Street Style Paris 2012...

blogfinal
Poucas horas antes de fechar 2012 e hora de olhar o que foi importante no ano, mas apenas o que realmente deixa aquela marca maior. Vou fazer uma minimal análise de tudo que sinto hoje sobre o que vi e vivi na ponte Brasil-Eua-Europa-Argentina. Foram muitas viagens. Vivi em função de Fashion Weeks, palestras, cursos. Vi a Europa agonizar na crise. Voltaram as linhas simples, a alfaiataria, o preto culminou.


blogfinal2
 O povo se desmontou em plena Semana de Moda de Paris. Juro, fora as editoras de moda como Carine Roitfeld e Emmanuelle Alt que apareceram muitas vezes desarrumadas, descabeladas ou até com a mesma roupa em dias diferentes, eu nunca tinha visto isso em quase sete anos de Moda Paris. 



blogfinal4
Mas não apenas isso. As it-girls russas despontaram como empresárias. Antes faziam parte de um circo que a gente não entendia bem se era puro exibicionismo ou não. Não não era. Ulyana Sergeenko e Vika Gazinskaya ( foto) mostram suas coleções. As duas são estilistas. Vika, na verdade, sempre usou suas criações. A colecionadora de roupas de marcas Ulyana faz sua estreia com desfiles e começa a ter seu estilo boneca russa seguido e usado por grandes nomes como Natalia Vodianova, entre outras. 



blogfinal1
O que mais marcou? Raf Simons entra e faz sucesso na Dior, Nicolas Guesquière deixa a Balenciaga, Louis Vuitton se consagra como o melhor desfile colocando uma locomotiva dentro  do Louvre num memorável desfile em março desse ano e o céu de Paris continuou lindo. 
Mais daqui uns dias quando vem a alta-costura. Até lá vou postando apostas de street style marcantes em 2012 ou outras news. 
Voilà! 
Um 2013 lindo para todos
Que a moda nunca nos deixe sem reviravoltas. 
Que sempre a gente possa contar com a genialidade dos criadores para fazer continuarmos a ter novos desejos. 
Quer ler mais de mim? Na minha coluna de fechamento de ano para Gazeta do Povo. Link aqui

Bisous
A+



Street Rio last day 2012...

pamela
Minha imagem de despedida do Rio 2012 é Pamela. A menina cruzou a rua e eu pensei que realmente esse look funciona para garotas da idade dela. Depois de uma temporada de quase três meses no Brasil, confesso que ando meio apavorada com o que tenho lido e visto sendo apontado como o look da hora. O "piriguetismo" tomou conta do país. Não que eu não aprecie uma minissaia e um salto alto, mas o problema é que virou um uniforme, onde muitas vezes quem veste não tem noção do efeito que uma roupa muito pelada pode causar num lugar latino como o nosso. Roupa pelada tem hora, lugar e ambiente. Por isso amei ver Pamela vestida de menina e linda. Perfeita para o Rio e para mostrar que a roupa pode ser pouca, mas que o apelo da sensualidade não precisa necessariamente deixar tudo à mostra. A beleza da inocência também tem seu poder. 
Fica aqui meu recado nesse final de ano em terras brasileiras.
Menos de um mês para voltar para Paris
Bisous
A+


Street Rio day 8...

Carlos
Acho que para os homens a produção em cidades muito quentes como o Rio de Janeiro é sempre e muito mais complicada. Carlos é arquiteto de interiores, convive com muita gente bacana e não pode andar de chinelo e bermuda, bem... Não deveria. Ao vê-lo como alguém que um dia foi daqueles garotos das beiras de praia do Rio, percebo o toque carioca nos anéis, no olhar e no óculos. Mas Carlos atravessou as fronteiras da vida com a maior tranquilidade. Camisa preta leve, calça branca e um lindo mocassim amarelo, a cor do verão masculino carioca. Amei. Thanks brother! Melhor, meu irrrmão!!!!
Volto ainda com mais um último look do Rio nesta quase despedida minha do Brasil!!!
Bisous
A+
Vou ficar com saudades. 






Street style Rio day 7....

ANDREAPEDREOIRA

Volto para meu street à Rio. Impressionante como o preto domina os dias quentes desse quase verão carioca. Andrea passou por mim tão linda que tive que vencer (pela milésima vez) minha timidez para capturá-la nas minhas lentes. As fotos feitas no Rio tem um desafio. Amo fazer imagens em movimento, mas no Rio não rola. O único dia em que fui mais ousada e abusei dos avisos dos amigos sobre não atravessar certas fronteiras, quase fui roubada. Cheguei a ver a faca na mão dos meninos que vinham em minha direção, mas me safei. Afinal são muitos anos de estrada e não é apenas o Rio que oferece perigo (que fique muitoooo claro isso!!!). Toda capital tem seus limites, inclusive Paris. 
Bem, Andrea ensina a leveza de uma peça preta. E também como pode ser chique o discreto total, o cuidado com a pele, os cabelos. Nada over. Perfeito. 
Merci Andrea. Você também venceu sua timidez para emprestar sua beleza ao blog.

Som para vida: 




Bisous
A+

Francesca Romana, Oscar Niemeyer...




Entrevista com Francesca Romana onde ela fala sobre parceria com Oscar Niemeyer publicada hoje no jornal Gazeta do Povo. Coincidentemente no dia em que perdemos o mestre da arquitetura brasileira.
Fica aqui minha homenagem. Fica aqui um centelha do que ele distribuiu pelo mundo no trabalho de Francesca:


Ana Clara Garmendia  /


Francesca Romana Diana é uma das mulheres mais interessantes que encontro em uma temporada carioca. Italiana de Nápoles, a designer escolheu o Brasil como morada por ter encontrado aqui o que mais considera importante na sua criação: as pedras.  Num bate-papo informal me encanto com a mistura das duas culturas no trabalho de Francesca. Suas bijus vão além do apelo estético. Tem arte, arquitetura e historia junto, o que torna tudo com uma dimensão muito maior nesse momento em que consumir não é palavra de ordem. Mergulhe você também no estilo de Francesca e aproveite a inspiração que essa italiana trouxe para as nossas terras. Puro primor.

Como começou sua carreira? O que a levou a trabalhar com arte e joias?
Ainda criança, eu já tinha uma paixão para a arte e para as pedras preciosas. Eu ficava encantada com as jóias das mulheres da minha família e meus pais sempre incentivaram a minha paixão, através de viagens e visitas a museus e obras de arte.  
Quando cheguei ao Brasil meu sonho se tornou possível e comecei a  criar minhas próprias peças.



Como é  o processo de parcerias com grandes nomes, como Oscar Niemeyer, entre outros? É difícil?
Trabalhar a quatro mãos é uma experiência única, existe uma troca enriquecedora. Niemeyer foi o primeiro artista com o qual fiz uma parceria  e ele me deu segurança e palpites fundamentais na fase de criação. Mostrei para ele recentemente o fruto de nosso trabalho juntos e foi um momento muito especial e emocionante para mim 
Por que escolheu Rio de Janeiro para viver? Tem alguma semelhança com sua cidade, seu país? Conte um pouco e fale também onde nasceu.
Escolhi o Rio de Janeiro por ser uma cidade linda e por estar perto da minha matéria prima preferida, ou seja as pedras brasileiras.
Eu nasci em Nápoles, cidade que tem muitas semelhanças com o Rio, seja pela natureza onde mar e montanhas se fundem, seja pelos grandes contrastes sociais. 


Qual a diferença entre uma brasileira e uma europeia elegantes?
As duas são maravilhosas, mas acho que a brasileira se destaca porque não tem medo de ser feliz, é capaz de ser elegante e sorrir ao mesmo tempo. 
O que uma mulher deve ter de mais importante em seu look?
Em geral, o importante é  o resultado final, a harmonia e o equilíbrio da produção. Sem esquecer um acessório bacana que se destaca, pode ser um colar, um brinco, uma mão cheia de anéis.
Atitude de pessoa feliz é o ingrediente final para brilhar.

Street à Rio day 6 Daúde...

daude
E o Rio tem também a Bahia como companhia. Sou amiga de Daúde nem sei há quantos anos.  O fashionismo e o amor à música foi nosso primeiro contato. Certa vez a entrevistei em um de seus shows em Curitiba. Na época eu era repórter de cultura e fui pautada para conhecê-la e retratar seu universo para o jornal que trabalhava. Desde então, depois de uma conversa sobre figurinos e um passeio pela cidade para conhecer o que havia de bom em termos de moda, nunca mais deixamos de nos falar. Viramos amigas. Além da admiração profissional, passei a admirá-la como mulher e como alguém que sabe muito bem usar a roupa certa no momento certo. No dia da foto, almoçamos em Ipanema e fomos para a Vieira Souto fazer a foto. Daúde nutrida da elegância que une seu lado leve de baiana ao savoir-vivre carioca. A flor de couro simplesmente ilumina tudo no seu look noir. É simples ser elegante. É simples ter a arte de dar apenas um toque de leveza no preto e mudar tudo. Merci amiga pela foto.

Um pouco de seu talento para animar o lado musical do blog:




Bisous
A+

Street à Rio 5...

Benjamin
Eis que no Rio os franceses andam dominando a parada ( começo a falar carioquês também!!!). O sol voltou finalmente e estou quase me despedindo de minha temporada por aqui. Antes ainda vou soltar imagens dessa gente que habita entre a maravilha e o caos ( parafraseando Rio 40°C o som). É verdade. Benjamin é ( +) um francês que se apaixonou pelo Rio e resolveu ser feliz aqui. Com ele, trouxe o estilo ímpar que os franceses têm, mas adicionou o gingado carioca. Ele começou a fazer dreads depois que fiz a foto. Pediu licença para atender uma pessoa ( ficamos tomando um drinque e curtindo a paz da Casa) e quando veio se despedir, ao cair da noite, estava com o look bem mais abrasileirado!!!. Benjamin abriu a Casa Mosquito, uma pousada linda toda decorada com coisas brasileiras, misturado ao bom olho francês. 
Bem, fica aqui mais um look lindo do Rio com sotaque francês. 

O som?????







Bisous
A+

Street à Rio day 4- Leblon..




blogjuliana
Depois de muitos infinitos ( parecem...) dias de chuva no Rio, resolvo dar uma de parisiense e saio com a câmera na mão pelas ruas do Leblon. Diz a lenda que carioca não sai em dia de chuva. Diz a lenda também que a carioca não sabe se vestir quando esfria. Bem, é tudo lenda mesmo. Encontrei Juliana e Gisah ( foto abaixo) em momentos separados. Juliana se veste como uma parisiense. Ao vê-la falando ao telefone, depois de ter sacado seu look, percebo que fala em francês!!!! Sim. É brasileira, mas....Morou em Paris e tem bases por lá. Fechou...Carioca acrescenta em francês seu toque ser elegante e linda em dias de chuva. 



gisah
Carioca em dia de chuva se veste "Chez Zarrraaaaaaa Paris", brinca Gisah ao explicar seu look. Gisah também morou anos em Paris, mas é carioca da gema. Ao fazer sua foto, me divirto e mato as saudades. 
Foi ela a amiga que me disse, cerca de 7 anos atrás, que eu deveria investir em minha carreira internacional com base parisiense. 

Merci ma copine. Je t'embrasse fort.
Bisous A+


Street à Rio day 3...

Blogrio
Natasha Novis aparece no outro lado da rua e eu presto atenção para ver o que ela colocou no cabelo. Tenho aprendido muito aqui no Rio. Esse mix de classicismo com o inusitado do laço no alto da cabeça mostram como a brasilidade pode ser encarada como algo de muito bom gosto, quando a intérprete tem o espírito afinado. Sucesso total. Tem gente comentando que quer ver mais Street à Rio. Estou aceitando dicas de lugares diurnos que eu possa ir fazer minhas fotos e aproveitar mais ainda a beleza daqui, ok?
Mandem sugestões!!!!
Bisous
A+

Street style Rio!

amiga
Andrea é amiga de Baby, do post anterior. Aprendo aqui no Rio como usar pouca roupa, mas ainda assim ser elegante. A camisa verde é nossa velha conhecida. Tenho uma faz uns dois anos, mas confesso que não tinha pensado em usar assim como Andrea fez. Aos poucos vou me familiarizando com uma maneira totalmente oposta de vivenciar o corpo e a roupa. Aos poucos vou achando que o Rio é o lugar perfeito no Brasil para se pensar em roupa. A moda aqui tem essa pegada do toque carioca, fantástico. Vou aprendendo com eles. Obrigada Rio.
Bon week end!
Bisous
A+

Baby do Rio... Street Style Brasil...

baby
Enfim abri meus trabalhos nas ruas de Ipanema aqui no Rio. Foi assim que encontrei Baby na Garcia D'Àvila, uma das minhas tantas ruas preferidas nessa cidade perfeita. Ser chique no Rio é exatamente essa combinação que Baby fez: ser simples, colorido e com um jogo de corpo que não exaspera na sensualidade, mas que tem ela como base. Amei. Vou postar mais imagens na seqüencia. 

Ontem também conheci Francesa Romana. Fiquei maravilhada com as parcerias feitas pela designer italiana com o grande Oscar Niemeyer e também com outros importantes artistas brasileiros.
Meu xodó? 




Melhor, um dos muitos é essa pulseira inspirada no calçadão. Amei. Depois conto mais. Francesca vai ganhar um perfil em uma das minhas colunas e eu vou guardar as infos da tarde super bacana que eu passei com ela.

Bisous
A+

Sobre o tempo...


Apesar de estar em temporada brasileira, ainda não consegui começar meu street style por aqui. Então, curto caminhadas pela orla com meu I-phone e me delicio com as possibilidades de novas imagens. Pura inspiração. Assim como Paris, paira sob o Rio de Janeiro a bruma da criação, da inspiração e, principalmente, o savoir-faire ou em bom português o saber-fazer e aquilo que eu descubro com muita intensidade: o saber viver. Para o carioca, a vida é menos complicada, me parece ao vê-los cruzar por mim e também quando troco ideias com amigos que vivem aqui. E também menos complicada no vestir, mas isso eu deixo para quando fotografar...

Enquanto isso...
Penso, logo me visto é o título da minha coluna de semana passada na Gazeta do Povo, onde usei a foto abaixo como ilustração. O link aqui.


Continuando...

blog2
 Quando recapitulo as imagens de Paris, elas me falam muito. Muito sobre o tempo que vivemos. Sobre as influências de estilos, de personagens, de lugares, culturas, enfim é tudo um grande novelo ( acabo de ouvir isso de uma amiga e incorporo total!!!), sem realmente um fio que nos leve ao começo ou ao fim. A moda de agora é o reflexo de tudo. Da mistura, da confusão econômica, da necessidade de sobrevivência da arte, do surgimento de novas ideias. Da vontade de criarmos looks novos ou de recriarmos a nossa maneira imagens velhas. 



BLOG
 É onde me deparo com essa foto, inicialmente publicada na minha coluna do site da Vogue Brasil durante a semana de moda de Paris. Aqui algumas peças antigas conhecidas nossas. A bolsa Speed monograma da Vuitton, com a marca de propriedade dela. O que para alguns pode parecer cafona, para outros é uma forma de valorizar sua escolha pelo clássico. O sapato-fetiche Valentino, lançado ano retrasado e um dos maiores sucessos da marca depois do vestido vermelho. Eu tenho um. É realmente causador de furor. Postei isso quando comprei em outubro de 2010, se bem me lembro...Tudo isso para dizer que o mais sensacional de agora são as maneiras pessoais de vivermos nossas peças. Acabo de comprar uma nécessaire da Vuitton para fazer de carteira. Vi Alexa Chung usando em uma festa em Shangai. Achei interessante e repliquei a ideia. Ao buscar a peça na loja, me deparei com a incrível alegria do vendedor. Fashionista como eu, sabia bem do que eu falava quando pedi a bolsa. Ele me explicou que, assim como Alexa, algumas clientes andavam fazendo isso. Dando uma nova leitura para peças eternas. Amei esse conceito. Valorizar o monograma Vuitton é esquecer as falsificações e adentrar dentro da historia da moda do século 19. 

C'est pas mal. Temo que nos enroscar no novelo, mesmo que pareça loucura, mesmo que nos sintamos zonzos com tantas infos. É assim mesmo que temos que prosseguir, para podermos termos vontade de misturar e fazermos uma moda mais autoral, nunca sem historia.

Bisous
A+






Menina Fantástica...Show da Vida, Mega Models...

E de repente minha rota se desviou para Foz do Iguaçu. Semana passada, logo depois de anunciar que começaria a postar coisas do Fashion Rio, meu telefone tocou. Era a produção da Mega Models me convidando para ser jurada do concurso Menina Fantástica,  Etapa Sul. Não tive muito tempo de pensar, aceitei, cancelei compromissos no Rio e voei para esse lugar maravilhoso abençoado pela natureza. Ali a gente tem a sensação que nada se pode controlar, a não ser o que realmente temos em nossas mentes. Filosofo total, porque os momentos que se seguiram foram realmente mágicos. 
Meninas lindas cheias de sonhos apareceram a minha frente. Eu tive a honra de ser escolhida para junto com o ator Daniel Rocha e Raphael Garcia, diretor da Mega Models escolher duas de dez meninas. Todas perfeitas. Todas doces. Todas cheias de vida. Enfim, foi duro, lindo e perfeito. 
Coloco o link para vocês verem do blog deles com a cobertura do dia:



E aqui a gravação que foi ao ar ontem no Show da Vida:



Foi lindo. 
Volto com novos posts
Bisous
A+




Feelings 2012...





parisconcorde
Fiquei pensando dias em postar ou não essa foto, talvez por que ela me diga tudo quando a vejo e me faltem palavras para legenda. A fase que nossa moda passa é tão marcante que soltam-se as amarras das palavras e o que vemos torna-se o que de maior temos. Tudo isso parece meio pirado, mas ao ouvir Paulo Borges durante coletiva de imprensa hoje no Hotel Fasano no Rio de Janeiro vi que não estou tão louca assim. Foi um encontro de apresentação dos patrocinadores, dentre eles O Boticário, Prefeitura do Rio, enfim a gente foi para prestigiar e bater papo com os amigos que giram o mundo pelos desfiles e que, assim como eu, deram volta para o Rio. É o terceiro evento desse ano. Imaginem!! Eu que tinha jurado que não faria nenhuma FW mais em 2012. O peixe morre realmente pela boca e aqui estou curtindo essas imagens de Paris, em pleno Leblon. Voltando ao Paulo, o Borges. Ele fala que ficou impressionado com a qualidade do trabalho dos estilistas que desfilaram na SPFW. Pouco tempo para criar= criação mais emotiva= genial. Disse que achou tudo lindo num papo com Costanza que eu peguei carona, pois trocava outras figuras com ela quando ele chegou e obviamente as atenções se voltaram para o criador desse fervo todo que envolve a moda brasileira. Ponto. Volto para Paris por uns instantes. A imagem me fala em grungismo ( tudo no desfile de Dries van Noten, a passarela imita a ruas). Esse movimento não tem o cunho de destruição que aquele da década de 90, por que confronta com os pararelos das outras duas imagens: uma lady e outra dandy. Então três estilos se equilibram e conversam. Matéria para pensar ( a da criação dos brasileiros em pleno furacão da pressa também!!!). Eu amo os xadrezes, mas não uso. A sandália Prada da foto do meio foi minha mais recente compra. A foto fez a Prada vender mais um par. Agora as ruas influenciando as vendas. 
E segue o processo. 
Em breve tem mais. Falta uma foto para fechar o ciclo prometido semana passada. 
Ela fala mais sobre o grungismo.
Vou publicar para fechar

paraleloos3


Sem palavras. Aposto que os pijamas, conjuntinhos e todos os semelhantes vão bater forte em 2013. É mais do mesmo. Assim vai ser com pitadas de genialidade de alguns criadores.
Fecho com homenagem ao Nicolas Guesquière que sai da Balenciaga no auge. 
Quinze anos de grandes modismos.
Fica aqui uma do último desfile.  




Toque de despedida com coleção inspirada na Espanha, país de Cristobal, o Balenciaga de verdade. 
Nicolas deixa sua marca.
Vai para onde?
Costanza acha que ele cansou. 
Ela sabe mais que a gente né?
Deve entrar para outra maison e criar outro barulho. É bom inverter a rotação.


Bisous
A+


Carine Roitfeld...Streetstyle 2012


carine2
Esses dias li que Kate Moss anda numa fase de preto total. Até eu ando, mas meu caso é pura falta de tempo e disposição. Muitas viagens, o que dificulta e muito minha organização de cabelo, pele, looks, equipamentos, etc. Viver como cigana em 2012 não é tarefa fácil. 
A gente sempre acaba inacabada ( repetidas palavras propositalmente...) em alguma parte, por isso Kate Moss e Carine Roitfeld me ajudam a fundamentar o quão é importante a gente ser mais que a roupa. E é fundamental o corpo bom para usar o preto justo, curto, com babado, com decote ou solto, arquitetônico!  Chego ao fim do ano com uma espécie de revolução na minha cabeça com relação não apenas à moda, mas ao estilo de vida das pessoas que vivem as roupas e parece muito complicado postar, defender uma tese de uso de essa ou aquela peça, mas.... Ao ver Carine, descomplico.  Fico certa que meu rímel borrado não é tão errado assim ( MAC que o diga apostando em Carine). Que minha não disposição para pentear o cabelo também tem um fundamento. Carine é ícone e aparece assim de preto, linda e sorridente, esperando para entrar no desfile da Hermès, no começo de outubro, em Paris, como alguém absolutamente normal. Sem obrigações de uma elegância forçada. Reflito sobre sua existência ( da elegância forçada), mas ela existe sim e sigo em frente. Carine consegue ser natural com todas as grifes do planeta para usar.


carine
Bom de ver. Bom saber que nossa moda tem ela e Kate para gente se borrar, despentear, mostrar as pernas brancas, tortas ou o que quer que tenhamos em nossos bons corpos que se não seja perfeito, mas seja nosso.
É isso. 
Desculpem se não postei todos os dias. Não pude.
Essa semana cobertura do Fashion Rio.
Também no Rio previsto mais um workshop meu, vem????



Gros bisous
A+


Simplesmente Hermès Christophe Lemaire...

hermes
Era dia de desfile de Hermès no Jeu de Paume, um dos dois pequenos museus que ficam nas portas dos Jardins de Tuileries e de onde se tem uma das vistas mais fantásticas de Paris. O que me chamou a atenção nesse look, além da postura da menina com a roupa, foi sua despretensão total, suas cores e sua funcionalidade. Confesso que fiquei surpresa ao saber que era tudo Hermès por Christopher Lemaire. Confesso também que passei a gostar mais do trabalho dele, ainda mais que acabara de ver um excelente desfile.  Foi a terceira apresentação de Lemaire como sucessor de Jean Paul Gaultier na tradicional casa francesa e ele consegue imprimir um novo código, algo que foge daquilo que pretensamente deveria casar com a alma de tudo. Aqui a alma é o criador.  E a missão é a moda. Tudo certo. Amei. Olho nele e na Hermès daqui para frente. Confesso novamente que a saída de Gaultier tinha me deixado meio desorientada com relação à Hermès. Agora não mais. Meu coração volta a se interessar e querer mais. Amarelo? Uma boa cor para pensar em usar. Esse shape também. E as botas claras têm um certo ar de quase não usável, mas ficaram perfeitas.
Bisous
Sigo na saga dos looks
A+ 

Inspiração timidez em camuflado...

miniabe
Sempre cruzo por esse menino e acho ele um show. Não sei seu nome. Não é que não importe, mas minha timidez não me deixa ir além na intimidade dos meus fotografados, se bem que ele foi tão doce. Certamente teria descoberto algumas coisas sobre seu fashionismo, se eu não me preocupasse tanto com o respeito à privacidade. Mas não é apenas para falar disso que posto a imagem dele ( bien sûr!!!) Suas proporções são perfeitas. Ele usa e abusa dos tons vermelho, laranja. Aqui entra em camuflado, laranja, bordeaux. Amo essa brincadeira de comprimentos. E amo seu olhar puro, quase perdido entre seu amor pela moda e uma timidez, não menor que a minha. 
É a sensação do dia. 
É a sensação da moda e arte.
É a minha vontade de postar.
É minha saudade de Paris em temporada brasileira.
Amanhã mais um look.
Bisous
A+ 


Paris feeling's...Street Style 2012...

paralelo
No paralelo das imagens e sensações de 2012, a força dos orientais ensinando a não ter medo de misturas de épocas, comprimentos, cores, enfim, tudo. Se eles dominaram o mercado do fazer, se copiaram o mundo inteiro, bem, pois eles também ensinam a usar e ousar. Acredito serem eles os grandes vencedores do ano em matéria de ir além no fashionismo. Eles saem da lógica ( e sempre chique, equilibrada) ousadia dos europeus, principalmente os italianos com o domínio total na mistura de estampas e silhuetas, e partem para um campo onde não existe um senso comum, onde a gente pode entender a plasticidade, mas demora para sacar o objetivo principal. Crops, cores, texturas, tudo aqui para olhar e tentar decifrar. Decifra-me ou te devoro. É melhor tentarmos. Ao menos...
Gros bisous
A+
Bonne nuit
Amanhã mais um look...

Um look para apostar...

crop
Começo aquela habitual passagem pelas imagens que fiz em Paris. Meu olhar para sobre alguns. Uns mais que outros. São novos. Não exatamente, mas novos. A movimentação envolve novas épocas, não que inexistentes. Tem um ar flash dance misturado ao que se viveu ano passado. Tem listras anos 20 masculinas com sapatos Michael Jackson. Vamos demorar um tempo ainda para assimilar na integralidade essa bateria enorme de informações visuais que precisam ser pesquisadas. Voilà. O vento sopra forte no Sul do Brasil.
Eu acumulo saudades da França e mato vontades por aqui.
Tenho oito fotos no prelo para postar uma por dia essa semana. Cada dia uma sensação. Uma fagulha nova. É hora de limpeza na casa. É hora de pensar em 2013. Tempos para corrigir. O que vamos vestir? Muito do que tivermos vontade de inventar! Expresse-se. Moda é arte. Acredito.
Brad Pitt vende Chanel n°5. Moda é arte novamente. 
Merci
A+
Bisous

Paris Street Style 2012/13...Sensações... Elettra Rossellini Wiedemann, Giambattista Valli...

Vogueday6F2
Acabou a temporada de moda do ano, pelo menos as internacionais, agora tem toda essa função de Rio-São Paulo que eu não entendi bem e também não vou participar. Explico: depois de dez semanas de moda em 2012 posso dizer que vi tudo. Vi as cores, as tendências, os shapes, etc... A partir de uma observação profunda de tudo que gira a meu redor posso arriscar e acertar o que vai e o que permanece na moda. O vermelho nem foi e acabou ficando, assim como os cortes retos, as saias clássicas, os vestidos Dior ( apesar desse ser Valli, suponho) da era Christian Dior. A gente precisa do liso, mas precisa da estampa. Zebras, cobras ( que estão também na Gucci de 2013 e por isso continuam) são eternas na moda, apenas têm oscilações de papel principal e coadjuvante. Bem, mas eu amo essa foto que fiz para minha galeria da Vogue. Saída do desfile de Giambattista Valli. A bela Elettra Rossellini Wiedemann nem precisa explicar o look. Sua elegância é nata e seu olhar conta tudo sobre o quão importante é o casamento entre ser e vestir. Sou fã. Para mim, a It  everything é ela! 


degradê
Tudo também são os nipônicos. Para dar contrapartida a permanência dos secos, temos muitas calças e blusas soltas. Temos quimonos em forma de blusa. Coloque pantalonas. Use marrom com preto. É ordem desordenar. É ordem criar novas maneiras. É hora de sair das padronagens das misturas e de tantos pulseirismos, maxicolares, etc... Eles estão na órbita, mas esse look aqui também é mais.



É ordem um toque anos 50, algo que ligue o passado com o presente. É suave, não chega a ser brecholento. O povo fumaaaaaaaa muito, e o que podemos fazer? As campanhas anti-tabacos ficaram tão agressivas que acabaram por provocar um efeito rebote, creio.
Para os homens, as calças jeans sobem a cintura. A ideia de desarrumar, de fazer o anti-dandy também anda latejando. 

Bem, por hoje é isso. Tem sempre mais na sequência.
Acabo de chegar ao Brasil, depois de ter me safado do acidente com o avião da Tam. Explodiu a turbina direita com a gente dentro. Oui!!! Eu estava nesse vôo. Sabe o que pensei? Que ia morrer. De verdade. E pensei que tinha cumprido minha meta, apenas me faltou amar mais. É isso. O mais importante de tudo é a vontade, o amor que se põe no que faz. Ser blasé cai no anti-modismo. Para mim, pelo menos.
Gros bisous
A+

Comme des Garçons, Louis Vuitton, Paris Fashion Week trends 2013...

FLORES
Depois de alguns dias que a Paris Fashion Week terminou, finalmente recupero um pouco das forças para postar aqui no blog, mas no site da Vogue Brasil, minha coluna de street foi publicada todos os oito principais dias! Bem, começo agora a analisar o que vivemos e vimos no meio do furacão. Não foram pequenas as mudanças não, apesar de alguns modismos continuarem forte. Exemplo? As flores grandes e uma atitude mais cool com a roupa. O que isso quer dizer? Que o bling-bling arrefece mesmo, apesar da gente usar pedrarias, roupas coloridas, texturas barrocas e muita arquitetura nas silhuetas, existe uma economia na interpretação de tudo. Ninguém aguenta mais exageros ou prepotências, são tempos de crise, ok? Então, é ...


Seja leve, seja como uma nova Jane Birkin, seja francesa, parisienne, seja suave! Use vestidos trapézio, use meias finas, use sapatilhas... 

Mas...


COUROCOLORIDO
Use também peças de duas cores. Use detalhes de couro colorido. Violeta.

LOBO
Use camisetas de bicho. Eles podem ser brabos ou bem calminhos. A marca francesa Kooples tem uma série de estampas lançadas desde outras estações. Sucesso absoluto. Custam 70 euros, bem menos do que um dobermann da Givenchy...Custo-benefìcio baby... Para ter seu bicho em boa vibe...

COMME
Mas de tudo que vi nessa Fashion Week, o que mais impressiona é o sucesso da coleção da Comme des Garçons com suas silhuetas arquitetônicas. A roupa que não traz elegância, mas traz um conceito, uma historia, uma vontade de manifestar, um desejo de construir algo diferente que não o obvio. Vale marcar esse momento. É histórico, apesar de não ser novo. Outro assunto que volta a ser pauta forte é: a magreza das modelos. Chocante ver algumas. Mesmo.

Mais um take de Comme des Garçons, em versão florida. Aqui também um toque das gladiadoras, mal foram e voltaram em versão prata nos pés de Taylor Tomasi Hill. 
Aff como a dizemos na linguagem internética.
Fui.
Bonne nuit
Amanhã aula com alunas brasileiras que vêm para Paris. 
Tema? Tour em Paris comigo.
É minha versão da moda.
Depois conto.
Chic.
Bisous
A+


Paris Fashion Week streetstyle...


Apenas quem vive a loucura de uma Fashion Week sabe o que vou escrever agora: cores de todos os tons. Referências que vão desde o mini ao maxi total. Uma cidade em polvorosas e a gente aqui tentando absorver tudo. Tenho feito postagens diárias na Vogue Brasil ( veja aqui), por isso falho no meu amado Moda Paris. Não se pode tudo. Temos limites grandes de força e, na verdade, nesse momento o mais importante é acumular novas informações que vamos despejar lentamente ao longo dos meses de estiagem que teremos pela frente. 

Hoje, além de todo o burburinho dos desfiles fui ao lançamento da expo "O impressionismo e a moda" no Museu D'Orsay. A historia da moda parisiense é simplesmente contada em muitas imagens de artistas do acervo do museu e roupas do Museu Galliera. O Galliera permanece fechado faz algum tempo, mas o que fica guardado nele não. Essa mostra é um mergulho no movimento impressionista e nos costumes da época. Fica complicado explicar, mas eu vou tentar através das imagens que postei no Instagram. Me falta energia a essa hora da madrugada para contar tudo, sem errar!!! Amanhã cedo mais um desfile Chanel e tudo rodando incessantemente!!! 









Gente, eu realmente amo vocês, depois desenvolvo ou ao menos tento!
Gros bisous
A demain!!

Paris Fashion Week, Madalena, Balmain, Vogue Brasil...

E a correria é tanta aqui em Paris que fica mesmo é complicado de parar e blogar, mas não importa o quão cansado estamos ou se as máquinas todas pararam ou se temos as melhores festas do mundo para ir ( e muitas vezes não vamos!!!!!!). Temos que postar aqui e ali ( no meu caso Vogue.globo.com). E por aqui...tudo se define. O que vale é cabelo curto. Ser casto. Ser diferente. 



Ser ágil e fashion! Não complicar de jeito nenhum. Uma pegada mais além? Ainda não começou. Parece que todo mundo cansou de excessos. Até as mais abusadas ( isso a gente vai ver ainda, porque ainda não deu tempo de chegar nelas, apesar de Anna Dello Russo ter lançado sua coleção ontem na H & M, mas isso também é outra coisa e ela é hors-concours, então não conta)...

No fluo de uma foto e outra, segue o preto total na melhor opção que pode ser um tricô, uma calça de couro e uma cara "quase lavada". Uma Fashion Week vale por fazer, muitas vezes, a anti-moda das passarelas ou o presságio do que elas vão trazer em breve...


Temos vivido dias ligeiros. Dias de jeans! A camisa continua sendo nossa melhor companheira. Choveu muito!!!! Madalena usa para sair do desfile da Balmain. A ideia é uma calça de pregas mais seca e bolsas Givenchy ( o povo anda se batendo por elas!!!)...


Mas o povo se bate por muita coisa. Tudo para rolar um shooting ao natural... Ainda bem que existe o próximo post. E ainda bem que você pode ler o que eu escrevi e fotografei para Vogue Brasil. Vê aqui: Streetstyle day 2

Sigo em frente
Bisous
A+

Paris Fashion Week streetstyle prêt-à-porter verão 2013... Carine Roitfeld Fashion Book, Emmanuelle Alt, Rebirth...


Cheguei a minha décima Fashion Week do ano com o começo da mudança do blog e também com a constatação que um certo ar de luxo volta a pairar, mas sem muitos frufrus. Isso quer dizer que continuam as plumas e paetês, pero no mucho. Acho que a principal pegada é: ser exagerado até, mas sem ser insensível. Delicadeza. 

 As cores ainda são fortes, mas a ordem é se divertir com elas. Diversão com tudo! Um clima de fim de festa, afinal a turma começou em NY com o desfile nas ruas antes dos desfiles nas passarelas. Nada precisa ser tão levado a sério. Como sempre digo: é apenas mais um desfile, mais uma temporada. Por que se deixar deslumbrar com algo que é um trabalho incessante para toda uma turma que depende disso para viver???? Falando em moda: amo as pérolas! Amo as peles brancas contrastadas com os batons fortes. Tendência pura você fazer a pele pálida quase morta e colocar cor nos lábios. Morticia rides again.



Mas não apenas ela. Inúmeros personagens pipocam aqui e ali. O que vale é a interpretação. Pitada 70's continua sempre. É clássica até. Assim como os 50's que a gente viu nas passarelas da Rochas.



Voltando ao assunto ordem geral...




 Um bom exemplo dessa ordem das coisas é Emmanuelle Alt e sua simplicidade cada vez mais evidente. A editora-chefe da Vogue Paris anda cada vez mais sem adereços. Quando a conheci, usava saias curtas, cuissardes, jaquetas bordadas. Agora é puro trabalho e nada mais. Exemplo de que você pode chegar longe apenas com uma boa estratégia de network e zero afetação. Isso pode não ter a ver com moda, mas é uma questão de estilo. A atitude de Alt me impressiona, principalmente em um momento quando Carine Roitfeld acaba de lançar sua revista a CR ( falo mais no fim do post). A moda continua a dar espaço para todos os estilos, mas principalmente para as batalhadoras, mulheres fatais ( como Carine) ou não!


Bem, temos tudo mesmo. Panacéia total

Cabelos longos manchados, raízes marcadas, quando curtos, nucas desvendadas...



A boa da semana é...

Eu tenho a minha!

A capa do Fashion Book de Carine Roitfeld é de Bruce Weber e o tema é Rebirth. Nada mais propício para tudo. Carine volta com um time de fotografia, modelos e tudo o que tem direito em termos de roupas e ousadia para falar, entre outras coisas, do nascimento da neta. Julia ganhou uma menina chamada Romy em maio passado, fato que muda a perspectiva de vida de CR. 


O material é dos bons. Os temas vão desde crianças, passando por temas célebres franceses como a decapitação de uma rainha e...


Toda a permissividade sexual que a França tão bem sabe exportar. Sexismo sem vulgaridade=erotismo.


Bem, a semana apenas começa. Eu me esforço para não me perder no meio de tantas informações e, sinceramente? Deliro com o que vejo. Tudo pode rolar, menos a vulgaridade sem senso algum, menos o que é puro deslumbre, sem recheio, menos o que hoje não conta e nem nunca contou: a falta de valor real das coisas. A moda é uma grande ilusão? Até é para quem não pensa em números. Para quem não sacou que tudo isso tem hora para acabar é é tudo bem fugaz. Então o jeito é tentar entender as historias e ler nas entrelinhas tudo que se vê e absorve nesse momento. Para poder renascer como Carine fez. Para poder simplificar cada vez mais como Emmanuelle ou para querer simplesmente continuar a fazer parte desse mundo de vaidades, verdades e mentiras. Desculpe se estou filosofando, enquanto deveria estar publicando meu look du jour, mas é que ele é bem menos importante do que influenciar meus leitores a abrir a cabeça e entender que moda é apenas um tema a mais em nossas vidas. 
Voilà
Bisous 
A+

LinkWithin

Posts relacionados