Louis Vuitton SS14... Marc Jacobs...


Fim de uma era na Louis Vuitton. Encerramos a Paris Fashion Week com o fato deixando de ser boato: Marc Jacobs deixa a maison, depois de 16 anos no comando da direção artística. Foi triste ver essa despedida. Chorei logo ao ver essa primeira image entrar. A prisão total no luxo. O delírio, a obscenidade e o castigo.




 O relógio marcava 10h e, como de hábito ( todo mundo sabe que depois que Anna Wintour ficou furiosa com uma atraso de desfile de MJ em NY ele nunca mais deixou passar 1 min do horário escrito no convite, não?) começou o show. Era uma retrospectiva de grandes desfiles já feitos no Carré du Louvre:  o carrossel, a fonte, as escadas, o hotel. Tudo isso sem Kate Moss para fechar e com Marc se despedindo. Segundo li, Marc declarou que, quando criou a coleção e o desfile, ele não sabia que iria sair. Não sei se creio. Mas como se trata de um grande criador, pode ser sim. 





A coleção verão 2014 homenageia grandes mulheres da vida dele ( Madonna, entre elas). Tudo preto, exceto duas ou três calças jeans délavé. Rendas, pedras, brilhos, pompons...
Poucas bolsas. 



Um relógio voltando no tempo. Com o passar dos minutos, ele retrocedia. Eu me arrepiava com a música e o excesso de conexão com a realidade daquelas roupas luxuosas. Marc é um gênio aprisionado (por isso escolhi essa imagem entre tantas que fiz e não tenho forças para postar). 




Sua era acaba com um grande exemplo de como ninguém é Superman. Somos humanos, erramos, cansamos e nos expomos mais do que devemos. Mas no business essa exposição tem que ser cuidada, amaciada, sem falhas. Caso contrário, a cabeça do rei é cortada, principalmente aqui na França. Até Maria Antonieta teve seu pescoço na praça. Exageros não cabem no mundo francês. Por isso, a sobriedade de hoje encerra como um lindo filme que acabou na obscuridade. 
Um sonho negro. Dark paradise devia viver Marc Jacobs. Ou não.
O tempo não parou e nem voltou para trás, apesar da fantasia do desfile ter feito essa mágica. A viagem Vuitton continua. Próxima parada? Parece que no universo criativo de Nicolas Guesquiére. Um francês no posto. Vuitton aposta em alguém que, até agora, não deu problemas de gênio, drogas, escandâlos. O mundo pede discrição. Não é momento para exageros. Nem no fantástico mundo do luxo, nem no absoluto reinado de anos de Jacobs. 










Au revoir mon chére que a vida te deixe sempre perto dos nossos olhos. Queremos mais da tua genialidade, esteja ela onde estiver.

Bisous
Volto com mais força.
Hora de descanso.
Tem galerias de street na www.vogue.globo.com
Bisous
A+

4 comentários:

Anônimo disse...

despedida maravilhosa, realmente ele marcou uma era na LV. Mas como super fã da genialidade de Guesquiére, ja to ansioso pra ver o que ele vai aprontar na sua nova casa.

Roberta Kremer disse...

Lindo Ana! Ninguém é superman. Bjos

Anônimo disse...

Lindo texto LV, Marc Jacobs, despedida. Tudo lindo e triste, enfim a moda e a história continua,bisous.Cirlei.

Geovana Cybele disse...

Isso não foi um desfile e sim um espetáculo...
Beijos e até mais.

LinkWithin

Posts relacionados