Diário de Paris... Transparências, cores e, quem sabe, amores...2014...


E o jornalismo foi para o buraco. Acordei com essa frase na cabeça, depois de uma noite intensa de pensamentos que me levam a pensar: para onde vamos? Bem, eu vim para Paris e isso já me basta e muito. Repito sempre. A cidade não é mais a mesma de anos atrás. Aliás, eu nem gostei de Paris a primeira vez. Eu gostei depois de ver muitas vezes as mesmas coisas com perspectivas e ângulos diferentes. Por isso penso que, se o jornalismo foi para o buraco, eu posso tirar o meu de lá. Sempre se pode. Sempre mesmo. Olhar o velho e tentar renová-lo ou dar um novo ângulo para o que já foi visto milhões de vezes. É esse o desafio para os jornalistas, artistas, músicos, estilistas, para todos que amam o que fazem e, no momento, acham tudo saturado.  Ao invés de tentarmos nos aproveitar das situações e dar um cárater sensacionalista para o que não merece destaque, melhor enriquecer a vida, não? Como faz? Olha para cima, para os lados, para frente e segue! Tem túnel? Tem fim. Tem labirintos? Tem saída! Tem chuva? Tem marquise. Tem ausência? Tem novas presenças. Não tem trabalho? Invente um. Façamos nossas partes. Chega de esperar. E chega de copiar. Sempre tem quem veja. 

Um som? Das antigas, mas sempre bom: 




Bisous
A+

2 comentários:

Madi Muller disse...

Amo The Clash!
Bisous pra ti tb!

Dallyse Brandão disse...

The Clash, muito boom !! Convido você para conhecer meu cantinho! Vemm!? Beeejus lindona!

www.doceencontro.com

LinkWithin

Posts relacionados