Paris Fashion Week, Madalena, Balmain, Vogue Brasil...

E a correria é tanta aqui em Paris que fica mesmo é complicado de parar e blogar, mas não importa o quão cansado estamos ou se as máquinas todas pararam ou se temos as melhores festas do mundo para ir ( e muitas vezes não vamos!!!!!!). Temos que postar aqui e ali ( no meu caso Vogue.globo.com). E por aqui...tudo se define. O que vale é cabelo curto. Ser casto. Ser diferente. 



Ser ágil e fashion! Não complicar de jeito nenhum. Uma pegada mais além? Ainda não começou. Parece que todo mundo cansou de excessos. Até as mais abusadas ( isso a gente vai ver ainda, porque ainda não deu tempo de chegar nelas, apesar de Anna Dello Russo ter lançado sua coleção ontem na H & M, mas isso também é outra coisa e ela é hors-concours, então não conta)...

No fluo de uma foto e outra, segue o preto total na melhor opção que pode ser um tricô, uma calça de couro e uma cara "quase lavada". Uma Fashion Week vale por fazer, muitas vezes, a anti-moda das passarelas ou o presságio do que elas vão trazer em breve...


Temos vivido dias ligeiros. Dias de jeans! A camisa continua sendo nossa melhor companheira. Choveu muito!!!! Madalena usa para sair do desfile da Balmain. A ideia é uma calça de pregas mais seca e bolsas Givenchy ( o povo anda se batendo por elas!!!)...


Mas o povo se bate por muita coisa. Tudo para rolar um shooting ao natural... Ainda bem que existe o próximo post. E ainda bem que você pode ler o que eu escrevi e fotografei para Vogue Brasil. Vê aqui: Streetstyle day 2

Sigo em frente
Bisous
A+

Paris Fashion Week streetstyle prêt-à-porter verão 2013... Carine Roitfeld Fashion Book, Emmanuelle Alt, Rebirth...


Cheguei a minha décima Fashion Week do ano com o começo da mudança do blog e também com a constatação que um certo ar de luxo volta a pairar, mas sem muitos frufrus. Isso quer dizer que continuam as plumas e paetês, pero no mucho. Acho que a principal pegada é: ser exagerado até, mas sem ser insensível. Delicadeza. 

 As cores ainda são fortes, mas a ordem é se divertir com elas. Diversão com tudo! Um clima de fim de festa, afinal a turma começou em NY com o desfile nas ruas antes dos desfiles nas passarelas. Nada precisa ser tão levado a sério. Como sempre digo: é apenas mais um desfile, mais uma temporada. Por que se deixar deslumbrar com algo que é um trabalho incessante para toda uma turma que depende disso para viver???? Falando em moda: amo as pérolas! Amo as peles brancas contrastadas com os batons fortes. Tendência pura você fazer a pele pálida quase morta e colocar cor nos lábios. Morticia rides again.



Mas não apenas ela. Inúmeros personagens pipocam aqui e ali. O que vale é a interpretação. Pitada 70's continua sempre. É clássica até. Assim como os 50's que a gente viu nas passarelas da Rochas.



Voltando ao assunto ordem geral...




 Um bom exemplo dessa ordem das coisas é Emmanuelle Alt e sua simplicidade cada vez mais evidente. A editora-chefe da Vogue Paris anda cada vez mais sem adereços. Quando a conheci, usava saias curtas, cuissardes, jaquetas bordadas. Agora é puro trabalho e nada mais. Exemplo de que você pode chegar longe apenas com uma boa estratégia de network e zero afetação. Isso pode não ter a ver com moda, mas é uma questão de estilo. A atitude de Alt me impressiona, principalmente em um momento quando Carine Roitfeld acaba de lançar sua revista a CR ( falo mais no fim do post). A moda continua a dar espaço para todos os estilos, mas principalmente para as batalhadoras, mulheres fatais ( como Carine) ou não!


Bem, temos tudo mesmo. Panacéia total

Cabelos longos manchados, raízes marcadas, quando curtos, nucas desvendadas...



A boa da semana é...

Eu tenho a minha!

A capa do Fashion Book de Carine Roitfeld é de Bruce Weber e o tema é Rebirth. Nada mais propício para tudo. Carine volta com um time de fotografia, modelos e tudo o que tem direito em termos de roupas e ousadia para falar, entre outras coisas, do nascimento da neta. Julia ganhou uma menina chamada Romy em maio passado, fato que muda a perspectiva de vida de CR. 


O material é dos bons. Os temas vão desde crianças, passando por temas célebres franceses como a decapitação de uma rainha e...


Toda a permissividade sexual que a França tão bem sabe exportar. Sexismo sem vulgaridade=erotismo.


Bem, a semana apenas começa. Eu me esforço para não me perder no meio de tantas informações e, sinceramente? Deliro com o que vejo. Tudo pode rolar, menos a vulgaridade sem senso algum, menos o que é puro deslumbre, sem recheio, menos o que hoje não conta e nem nunca contou: a falta de valor real das coisas. A moda é uma grande ilusão? Até é para quem não pensa em números. Para quem não sacou que tudo isso tem hora para acabar é é tudo bem fugaz. Então o jeito é tentar entender as historias e ler nas entrelinhas tudo que se vê e absorve nesse momento. Para poder renascer como Carine fez. Para poder simplificar cada vez mais como Emmanuelle ou para querer simplesmente continuar a fazer parte desse mundo de vaidades, verdades e mentiras. Desculpe se estou filosofando, enquanto deveria estar publicando meu look du jour, mas é que ele é bem menos importante do que influenciar meus leitores a abrir a cabeça e entender que moda é apenas um tema a mais em nossas vidas. 
Voilà
Bisous 
A+

Paris streetstyle snap-shots 2012...


Pelas ruas do Marais...




 É assim: as passarelas cada vez mais confirmam o que as ruas antecipam. É um movimento cadenciado que chega a ser bem fácil prever. Mas não é evidente, como dizem os franceses. Minha volta para Paris acontece dentro de um outro espaço da cidade: um ponto super bacana entre a Bastille e o Marais. Descubro então novos caminhos, novos olhares e uma roupa linda. Era sábado. As ruas lotadas de turistas e locais, referências de uma evidente elegância. Continuamos no blue e nos tons quentes. Sobreposições de um verão que passou ( na calça branca). Superman feelings!!!



street5
Mas não é apenas o Superman não!!!A vontade de Marc Jacobs por usar saias pegou de verdade. Vejo homens com elas por todos os lados...

street4
 E me parece bem razoável, algo que linka o passado e o presente de uma maneira ímpar. Existe um ar medieval no ar ( talvez eu esteja influenciada pelas imagens dos desfiles como Dolce & Gabbana que vi ontem ao vivo pela internet nesse endereço aqui e onde as estampas tinham algumas imagens da Idade Média, cavaleiros de saias!!!)

Aqui uma imagem: 


Mas as ruas dizem mais...

street10
 Elementos do grunge que não cessam de aparecer. E nem vão. A influência não vai acabar. Podes crer. É um estilo de vida, não uma moda. Coisas para gente entender sempre. Nem tudo é moda, muito é comportamento, escolha, estradas que queremos seguir com nossos uniformes. A high Fashion é para os que não têm esse estilo dentro de si, para quem gosta de orbitar entre os diferentes modos de consumir. Carnaval.


street11

O bom das ruas é encontrar uma boa dose de básicos eternos. Cores para gente sempre usar e fórmulas que sempre funcionam. A skynny não vai embora nem agora...

street6
Não vão embora as camisetas Che Guevara e os tricôs. Aqui não é manifesto. É apenas uma boa estampa. Adoro. Estilo again.

street13
 E também não vão embora de jeito nenhum as camisas Jeans. Eu tenho a minha, e você? Todas as sobreposições e misturas são possíveis com uma dessas. Voltam as manchas e os detalhes descontrução.

street1
Amo esse look. Todo mundo deveria ter uma versão dele para sair a qualquer momento. Vai para minha linha de reprodução agora. Preciso achar esse sapato. Um perfeito encontro entre o masculino ( tão em alta agora até em gravatas e ternos para gente!!!!) e o feminino. A bolsa é um revival dos anos 80. Usamos muito esses sacos. Agora estão de novo. Louis Vuitton é quem fazia. Agora faz ainda, mas sempre existem outras versões. Uma boa ideia me vêm à mente. $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

street7
 E esse ar vintage anos 50 que insiste em pairar? 

street8
E também as reminiscências Balmain que não cessam de pipocar!!!!

street9
 Mas pegadas novas de cabelos longos com franjas. Boca rosa leve. Muito preto.


street3
E nossos loiros manchados. Alice Dellal faz escola.

street12
Mas pode ser um loiro Britney! Why not? Força no rímel e na camisaria!

street14
E ainda a febre das calças coloridas e a invasão dos tênis, baskets ou não. Se enjoamos os modelos Marant tudo bem! Valem muitos outros modelos! É moda para viver.
Ponto
Paris aqui cada vez mais linda
Ontem fui à expo Balenciaga e Comme des Garçons.
Depois mostro os Instragrans que fiz
Bisous
A temporada apenas começa
A+

Aline Weber, Anna Dello Russo...


aline
Para comemorar os seis anos de vida do blog e mais de um milhão de acessos, um pouco dos personagens que aqui passam nesses anos. Aline Weber linda dando beijinhos!!! Ela é um dos melhores expoentes que nossa moda brasileira tem no exterior. A top faz os melhores desfiles, é generosa e também uma girl que todo mundo se inspira ao vê-la. Aqui com uma jaqueta da Isabel Marant, febre esse ano!!! Me apresso em fazer alguns posts, antes da mudança de lay out do blog e também que comece a correria de Paris. E me apresso em dizer que esse cabelo molhado é trend. Olivier Theyskens acaba de fazer em sua Theyskens' Theory durante a semana de moda de NYC. Confere aqui

anna2
Outro trend é o vermelho e as misturas de preto e branco. Anna Dello Russo havia anunciado com esse look de inverno do Giambattista Valli, pois bem, em 2013 tem mais. 






blogamarelo
E prepare-se para os modelos de vestidos ingênuos. Essa ideia inocente de limpeza no look pode sempre funcionar bem no verão e até mesmo no inverno. Enquanto ainda vemos exageros, um toque assim sutil chega a ser delicioso.
Muitas pulseira de macramé nos pulsos, um pouco de metal, palha e o bom e fiel Wayfarer. Very easy!!!

Bisous
Joyeux anniversaire para o Moda Paris.
Vou festejar!
A+

Buenos Aires...Setembro 2012...


Milagros e Sophia


BAS

Em tempos de muita turbulência, a Argentina é um país onde se mantém um genuinidade de estilos, haja o que houver, os portenõs fazem sua própria moda. Ir para Buenos Aires, enquanto a semana de moda de Nova York começava, foi para mim um ato de coragem. Muito por que sempre quero ver in loco tudo que acontece em todos os lugares onde o streetstyle é forte. Mas resolvi ir na contramão e deixar para Paris tudo que tenho que ver nessa última rodada internacional. Nas ruas de BAS ( como a gente abrevia o nome da capital Argentina) pude encontrar cores e uma postura de atitude que talvez eu não encontre mais nas portas dos desfiles. De qualquer forma, não me arrependi ao ver Milagros e Sophia nas ruas de Palermo. Ali percebi que a moda é mais que uma bateria de desfiles, ela independe de lugares para ter vida. Assim é esse momento meu e do blog. 


BAS1
Florencia

Em ritmo de continuar a procurar ( quando der) processos de autenticidade ou de boas leituras da moda de rua. E ritmo de encontras as cores de Florencia...


BAS2
Ou de cruzar numa imagem instantânea que me mostre que sempre teremos cabelos coloridos para alegrar os momentos minimalistas que estão chegando ( vide os desfiles de NY. VEJA NO Style.com)

BAS3
Voilà, semana que vem Paris e o final de um ano cheio de temporadas de moda que termina anunciando o que na verdade as ruas nos mostram todos os dias, em qualquer lugar. É apenas observar o andar das carruagens.

Bisous
A+

LinkWithin

Posts relacionados