a revista Forbes, Lebedev é dono, dentre outras coisas, de uma sé­rie de jornais na Rússia e na In­­glaterra e tem uma fortuna estimada em mais de 2 bilhões de dólares. A história da garota e do bilionário aconteceu assim. Para ter sua prisão relaxada, contava o que sabia para a polícia e ficava à mercê de um revide. Foi aí que recebeu ajuda do então deputado Le­­bedev. Desse encontro, surgiu a paixão. Ela com 16 anos e ele 43. De lá para cá, ficaram juntos e hoje ela aparece não apenas nos sites de street style, como em editoriais imensos de revistas. Só para resumir o conto de fadas. Tem bem mais que isso. Elena acaba de ganhar um castelo onde vive com os filhos. De lá, posta em seu instagram imagens de perfeição, riqueza e moda.

Conheça um pouco do estilo de Elena:














• Opta quase sempre por saltos altos, mesmo agora na gravidez do terceiro filho.
• Mudou a cor e o corte do cabelo ano passado. Eles clarearam e encurtaram muito.
• É musa de Giambattista Valli, mas veste todos os grandes estilistas. De Dior a Valentino.
• Elena é sorridente e não anda com seguranças. Pelo menos, não que se perceba.
• Ela adora fazer uma cena com o telefone, enquanto é fotografada. Foi ela quem começou essa moda.
• Não é adepta de muitas joias. Se usa um belo colar, não põe brincos nem anéis.
• Ama chapéus e plumas.


Gostou do post? Ele está na Revista Viver Bem deste mês. Já nas bancas!

Bisous,
Ana+

Referências do Street style


Jaquetas bikers e florais, uma novidade desse começo de ano. Peças que ganham novos adereços e padronagens. Vem uma invasão delas. Já entrei nessa com minha biker Inga Savits. Já falei dela e ressalto. Sapatos incríveis que ainda você vai ouvir falar muito. Além de Inga ser influente no mundo da moda, suas criações são realmente funcionais para quem, como eu, acha que os sapatos são o acessório mais importante na hora de compor um look

Tem também...



As peles vintage. Casacos que não são glamourousos, mas que aquecem, é isso que muita gente precisa mesmo na época de trabalho duro. Pode ser mais chique ser simples. 

Quando a onda é exagerar e as peles viram espetáculo...




O divertido em Fashion Weeks é a liberdade que o povo tem para se apoderar da moda. Não importa se é bonito ou não. Cafona? É tudo ponto de vista. Cabe a cada um gostar ou não. Existem todas as possibilidades. O terno artsy é show. Uma intervenção bem interessante, depende da maneira como você usa. O Artsy é a pegada mais forte que temos! 



Pense num momento onde o over. O extremo pode ser vivido? 
É a porta de um desfile. Amo essa cor. E curto a foto também. A presença de quem tem coragem de usar e pronto. Viver sem medo de nada. A arte cruzando a moda como expressão. Exatamente isso. Um momento marcante.  



Que o diga Anna dello Russo, musa total dos exageros, mas uma fashionista maravilhosa. O mundo da moda já se divide entre antes e depois dela. Alguém adorável que veste suas excentricidades com o maior savoir-faire do planeta (EU EXAGERANDO TAMBÉM). Sempre se tira boas lições dos looks da Ana. É só desmembrar. Analisar toque por toque.


E o som aqui hoje é:



Bisous,
A+

Haute Couture: Alexandre Vauthier + Street style


De todos os estilistas que venho conhecendo ao longo dos anos que acompanho as semanas de moda, um pelo qual caí de amores, depois de ter conversando com ele no atelier de Lesage (quando o mestre bordeur ainda era vivo e eu ia às vezes lá para fazer matérias), foi Alexandre Vauthier. Jovem, pegada sensualíssima, sem se preocupar com o exagero. A onda dele são mulheres fatais, com roupas que mostram muito. O Red carpet para nossos tempos. 
Vauthier conhece o corpo feminino. Por vezes, me lembra Montana ou Mugler. De novo eles como referência de atualidade. 
O que é bom aqui? Tudo. Tem spikes - referência Punk. Tem seda - referência luxo e classe. 


Do you know what i mean? Com cores e volumes, ainda mais sexy...


E tem que ter o corpão das divas para segurar. Vauthier veste Alice Dellal, Rhianna e toda essa banda de mocinhas irreverentes que tocam o horror por aí. Anote, conheça, pesquise e ame!

Street poses at Vauthier






Love this picture.

Ah, e sabe qual o som brasileiro que os franceses estão amando?
Segura essa:




Mas eu ainda prefiro a finesse "Happy" de Pharrell Williams.
É MEU MANTRA:

AQUI, O CLIP PARIS!


Ele é o melhor.

Moda é ser feliz por aqui. Diversos eventos com intervenções artísticas onde o mood é a felicidade. É tipo um movimento: ok, temos crise, mas vamos ficar felizes do mesmo jeito. Decisão que contagia!

Me segue no Insta? Lá, durante o dia, sempre posto sobre a rotina em Paris.

Bisous,
A+

LinkWithin

Posts relacionados