Street style Paris 2013...

 E o verão parisiense proporcionou boas imagens de inverno. Antes de começar a fazer o calor infernal que fez, a gente teve dias de frio. Era a semana de moda masculina. Era hora deles, mas elas apareceram. E algumas modas são fortes em correntes diferentes. Todo mundo fala nas bolinhas. Eu sei que são Dots, mas acho meio chato essa afetação de termos toda uma terminologia obrigatória no vocabulário, então me aproprio do meu blog para falar mais coloquial. Aqui uma boa versão deles. Prefiro mil vezes essa linguagem moderna ao vestido da duquesa em aparição real quando ganhou seu baby. Papo chato. O mundo quer ver imagens novas. Não repetições de uma viagem que acabou no desastre que matou Diana, nossa princesa mais linda e fashionista. Ela sim era original. 


Mas oui!!!!


Um aplauso total para os tricôs. Esse vestido abre o apetite para novas estampas. Tudo absolutamente perfeito nesse look. Até a encenação na porta do desfile masculino Galliano. Elas não entraram, mas fizeram bonito na porta. A bolsa da Olympia le Tan sempre funciona. E a bota? Eu amoooooooooo. Alguém conhece a marca? Manda para mim ok?



E tem também...


A mistura do tricô com o crochê. Os croppeds ( cortados!!). A barriga discretaente de fora. O ar original. Amo muito. Amo viver Paris. Faltam poucos dias para tudo recomeçar. 

ALELUIA

VICIEI EM MODA

SOM????




Bisous!!
A+




Ulyana Sergeenko, Street-style...Quanto custa um vestido de alta-costura russa?

frio
Vim de Paris para o Brasil fechar uns trabalhos e acabei pegando o que aqui eles chamam de o maior frio do ano. Nesse quesito, nem discuto, pois basta dar uma passada de olho nas imagens do inverno passado europeu para lembrar o que foi frio realmente. Nevascas que a gente nem podia caminhar, mas mesmo assim tinha desfile. Fui em busca de algumas fotos de looks interessantes para mostrar como se vestir no inverno. Post didático, pois o momento pede isso. É simplesmente o que você pode vestir para se abrigar. Tem gente que odeia pele. Na Europa, repito muitas vezes, apesar de ter gente que acha que eu invento, a coisa não é tão forte assim contra elas. Todo mundo usa. É um salve-se quem puder quando as temperaturas baixam. Claro que para essas fashionistas é questão de escolha, mas mostro aqui também algumas opções. Tem a pele, o chapéu. Peça-chave quando esfria. Eu não curto muito nesse momento. Acho sempre que temos quer ter a tal tétê-à-chapeau, coisa que nem todo mundo tem. O que seria isso? A cabeça perfeita para vestir um chapéu. Aquela que valoriza o rosto e o chapéu, sacou? Enfim, se você gosta e acha que tem estilo, em frente! Frio ou calor, eles continuam em alta. Menos o boné. A não ser que você seja boy-magia ou faça parte da turma deles. Um outro capítulo. 


frio2
Aqui mais peles. Vale dizer que todas essas peças podem ter peles falsas. Se ligue nas silhuetas. As saias são uma grande opção tomada pelas russas. Aqui, no caso, era a porta do desfile da Ulyana Sergeenko. Ela adora peças longas. Suas seguidoras raramente mostram as pernas. É uma sedução diferente. Vamos em frente again...


frio3
Um tecido maravilhoso e nobre para o inverno é o veludo. Opção maravilhosa contra a pele. Basta saber onde encontrar e quanto pagar por algo assim. Na Europa, conferi, para dar um exemplo, o preço de uma peça da Ulyana da coleção verão alta-costura. 

Veja:



Fotografei essa peça da coleção da Sergeenko, semana passada, em uma boutique ao lado da minha casa. Olhe bem: custa 43 mil euros. Cerca de 127 mil reais. Que tal? Rola? O mundo tem suas crises para uns e para outros o extra-luxo de pagar por algo assim. Os russos podem. E muitos brasileiros também, apesar de toda a inflação ( e muito por causa dela!). A moda continua a evidenciar as diferenças sociais. Voltando ao assunto de como ter um vestido longo bacana? Pagando bem ou voltando ao tempo da costureira. Também é uma opção. 





Sobre moda, beleza e outras histórias…



Para mudar de assunto...

Aqui meu post com uma prévia do que vim na primavera. Fiz para meu patrocinador mas, como de habitude reproduzo alguns textos aqui...



Programando a primavera sem pirar!

pri


Uma primavera alegre desenhada e colorida, cheia de arte e simplicidade. Isso é o que você pode programar para quando o frio passar! Um dos pontos altos da moda masculina sempre são as camisetas. Esse ano, elas contêm frases, mas dão mais espaços a imagens ligadas à arte e, em alguns casos, psicodelismo. Que fique claro que esse cogumelo não é uma alusão ao uso de drogas, afinal não existe coisa mais démodé do que uma juventude que se droga. It’s so last season...
De muitas imagens que vi, essa da camiseta do Paul Smith é uma das mais bacanas. O look complementado com os óculos lentes verdes grandes e arredondadas é uma nova versão dos anos 60. Tudo mais sorridente, mais aberto, menos pirado, mas ainda rock’n’roll. A pegada tem versões de atualidade. Para que louvar uma imagem que venda a destruição? No boy! Nada disso. Venda saúde. Magreza saudável, músculos também. Um não ao exagero. Uma tentativa de viver com menos álcool e tabaco. Tudo equilibrado. O mundo grita por isso. Alguma dúvida? 


Bisous
A+
Eu sempre volto
Insta? @anagarmendia
Face? Página oficial Ana Clara Garmendia.
Passa para me visitar!


Paris pout-pourri! Roy Lichtenstein, Ron Mueck...Paris street style real 2013...

Abro com a imagem artsy de Hamish Bowles que fiz para o meu post do Facebook do PKB. Estou tentando ver um jeito de fazer todos os meus posts entrarem direto aqui no blog. Assim todo mundo que não entra no Face ou no Insta, pode acompanhar meus up-dates com mais facilidade, principalmente quando estou em temporada Europa e meu dia-a-dia fica mais busy. O post que teve o Bowles como ilustração era o seguinte:


E segue a saga do azul....




Bem, seguindo as minhas divagações sobre o que usar e não usar em Paris e como usar ( aplique para outros lugares também, ok???). Usa-se terno azul em Paris. É a grande cor. É redundante voltar ao assunto, mas faz-se necessário. O azul é cor de céu, esperança, paz e tem uma pegada de frescor. Azul é lindo para homens de todos os tipos de pele. Azul em Paris é chique. Alguns pensam que gera sorte se você usar na segunda-feira, mas tem sorte quem merece tê-la. Sorte se conquista. Isso eu aprendi em Paris, sem vestir terno azul. Aprendi aqui que todo homem elegante, independente de usar azul ou não, honra as palavras que diz. Não deixa uma mulher, nem ninguém esperando. Simplesmente avisa que não vai. Ou nem promete. Aprendi também que somos mais quando temos consciência de quem realmente somos. Não precisamos aparentar. Temos que ser. A roupa é importante ( nada de apologias ao desapego a nossos amados trapitchos!!), em Paris ou qualquer outro lugar.  A roupa é sim algo que gera vontade, admiração, aguça os sentidos para o belo e também ajuda a acelerar a economia. É tudo tão complexo. É tudo tão grande para se resumir em apenas um texto. Paris então? Impossível descrevê-la em um manual de dicas. Vem para cá? Aprenda algumas palavras e faça a sua Paris. Trate-a com carinho e serás bem recebido. Isso serve para vida. Com azul ou não. Em Paris ou não!  Beijos! 



Voltando para Paris...Sem sair daqui...


Algumas expos maravilhosas para curtir. Se você não vem para cidade. Nenhum problema. São nomes para conhecer de qualquer jeito. Um deles é o pop arte Roy Lichtenstein...

A expo do artista que foi um dos lideres da Pop Art americana é no Centre Georges Pompidou. Sua arte tinha uma profuda ligação com os sentimentos e relações existentes na época em que criava. O amor entre homem e mulher era bem cheio de melodramas. Ele adorava o tema.  Mulheres desesperadas de amor. Entrega total. Amor incondicional. Mas tem muito mais para aprender sobre ele. Pesquise. É inspirador. Grande parte de sua obra tem legendas. Um cartoon para conhecer e revistar sempre...

A vida imita a arte...



Nas ruas de Paris, as gêmeas desfilam todas as tardes da Saint-Honoré. Fashionistas de uma geração que sabe o que quer: ser fotografada! Adoro o olhar delas e, claro, a cadência que tratam com seus gestos o assunto. Belas!!!! I-phone Photo!



HIPERREALISMO....

Você sabe o que é?

Então veja!



Fotos não permitidas. Eu sei, mas é um registro ligeiro. Preciso compartilhar com meus leitores o trabalho de Ron Mueck. Obras dedicadas à morfologia humana, não apenas isso.  É extraordinariamente inquietante. O artista australiano e sua equipe reproduzem em tamanhos enormes ou pequenos pessoas em situações normais ou de amor ou de reflexão ou de relax, etc...
Essa é na Fundação Cartier. Pesquise muito e descubra como ele chega a essa perfeição. Tem ligação com medicina legal. Os amantes de CSI vão amar.

Fui!
Posto mais sempre
Os comments sobre os desfiles e minhas reflexões ( e são muitas) vou guardar para quando conseguir parar para editar as fotos em alguma apresentações como a da Dior, por exemplo. Chanel ? Não fui! Por isso não comento. 

Bisous
A+





Street Style - Paris - Seleção da Luiza

Como a Ana Clara já avisou, eu, Luiza Garmendia, do blog Shakespeare de Batom, invadi o Moda Paris para trazer o meu olhar do que a Ana fotografou nessa semana de moda. Vamos lá?


Esse ano me encantei com a fotografia de street style. Descobri minha própria versão fotógrafa de moda meio sem querer nas ruas de Paris. Quando percebi, estava ali bem no centro do burburinho simplesmente fotografando. Dessa vez, na semana de moda de haute couture, não pude estar na cidade, mas claro a Ana Clara Garmendia estava lá fotografando para a Vogue Brasil e não perdeu nenhum look. Hoje, eu e ela selecionamos nossas imagens preferidas dessa semana em Paris.

O mais legal das ruas é que vale tudo.  Nas ruas, o ousado colorido do laranja e o clássico preto e branco andam lado a lado. Um sem anular o outro. Ninguém precisa escolher entre uma vertente ou outra. Um dia diferente do outro.



Uma coisa legal que se aprende com as mulheres europeias é descomplicar. Vai deixar de ir naquele evento importante só porque não fez escova no cabelo? Nem pensar! Elas ensinam a ser simples e elegante. Olha o que um mero "penteado torcidinho" faz por uma produção. Mesmo a Olivia Palermo (na foto acima) está arrumada, mas despretensiosa. Segundo a Ana, nesse dia chovia e todo mundo teve que se virar para (tentar) controlar os fios rebeldes.


Outra coisa que me chamou atenção na moda das ruas são as estampas e texturas de tecidos. Adoro os desenhos com formas geométricas pequenas. Na segunda foto, mais uma vez a Miroslava Duma mostra como usar as cores. Além disso, ela aparece com a saia estilo wrap (envelopada), tendência que o Brasil já adotou.



E para finalizar, Ana Clara tem uma palavra: jeans! Em tudo. Na calça, na jaqueta, na camisa. Amo essa fotografia. Amo as cores. 



E você, gostou da nossa seleção de street Style? Quer conferir dicas de moda e beleza com um toque de arte? Confere o Shakespeare de Batom!

Paris street-fashion...2014



Depois de publicados na Vogue alguns dos high-lights do ano, continuo aqui trabalhando e vivendo a cidade maravilhosa! 
Ontem comecei uma série de textos para o Facebook do ParkShopping Barigui.
Compartilho aqui mais um deles. 
Vale dividir com todo mundo!!!

A foto era a da Olivia Palermo e seu penteado bem desarrumado, mas aqui coloco essa moça do coque alto. Hit do ano passado que ainda continua por aqui. Assim como as sandalias com meias... Très Prada!
Confesso que gosto.
Confesso que gosto também da saia rodada. É mais que trend. É moda mesmo.



Sobre moda, beleza e outras histórias


Faz-se rabo de cavalo em Paris



Esse final de semana ouvi uma história engraçada. Uma amiga me conta que foi orientada a vir na produção para Paris. Andar de saltos altos, cabelos escovados e vestida do dia à noite, como se estivesse pronta para uma festa, afinal Paris é uma e das boas!!! Mas é tão fácil dar palpites na vida dos outros, não? Quando não é você quem tem que carregar todo o arsenal de produtos e roupas para encarar uma viagem internacional, é muito bom palpitar o que se faz, o que não se faz. O que se usa e o que não se usa. Então, hoje eu começo a publicar de algumas dicas minhas que talvez sirvam para desmistificar algumas frescuras sobre vir para Paris e conhecer bem a cidade. Claro que existe muita gente que conhece muito, mas existem os que amam fazer desse lugar incrivelmente livre em algo complicado de estar. Bem, começo por algo simples: faz-se rabo de cavalo em Paris. E faz-se também penteados bem enjambrados. Até Olivia Palermo apareceu assim semana passada em um desfile de alta-costura.  Usa-se shorts em Paris. E bem curtos até. O que pega aqui realmente é como você apresenta esse rabo-de-cavalo e como você se movimenta com o shorts. Vem para cá nas férias? Fale baixo. Fale educadamente. Escute, olhe no olho e agradeça todo mundo. Do motorista de ônibus ( sim!!! Anda-se de ônibus em Paris!!) ao concierge do seu hotel. Isso sim é uma boa dica e que, por vezes, percebo que não existe na cultura brasileira. De resto? Faz calor! Traga roupas leves. Use vestidos de seda, regatas, bermudas mais soltinhas e muitas rasteirinhas. Deixe a frescura de lado e seja bem nobre ao sair à noite com poucas joias ( afinal é verão!!) e compre maquiagens com muita purpurina. Elas dão o brilho que você precisa para acontecer na cidade luz. E são trend na estação! Beijos. Até amanhã!




Aviso...
O blog Shakespeare de Batom vai invadir aqui hoje. 
Luiza Garmendia, a outra parte da dupla As Garmendia, vai postar com minhas fotos!
A ideia é essa! 
Ping-pong!
Gros bisous
Enjoy que a vida é para ser vivida sem muitas frescuras, mas com muito, mas muito estilo... O mais importante é o seu life-style fazer você feliz!


Para terminar...


Um toque Artsy meu em uma foto que @edwarddavies13 fez sexta passada! 
Sigam ele no Insta. Faz videos lindos!
Sigam a outra Garmendia no Insta @luizager



Ulyana Sergeenko na top list de trends da Couture na Vogue Brasil...

  Lê na Vogue o resumo dos dez high-lights da Couture que eu fiz para eles? Link aqui;

Continuo aqui...
Vai ter mais...
Ressaca fashion total...
Bisous
A+

Olivia Palermo, Vogue Brasil, Valentino Garavani...




Enfim volto com imagens do preto e branco da semana de Couture de Paris e a linda Olivia Palermo na entrada do desfile de Valentino. Ontem foi um dia frio e meio chuvoso, então Paris esmoreceu um pouco. Todo mundo teve que se abrir mais. Esconder o arrepiado dos cabelos, mas foi bom ver como algumas mulheres resolveram o "bad day blond hair". Penteados como o de Olivia super resolvem. Foi assim que as modelos de Alexander Vauthier desfilaram anteontem no Palais de Tokyo. Espero poder postar meus comentts aqui sobre alguns desfile como também o da Dior, uma grande evolução no trabalho de Raf Simons. Não sinto mais a falta de Galliano. Simos cria um novo capitulo da historia da Dior com uma linguagem nova. Vou postar as fotos e contar, ok? Podem me cobrar!!!



No street, a volta dos macacões. Das salopetes, continua. E ressurge a figura da garçonne...
Mais sobre os meus posts no site da Vogue Brasil. Clica aqui.


O dia em que vi Valentino!!!!


Fiz esse post hoje para o meu patrocinador. Mas repito aqui...
É muito amor ver alguém assim tão respeitoso com o povo que ficou na chuva do lado de fora da apresentação da marca que ainda leva seu nome!!!
Bravo! Segue o texto...

Sobre moda, beleza e outras histórias




O dia em que vi Valentino Garavani!!!



Sei que pode parecer futilidade eu falar que tenho alguns sonhos na minha vida de jornalista de moda, mas tenho. Realizo muitos deles ao escrever, ter um retorno dos meus leitores e saber que posso influenciar um pouco relatando do meu jeito o que vivencio por onde passo. Ontem preenchi mais um sonho. É como se eu tivesse um álbum de figurinhas e precisa completá-los. Alguns desses personagens são mais complicados de encontrar. Não estão facilmente em todos os lugares. É o caso de Valentino Garavani. O estilista italiano ainda tem uma marca com seu nome, mas não cria mais. Passou o bastão para novos criadores. Então vê-lo ao vivo e a cores em Paris e ainda acenando para o povo, foi lindo ! Explico, ok ? Valentino criou grandes peças que habitam nossos desejos  femininos. Foi ele quem vestiu Jack Kennedy para se tornar Onassis. Foi ele quem criou o mito do vestido vermelho. Quando se fala em perfeição, luxo e sensualidade é o vermelho Valentino que vem à mente de qualquer pessoa que tenha um pouco de noção de moda. Enfim, esse homem bronzeado e de idade avançada escreveu um capítulo da história da moda e eu curti muito tê-lo visto ser amável com as pessoas que estavam a sua volta. Claro que é obrigação ser educado. Mas a gente sabe que a banda, infelizmente, não toca nesse ritmo. Nesse mundo frenético de moda que vivo é muito ego para pouco talento. Sério. Então ver o aceno de Valentino me deu um sopro de esperança. Talvez o mundo da moda não esteja perdido. Talvez quem admire esse homem se espelhe nele. Talvez a gentileza ainda tenha espaço para imperar. Merci L’IMPERATEUR,  como é chamado Valentino. Grazie mille por aparecer e me mostrar que ainda existe uma lanterna acesa no fim do túnel. 


Bjos ! 
A+






Couture Winter SS13/14....


Um romantismo no ar. Saias rodadas. Minimalismo de flores de um lado e exageros de outro!
Isso e muito mais no meu post de street exclusivo para Vogue Brasil.
Leia aqui os resumos do Dia 1. 
E aqui o dia 2.

Bonne nuit!
Amanhã tem mais!!
Bisous((((

LinkWithin

Posts relacionados