Hot 2011...Azzedine Alaia, Carine Roitfeld, Giovana Bataglia, Sarah Rutson, Taylor Tomas Hill, Ulyana Sergeenko ...

Vogueturquia

Confesso que meu final de 2011 foi de um certo afastamento do que eu mais amo fazer: blogar. O Moda Paris completou cinco anos em setembro e eu, envolvida pelos afazeres que ele mesmo promoveu na minha vida, acabei sem comemorar aqui dentro. Mas tudo pode ser uma eterna comemoração, a paixão pela moda e mais que isso, pelos fatos que levam essas ou aquelas roupas virarem moda, me faz continuar sempre voltando e com mais intensidade ( por isso meus vivas eternos!!). Hoje decidi fazer um post com imagens que realmente marcaram e definiram os estilo de 2011 e vão certamente influenciar e muito 2012. Abro com o toque gipsy em um conjunto comportado. É a editora de moda da Vogue Turquia quem alia classicismo a esse toque cigano. Amo e acredito nessa volta. 

maxi1

 Outra influencia forte, mas não tanto a ponto de arrefecer em 2012 é o fluo e os shapes grandes. Ficou faltando mais em 2011. Elas usaram, mas foram tímidas nessa pegada, acredito que muito foi pela força das estampas e da mistura delas.  
A febre da mistureba total rolou até o final de setembro. A chegada do verão inesperado em pleno outono parisiense fez com que vivêssemos um descompasso de tendências. O que era para ter sido moda apenas no inverno ficou até metade do verão e o que era para ter sido hit no verão aconteceu nos primeiros dias de outono ( ahhh me repito!!! simmmm!! Minha cabeça tem eco e eu devo obedecê-la, mas você me entende, i know....)



taylor
Por isso, as camisetas molinhas, decotadas e simplérrimas jogadas com calças carregadas ( essa da Gucci), foram aparecer bem em conta-gotas, mas se Taylor Tomas Hill usou...significa que todas usarão....


sarah
Assim como o que Sarah Rutson usa é sinônimo de febre próxima. Ela apareceu muitas vezes com calças secas e estampadas na parte de baixo ( tem imagem minha no Miss V de novembro da Vogue Brasil com ela). Vale também o modelo todo seco estampado. Os motivos vão desde os bichos até os manchados e passam pelas flores. A liberdade é a chave.  Use com scarpin. Sapatos pesados não funcionam. Se não gosta do modelo ou é como eu: tem pernas grossas, pule essa e passe em frente!! Tem muita coisa para gente se apegar!!!



olenka1
Mesmo com tantos excessos ( inclusive e sobretudo a obsessão de aparecer da chamada Federação Russa composta por Ulyana e mais três garotas), o minimalismo acabou aparecendo. Ulyana Sergeenko não perdeu a onda. A determinação das russas em passar boas mensagens de moda as fez serem ditatoriais em suas múltiplas escolhas. Confuso não? Pois é assim que elas são. Atiram por todos os lados. Você vai me entender logo logo...


estrela
Fora a pressão russa, rolou e muito o passo zen das meninas nipônicas.Elas ensinaram coisas simples como carregar um singelo vestido de estampa estrelada. Sem frescuras, mas com um bom jeito de usar um chapéu pesado em dia escaldante e, mesmo assim,  parecer absolutamente fresca. Amo essa magia de transformar algo pesado em leve. Alquimia.


franjas



Mas o ano teve muito mais coisas para gente se inspirar e pensar em usar e arquivar no pensamento para continuar a amar ( tudo contunuamente, numa tentativa minha de "Saramaguear"...) Franjas e mais franjas. Tivemos uma apachemania generalizada. Ela foi dos brincos de penas aos vestidos estilizados.

Ainda mais 1...

giovannabataglia

A gente viu muitas imperativas e lindas mulheres movendo as tendências. Da parte italiana, Giovanna Bataglia desvendou coisas incríveis, inclusive os tons telha alaranjados e as diferentes formas de portar bijoux...


russas
Ainda da ala russa, Anna Perminova introduziu as forma simples com os blusões metalizados da Isabel Marant...



Ainda mais 2...



preto


Rendas pretas com toques de transparências. Sapatos masculinos!!!!! Verniz!!!

olenka


E o contraponto de Ulyanna com o excesso de tecido em uma proposta gala para um desfile da Dior.  Os vestidos-tutus apareceram algumas vezes. É uma ideia. Serve para quem é bem magra e para as pequenas. Entendeu por que eu falei a confusão? São muitas versões da mesma mulher. Ela faz de seu corpo um laboratório de pesquisas de uma forma russa de se vestir. É um personagem marcante da Paris Fashion Week. 


cobra
Marcante também foram as cobras. Eu acabo de ganhar um cinto de serpente de verdade. Presente vindo do México para mim. Terei coragem de usar? Je ne sais pas. Enfim, amo cobras. Tenho estampas, anéis e agora esse cinto desafiador. 


Boys na linha...

mens1
Quando tenho que recomendar um look lindo para um homem: sempre lembro dessa imagem. Perfeitamente elegante. Não falta absolutamente nada, falta?



maninparis1

Hummmm, talvez uma camisa com detalhe de cashemere e um jeans meio desbotado com Ray-ban. Dois looks ( e homens...) para amar...

classica

Indo em frente nessa maratona de revisitas: teve classicismo puro. Amo. Sempre se usa. Sempre se precisa de um conjunto Dior. É sempre mesmo. Tem gente que pensa que esse tipo de roupa envelhece. Discordo. A forma como você se comporta com ela é o que determina os anos que você ganha. O rabo-de-cavalo garantiu a eterna juventude dessa imagem. Love. Love. Love.

all

Calça ou saia? Justa ou larga? Curta ou longa? Foi o ano de usarmos absolutamente tudo. Aprecia a imagem e entende o que eu falo. Cada um na sua escolha. Tudo muito bom! 

bolas


E algumas modas eram para ter emplacado, mas acabaram empacando na questão estética mesmo. As bolas das meias funcionam bem? A gente vê e percebe que seria mais elegantes sem elas. Bolas de sabão. 


metal

E fechando o post do final do ano, dois toques para 2012: os metálicos em modelos mais clássicos. Lindos e coloridos. Não vou perder essa. 

azzedine
E o modelo quem não se cala: a sandália de Azzedine Alaia que Carine Roitfeld usa e re-usa em muitas versões ( clara, escura, camurça, machetada, com furinhos, etc...) é desejo meu total e também de toda fashionista que se preza. Leia matéria na Vogue Brasil sobre ela clicando aqui
Essa não tem ano para datar. É um It-shoe absoluto do século 21.
Merci a todos meus leitores ocasionais e fieis de hoje e sempre. 
O ano foi perfeito com a presença de vocês.
2012 chega com a minha cobertura do Fashion Rio para o site da Vogue Brasil.
Fico aqui também. 
Mais uns dias volto para Paris e cubro masculino e alta-costura.
A maratona apenas recomeça.
Amo vocês.
Mille merci por tudo que vocês têm me ajudado a conquistar.
Um jornalista não é nada sem o apoio de seus leitores. 
Obrigada por me ajudarem a ver a vida cada vez melhor.
Feliz 2012 a toda humanidade. 
Precisamos todos compartilhar esse desejo.
Bisous
A+
Ana 

Vontades, apostas, realidades...Catherine Baba...

vermelho2
A melhor coisa que a moda pode me ensinar é a mudar de ideia sempre com relação a cores, estampas, formas, enfim...a passar a gostar do que eu dizia que não gostaria. Tudo bem que isso é meu gosto pessoal e ele não deveria interferir em meu trabalho como jornalista, verdade? Nunca. Os pensamentos que a gente prega tem que ser reais, não realistas totais, porque a gente precisa sonhar, mas fieis aos nossos principios. Por isso, mudo o tempo todo. Agora é a vez de eu declarar meu amor aos brincos exagerados com toque indiano e ao laranja-avermelhado. Explico: ganhei uma blusa esse ano. Ela é laranja. Ao ver uma foto minha com ela, percebi o quanto aquele tom me deixou bem. Percebi nas minhas andanças que é uma grande cor! A aposta nesses tons são ótimas para vida. Moda ou não. 

The best thing fashion can teach me is to always be changing my mind about the colors, patterns, shapes... start liking of what I was used to say I didn't. Obviously that's my personal taste and it should not interfere in my work as a journalist, right? Never. The thoughts we preach must be real, not totally realistic, because we need to dream, but faithful to our principles. So, I change all the time. Now it's time for me to declare my love for exaggerated earrings with an Indian touch and reddish-orange. Let me explain: I got a top this year. It is orange. Seeing a picture of me wearing it made me realize how much that tone looked good on me. I noticed in my travels that it is a great color! Indulge in these tones is great for life. Trendy or not.

vermelho
Nessa maré orange-rouge as misturas possíveis embaladas pelo corpo seco de Catherine Baba. Não lembro se eu já tinha usado essa imagem, mas isso é uma recapitulação-balanço do ano, então vale mesmo. Aqui uma boa dose de apreço a sobreposição de cores. É o mais-além que sempre Catherine faz. É isso que me ensina a mudar. O ver quem arrisca sempre. Arriscarei!




Following this orange-rouge line note the possible mixtures packed in Catherine Baba's skinny body. I do not remember if I had used this image before, but this is a recap-balance of the year, so it worksHeres a good deal of appreciation to color overlay. It is the overly-achieving that Catherine always does. This is what teaches me to change. To watch who always dares. I will dare too!





Bisous
Menos de um mês para voltar para Paris
Menos de um mês para cobrir Fashion Rio para Vogue Brasil. 
Menos de um mês para postar mais valores do final de ano...
A+




Bisous
Less than a month to return to Paris
Less than a month to cover Fashion Rio for Vogue Brazil
Less than a month to post about end-of-year values...
A+

Translation: Juliana Ogliari

Descomplicando o verão...

Adelaide
De passagem por Belém, onde dei palestra, consultorias e me diverti muito, uma paradinha para almoçar com minha amiga Adelaide Oliveira. Musa de André Lima, a jornalista é do tipo de mulher que você olha e pensa em como ela, de uma maneira tão simples, consegue resolver seu look de verão. E sempre que a encontro vejo e penso como é bom ver a moda tão bem resolvida. Simples simples simples. Lindo! 
Bisous
A+





LinkWithin

Posts relacionados