Paris pout-pourri! Roy Lichtenstein, Ron Mueck...Paris street style real 2013...

Abro com a imagem artsy de Hamish Bowles que fiz para o meu post do Facebook do PKB. Estou tentando ver um jeito de fazer todos os meus posts entrarem direto aqui no blog. Assim todo mundo que não entra no Face ou no Insta, pode acompanhar meus up-dates com mais facilidade, principalmente quando estou em temporada Europa e meu dia-a-dia fica mais busy. O post que teve o Bowles como ilustração era o seguinte:


E segue a saga do azul....




Bem, seguindo as minhas divagações sobre o que usar e não usar em Paris e como usar ( aplique para outros lugares também, ok???). Usa-se terno azul em Paris. É a grande cor. É redundante voltar ao assunto, mas faz-se necessário. O azul é cor de céu, esperança, paz e tem uma pegada de frescor. Azul é lindo para homens de todos os tipos de pele. Azul em Paris é chique. Alguns pensam que gera sorte se você usar na segunda-feira, mas tem sorte quem merece tê-la. Sorte se conquista. Isso eu aprendi em Paris, sem vestir terno azul. Aprendi aqui que todo homem elegante, independente de usar azul ou não, honra as palavras que diz. Não deixa uma mulher, nem ninguém esperando. Simplesmente avisa que não vai. Ou nem promete. Aprendi também que somos mais quando temos consciência de quem realmente somos. Não precisamos aparentar. Temos que ser. A roupa é importante ( nada de apologias ao desapego a nossos amados trapitchos!!), em Paris ou qualquer outro lugar.  A roupa é sim algo que gera vontade, admiração, aguça os sentidos para o belo e também ajuda a acelerar a economia. É tudo tão complexo. É tudo tão grande para se resumir em apenas um texto. Paris então? Impossível descrevê-la em um manual de dicas. Vem para cá? Aprenda algumas palavras e faça a sua Paris. Trate-a com carinho e serás bem recebido. Isso serve para vida. Com azul ou não. Em Paris ou não!  Beijos! 



Voltando para Paris...Sem sair daqui...


Algumas expos maravilhosas para curtir. Se você não vem para cidade. Nenhum problema. São nomes para conhecer de qualquer jeito. Um deles é o pop arte Roy Lichtenstein...

A expo do artista que foi um dos lideres da Pop Art americana é no Centre Georges Pompidou. Sua arte tinha uma profuda ligação com os sentimentos e relações existentes na época em que criava. O amor entre homem e mulher era bem cheio de melodramas. Ele adorava o tema.  Mulheres desesperadas de amor. Entrega total. Amor incondicional. Mas tem muito mais para aprender sobre ele. Pesquise. É inspirador. Grande parte de sua obra tem legendas. Um cartoon para conhecer e revistar sempre...

A vida imita a arte...



Nas ruas de Paris, as gêmeas desfilam todas as tardes da Saint-Honoré. Fashionistas de uma geração que sabe o que quer: ser fotografada! Adoro o olhar delas e, claro, a cadência que tratam com seus gestos o assunto. Belas!!!! I-phone Photo!



HIPERREALISMO....

Você sabe o que é?

Então veja!



Fotos não permitidas. Eu sei, mas é um registro ligeiro. Preciso compartilhar com meus leitores o trabalho de Ron Mueck. Obras dedicadas à morfologia humana, não apenas isso.  É extraordinariamente inquietante. O artista australiano e sua equipe reproduzem em tamanhos enormes ou pequenos pessoas em situações normais ou de amor ou de reflexão ou de relax, etc...
Essa é na Fundação Cartier. Pesquise muito e descubra como ele chega a essa perfeição. Tem ligação com medicina legal. Os amantes de CSI vão amar.

Fui!
Posto mais sempre
Os comments sobre os desfiles e minhas reflexões ( e são muitas) vou guardar para quando conseguir parar para editar as fotos em alguma apresentações como a da Dior, por exemplo. Chanel ? Não fui! Por isso não comento. 

Bisous
A+





Nenhum comentário:

LinkWithin

Posts relacionados