Galliano, Dior, Perle...



Poucos dias antes da Dior apresentar sua coleção outono-inverno 2011/2012 a bomba que deixa todo mundo pasmo: John Galliano se envolve em uma confusão envolvendo antissemitismo. Resumindo os fatos que todo mundo deve ter lido nos jornais do mundo inteiro. Galliano teria agredido verbalmente um casal com frases contra os judeus. Em meio a confusão acabou todo mundo na delegacia. O estilista estava embriagado. O bar era o la Perle, um lugar super bem frequentado do bairro Marais, famoso por ser fervido por homossexuais e também por ser a casa judaica em Paris. Resumindo, o Marais é amigavelmente dividido por moradores e comerciantes judeus e, na década de 80, passou a ser frequentado por homossexuais que ou moram ali ou se divertem nos inúmeros bares e boates que existem na região.
Enquanto escrevo solto algumas imagens que fiz em muitos desfiles da maison que fui. Fotos de clientes, modelos, Galliano....  

A few days before Dior presents its 2011/2012 fall-winter collection the bomb that got everyone astonished: John Galliano got himself in a hubbub that involving anti-Semitism. Recapitulating the facts that everyone must’ve read on the newspapers around the world. Galliano supposedly verbally attacked a couple sayig sentences against Jews. In the middle of the tumult everyone ended by the police station. The designer was drunk. The bar was the la Perle, a highly frequented bar on the Marais district, famous for getting hot by homosexuals and also for being the Jew place in Paris. To abbreviate, the Marais is amicably divided by Jew citizens and merchants and, in the 80’s, happened to become frequented by gays that or live there or have fun on the countless bars and clubs that are on that region.
While I write I release some Images I’ve made in many shows by the maison that I went. Pictures of clients, models, Galliano…
 

Indo em frente. Na sexta-feira a maison Dior afastou Galliano de suas funções até que seja esclarecida a verdade. Se o estilista for julgado culpado pode pegar até seis anos de prisão e mais 25 mil euros de multa. Na mesma sexta-feira, um dia depois da confusão no Perle, Galliano contra-atacou registrando queixa contra o casal o qual ele teria agredido por calúnia e difamação. Também nesse dia, alguns funcionários do Perle prestaram depoimento a favor de Galliano.

Let’s get it on. On Friday the Maison Dior dismissed Galliano from work till the truth is out. If the designer is found guilty he can spend six years in prison plus a fine of 25 thousand Euros. On the same Friday, a day after the Perle hubbub, Galliano fired back pressing charges with a complaint against the couple that claimed he insulted them for slandering and defamation. On the same day, some Perle employees beared testimony in Galliano’s favour.
 


Se ele for absolvido, ou seja, for provado que ele foi vítima, o que é possível de ter acontecido também, tudo fica normal e a gente não perde um dos maiores gênios da nossa moda! Bem, estou escrevendo esse post a pedidos. Vou contar um pouco do que sei do comportamento de Galliano, que também não é muito, por ser baseado em fatos contados por outras pessoas. Mas vamos nessa: Galliano frequenta sempre o mesmo bar no Marais. Faz muito tempo que  escuto amigos contando que ele fica sozinho em uma mesa bebendo, quietinho, na dele. Acho estranho ele agredir alguém por ser judeu, por que o Marais é um bairro muito mais judeu do que qualquer outra coisa. Então é mais fácil aceitar que ele estava fazendo uma brincadeira de mau gosto com gente que o cutucou em seu secreto canto no bar do Marais. 

If he gets absolved, that is, if it’s proved that he was a victim, which is also possible to be the case, everything gets back to normal and we don’t lose one of the biggest genius of our fashion! Well, I’m writing this post on request. I’ll tell a bit what I know about Galliano’s behavior, that’s also not that much, as is based on facts told by other people. But let’s get it on: Galliano hangs out at the same  bar on Marais. It’s been a while that I hear friends saying that he stays there by himself on a table drinking, quietly, on his own. I find it weird that he would attack someone for being Jew, as Marais being a Jewish neighborhood more than anything else. So it’s easy to accept that he was making a bad taste joke with people that poked him on his secret spot at the Marais bar.
 

Galliano não gosta de se misturar muito. É quieto. É conhecido pelo cordão de isolamento que o cerca depois de suas monumentais apresentações, tanto para a alta-costura quanto para o prêt-à-porter. Apenas quando fez desfiles na sede da maison Dior é que o estilista pode ser visto de perto e fotografado. Vide imagens que publico hoje nesse post. Nas outras vezes, ele aparece sempre cercado de seguranças. Quem trabalhou na Dior fala que, mesmo no backstage, Galliano se isola. Certa vez, em uma das entrevistas que fiz com um dos artesãos da Chanel, não lembro agora se era Raymond Massaro ( sapatos sob medida) ou François Lesage ( bordados), um deles me contou que Galliano não falava francês bem, mesmo depois de tantos anos morando em Paris e que não havia contato direto com ele. Quando o estilista queria encomendar ou tratar de uma das tantas peças que encomenda desses mestres, era através de assistentes que se comunicava. Diretamente nunca. 

Galliano doesn’t like to mingle much. He is quiet. He’s known by the cordon that surrounds him after his monumental exhibits, as so to the haute couture as to ready- to -wear. Only when he performs at the Maison Dior headquarters is that the designer can be seen up close and photographed. As seen in images that I disclose today in this post. On the other times, he shows up surrounded by security guards. Who’ve worked on Dior says that, in the same backstage, Galliano isolates himself. At certain time, in one of the interviews I did with one of Chanel’s craftsman, I don’t remember now if was Raymond Massaro ( made to order shoes) or François Lesage ( embroideries), one of them told me that Galliano didn’t speaks French well, even after years living in Paris and that there was not direct contact with him. When the designer wanted to order or talk about one of the many pieces that he orders from this masters, it would be trough assistants that he would communicate. Never directly.
 

Sobre sua relação com as mulheres: agora apareceu um outro vídeo onde Galliano (visivelmente embriagado e também sozinho em uma mesa quem sabe também do Perle) ofende uma meninas que o incitam e recebem de volta algumas declarações fortes. 

About his relationship with women: now that there is another video showing up where Galliano (visibly intoxicated and also alone on a table that who knows is also on the Perle) insults some girls that provoke him and get harsh statements back on them.
 

O mais curioso é que, depois que eu vi o vídeo, telefonei para uma amiga que mora aqui em Paris e conhece melhor do que muitos a vida dos estilistas. Ela disse: "ele tem mania de dizer para as mulheres que elas são feias". Voilà uma das frases que Galliano profere na gravação.

The curious aspect of it is that, after watching the video, I called a friend that lives here in Paris and knows quite more than the average about the designers lives. She said: ”He has this habit to tell women they are ugly”. Voilà, that is one of the sentences that Galliano says on the recording.
 


E por fim, tendo como imagem uma das maravilhosas criações da alta-costura inverno 2011 desse artista que merece atenção quero dizer: eu acredito que possa ser tudo um grande mal-entendido. Quero pensar assim. Que ao frequentar sempre um lugar em que se sente em casa, Galliano fez brincadeiras de péssimo gosto, conhecidas por todos e se deu mal. 

And to finish, having as image one of  the exquisite creations on 2011 Winter haute couture from this artist that deserves attention, I want to say: I believe  that this might be a great misunderstood. I want to think that way. That when hanging out in a place that feels like home, Galliano performed bad tastes jokes, known by all and it didn’t work well.

Quero pensar: um homem de sua grandiosidade, que revolucionou a moda da Dior produzindo tantas coisas inspiradas em grandes capítulos da história da humanidade não pode ser tão desumano. Não creio. Faço como Roberto Cavalli que declarou estar ao lado do criador. Acredito em miragem e também em arapucas. Talvez do alto de seu ego, de sua solidão e de seu poder de criar coisas tão belas, o mestre tenha esquecido que é humano e, portanto, passível de erros e besteiras como qualquer mortal.

I want to think:  a man of his grandiosity, that revolutionized Dior’s fashion manufacturing such inspired things on great humanity chapters of history can’t be that much inhuman. I don’t believe so. I do as Roberto Cavalli that stated that he is on the side of the designer. I believe in mirage and also in traps. Maybe from the height of his ego, of his loneliness and of his power to create such beautiful things, the master must’ve forgot that he is human and, therefore, liable to mistakes and nonsense as any human being.


Amanhã começa a Paris Fashion Week.
Fica ligado por aqui e pelo site da Vogue Brasil.
Eu vou para o front. 
Tomorrow begins Paris Fashion Week.
Stay tuned here and on Vogue Brasil web site.
I’m headed to the front.
 
Bisous
A+
XX





Translation by Juliana Cintra Mercadante
juliana.cintra@uol.com.br
 

Miss Dior Chérie por Sofia Copolla com Natalie Portman...


Adorei ver a nova pub de Miss Dior Chérie feita por Sofia Coppola com Natalie Portman. Amo essa atriz. Não vi Black Swan por amar tanto seu papel em "Closer" que ainda prefiro ficar com aquele papel no cinema...
Bem, hoje é sexta e é dia de não cumprir regras, fazer as coisas um pouco diferentes. Em Milano a moda ferve. O Style.com tem uma Photo Wall onde eles publicam quase que simultaneamente as imagens dos maiores desfiles. Prada arrasou ontem. Depois eu comento. Aqui preparativos para começar Paris...

I loved the new Miss Dior Chérie ad by Sofia Coppola with Natalie Portman. I love this actress. Did not see Black Swan for loving so much her role in “Closer”, that I still rather stick with that role on cinema…
Well, today is Friday and is a day to not keep rules, do things slightly different. In Milan fashion boils. Style.com has a Photo Wall where they publish almost simultaneously the greatest shows’ images. Prada ruled yesterday. I’ll comment it later. Here arrangements to start Paris...



Dica de cinema? Somewhere da Coppola. Muito bom!!!
A movie tip? Somewhere by Coppola. Really good!!!
 






A e sobre a música da publicidade de Dior. "Je t'aime, moi non plus" de Serge Gainsbourg, um dos maiores artistas que a França teve, pai de Charlotte Gainsbourg, musa da Balenciaga e ex- de tantas mulheres lindas como Brigitte Bardot e Jane Birkin (apenas duas das mais importantes. Gainsbourg namorou bem mais que elas...)

Ah, and about the music on Dior ad. "Je t'aime, moi non plus", by Serge Gainsbourg, one of the biggest artists that France had, Charlotte Gainsbourg’s dad, Balenciaga’s muse and the ex- of so many gorgeous women like Brigitte Bardot and Jane Birkin ( only two of the most important. Gainsbourg dated much more then they…)
 


Com Birkin: 
With Birkin:




Com Bardot: 
With Bardot: 
 



Bon Week end!!



Translation by Juliana Cintra Mercadante
Juliana.cintra@uol.com.br

Amanda Lear, Carine Roitfeld, John Galliano, Kate Moss, Gucci, Sara Battaglia...

carine
Ontem à noite resolvi enfim ver a última edição da Vogue Paris sob o comando de Carine Roitfeld. Em um editorial rápido e emocionante, a francesa deu seu recado a Jonathan Newhouse ( chefão da Conde Nast e patrão de todos!!!): "Obrigada por ter deixado eu me expressar com toda a liberdade". Disse tudo não? Acabou a liberdade -dizem que a queda de Carine foi uma repressão. Um cortem-lhe a cabeça vindo a pedidos da LVMH por não ter dado a edição de dezembro a eles e sim a Tom Ford)- acabou a missão. Nas páginas nada de nudez ou provocação. Muitos anúncios e algumas matérias interessantes como um perfil de Haider Ackermann, o estilista que Lagerfeld confessou ser o cara que ele gostaria que fosse seu sucessor quando ele morrer. " Meu contrato com a Chanel é para toda vida". Apenas para cortar boatos de sucessões com Karl a todo vapor como ele ainda parece estar...

Last night I decided to at last take a look at Vogue Paris’ last edition under Carine Roitfeld’s direction. On a quick and emotional editorial, the French left her message to Jonathan Newhouse ( Condé Nast big boss and employer of all!!!):” Thanks for let me express myself with such freedom”. She said it all, didn’t she?. The freedom is over- it’s said that Carine’s fall was a repression. A beheaded done by LVMH’s request for not giving them but to Tom Ford the the December issue)- the mission is accomplished. Nor nudity or provoking on the pages. Lots of ads and some interesting articles as a Haider  Ackermann’s profile, the designer that Lagerfeld confessed to wish to be the one to be his heir when he dies. “ My contract with Chanel is for life”. Only to shut the succession rumors with Karl at full speed as he seems to be…

E também...
And also...
 
SARA

A dica da bolsa da Sara Battaglia que a gente viu no post que eu fiz com a Giovanna. Agora eu entendi tudo. Ninguém é bobo de não aproveitar tamanha exposição na mídia mundial. Giovanna divulga o trabalho da irmã, assim como Carine faz com as camisas do marido e o trabalho dos filhos. Não tem outro jeito de se manter no mercado de trabalho hoje? Tem, claro que tem. A extrema competência, mas não é garantido. As fórmulas da italiana Sara e da francesa Carine são mais eficazes. Além do mais, elas também são boas no que fazem.

The tip on the Sara Battaglia’s bag that we saw on the post I did with Giovanna. Now I get it all. One is not silly to take advantage of such exposition in a world-wide media. Giovanna publicizes her sister’s work, just as Carine does with her husband’s shirts and her children’s work. There’s not a different way to keep in business nowadays? There is, of course there is. Extreme competence, but it’s not infallible. The formulas by the Italian Sara and the French Carine are much more effective. And besides, they are also good in what they do.

A personagem...
The character...
 
Amanda
Para fechar o assunto Vogue Paris por Carine Roitfeld, a imagem de Amanda Lear. Foi namorada de David Bowie, mas é mais conhecida pelo romance acirrado que teve com Salvador Dali e sua mulher Gala. Ménage à trois de verdade. O tempo passou e Amanda é musa de Riccardo Tisci que também é queridinho de Carine e virou amigo de Karl. Panelão geral, mas no que concerne a Amanda, ela é realmente alguém que merece um bom capítulo no movimento de arte de uma parte do século 20. Hoje continua afiada. É figura frequente nos desfiles. Vou fazer um portrait dela, assim que tiver oportunidade. 

To end the subject Vogue Paris by Carine Roitfeld, Amanda Lear’s image. She once dated David Bowie, but is better known from her obstinated love relationship with Salvador Dali and his wife Gala. A real threesome. Time goes by and Amanda is Ricardo Tisci’s muse that is also Carine’s beloved one and turned out as  Karl’s friend. Quite a plot, but in what relates to Amanda, she is truly someone that deserves a good chapter as part of the 20th century art movement. She is still sharp nowadays. An assiduous character in fashion shows. I’ll make a portrait of her, as soon as I get the chance.
 


Milano Fashion Week...

E a Gucci entrou de pé forte nos anos 70, assim como esperavam os especialistas. Discussões à parte, se é ou não é cópia de Yves Saint Laurent ou se Marc Jacobs fez na coleção de verão, a questão é que vende. E se vende é para fazer. Funcionam as cores que estão nas ruas. E super funcionam as fendas e as transparências, os chapéus e as peles coloridas. A única coisa que não funciona mais é a saia abaixo do joelho. A mulher de hoje não curte mais. Não precisamos mais desse recato. Ou não queremos. 

And Gucci hit strongly in the 70’s, just as the experts hoped so. Quarrels a part, if is or isn’t a copy of Yves Saint Laurent or if Marc Jacobs did it in the summer collection, the point is that it sells. And if it sells it is made. The colors that are on the streets work. And really work the slits and transparencies, the hats and the colored furs. The only thing that doesn’t work anymore is the bellow the knee skirt. Today’s woman doesn’t dig it anymore. We don’t need this modesty no more. Or we don’t want it.
 


Alberta Ferretti também nos 70's, mas coleção completamente diferente da Gucci. Adoro tudo isso. As túnicas com cuissardes são para as magras. Quem quer entrar na mesma batida, mas tem pernão, troca por calça seca. E sim, as saias bemmm longas, essas ainda ficam e tem público. Itália tem design forte, mas pensa muito no $$$$$$$. Para que serviria a moda, se não fosse para vender? Seria somente arte. Nossos maiores artistas têm dificuldade em vender. Exemplo? Lacroix, Gaultier ( que se sustenta por vender perfumes e fazer coleções para outras marcas. Vide Levis, etc...)...

Alberta Ferretti also into the 70’s, but with a completely different collection from Gucci. I loved it all. The tunics with cuissardes- over the knee boots- are for the skinny ones. Who wants to step in the same trend, but has strong legs, switches it for a skinny lwg. And yes, the really long skirts, those are still in and have an audience. Italy has a strong design, but thinks  a lot about $$$$$$$. What would be the use of fashion, if not to sell? It would be only art. Our biggest artists find it hard to sell. Example? Lacroix, Gaultier ( that support himself with the sale of perfumes and designing other brands collection. Like Levi’s, etc…)
 

Ela vende!!!
She sells!!!


Previsto para dia 7 de março o lançamento do filme da Longchamp com Kate Moss como estrela. 
Anotado que vai ser um movimento total na Fashion Week com Kate por aqui. Ainda mais agora que é confirmado quem vai fazer seu vestido de noiva:  John Galliano. Apenas não sei se é Galliano por Galliano ou Galliano por Dior. Como Kate é estrela do batom da Dior, pode ser que ela venha também ao desfile. A saber... Quando ela entra tudo balança. É a que mais causa frisson nos fotógrafos. Ever

Expected to March 7th the launching of the Longcahamp movie starring Kate Moss.
Registeredon the Fashion Week that it will be a total stir with Kate around here. Even more that now is confirmed who is going to make her wedding dress: John Galliano. I only don’t know if is Galliano by Galliano or Galliano by Dior. Because Kate is the star of Dior’s lipstick, she might also come to see the show. That means…when she arrives everything trembles. She is the one that causes more frisson among the photographers. Ever.

Minhas imagens...
My images...

BLOGquinta
Os anos 70 são e pronto. Aqui alguns exemplos reais de como a moda é forte no dia-a-dia. Fotos feitas no dia do desfile masculino da Lanvin, mês passado. Tudo que é lenço rola. Tudo que brilha também. Não é bling-bling. É mais cool

The 70’s are and that’s it, period. Here some real examples of how fashion is strong on a daily basis. Pictures done on the day of Lanvin’s men Fashion show, last month. All kind of scarfs rules. All that is shine as well. It’s no bling-bling. It’s way cooler.

Karl, Hogan, Baptiste e Madaglena, viram????
Karl, Hogan, Baptiste e Madalegna, have tou seen it????



E a música setentinha também toca nas rádios, SEM PARARRR! 
And the 70’s music is also playing on the radios, NONSTOP!
 

Bisous
A+
Paris 12°C
Dia de camisa de seda com casaco (falso? Verdadeiro???) de pele!!!

Kisses
Day to wear silk shirt with fur coat (fake? Real???)!!!






Translation by Juliana Cintra Mercadante
juliana.cintra@uol.com.br
  

Giovanna Battaglia...Sara Battaglia bag's...

GiovannaBatagliapelesBAIXA

Para fechar o círculo dos casacos de peles (que imitam) estampas de Onças ou Leopardos uma imagem fresquinha e exclusiva da Giovanna Battaglia para a Vogue Brasil. Fiz no dia do desfile da alta-costura da Chanel. Giovanna com cabelos lisos também arrasa. E a bolsa Sara Battaglia?  Amei tudo aqui, mas infinitamente o colar. Por vezes,  o detalhe me pega. É um colar que muda tudo. Desengessa o look. Outra coisa: é bom explicar a diferença entre a pelugem entre Onças e Leopardos. Embora sejam muito parecidos, eles apresentam características que aparecem para quem os vê de perto e em detalhes bem pontuados: pintas e rabo. Um tem a pinta mais definida. O outro mais borrada.  Diz que em Angola, Leopardo é chamado de Onça...E diz que ele tem rabo comprido. Onça não. Na moda, a gente meio que mistura, mas não é igual, para não fazer gaffe, como se diz em francês... 
To end the fur coats circle (that simulate it) of leopard and jaguar prints a fresh and exclusive image of Giovanna Battaglia to Vogue Brazil. I did it on Chanel haute couture fashion show. Giovanna with straight hair also rules. I loved it all here ( also the bag Sara Battaglia), but immeasurably the necklace. Sometimes, the detail gets me. It’s a necklace that changes everything. Unplasters the look. Something else: it’s good to explain the difference between leopards and jaguar fur. Although it is quite similar, it shows characteristics that turn up for those who see it close and on precise details: spots and tail. One has more defined spots. The other its quite blurred. It’s said that in Angola, leopard is called jaguar…and it’s said that it has a long tail. Jaguar doesn´t. in fashion, we kind mix it all it’s not the same, so that you don´t make a faux pas, a gaffe, like we say in French…
 

Achei na internet essa boa explicação: " onça-pintada (Panthera onca), também conhecida como jaguar, é o maior felino das Américas, enquanto o leopardo(Panthera pardus) pode ser encontrado em praticamente toda a África e em boa parte do continente asiático. "Ele é um dos felinos com maior distribuição geográfica pelo planeta", diz a bióloga Mara Marques, da Fundação Parque Zoológico de São Paulo. 
I found on the web a good explanation: “ The Panther onça, also known as jaguar, is the biggest feline of all Americas, while the leopard can be found practically all over Africa and in a good share of the Asian continent. It’s one of the felines with largest geographic distribution in the planet”, says the biologist Mara Marques, from the Sao Paulo Zoo Park Foundation.
 



Voltando ao look de Giovanna: très anos 70. Em Ny eles apostaram na predominância dessa influência. Na vida real ele é total +, mas não a única.
Semana que vem começa a Paris Fashion Week, enquanto ela não chega, espio todos os desfiles na cobertura do Style.com.
Quando gosto muito de algo puxo para o blog.
Back to Giovanna’s look: quite 70’s. In NY they bet on this trend influence. On real life it is total +, but ain’t the only one. Next week begins Paris Fashion Week, and while it doesn’t comes, I spy all the fashion shows on Style.com coverage.
When I quite like something I post it here on the blog.




O clima também é 70 na Nova Planet. Toca direto. Som de 1972...ADORO!!!
There’s also a 70’s mood on New Planet. It’s on nonstop. 1972’s sound…LOVE IT!!!


Bisous
A+
Paris 9°C.






Transltion by Juliana Cintra Mercadante
juliana.cintra@uol.com.br

Bon Week end! Fashion and fun!

fun

Deixei guardada essa imagem de como começa a paixão por moda para um momento relax. Esses dias, ainda aqui no blog, eu mostrei o outro extremo da moeda: uma linda senhora com um casaco animal print. Hoje é uma linda menina. Orientada pelos pais? Pode ser, mas a prova é que, se a dose não for exagerada, a paixão e o incentivo à moda pode ser muito leve, fofo e divertido. O bom é que a época favorece um mesmo look ( com adaptações, obvio!! Criança de salto nunca!!!) para todas as idades. Très democratic. Nem tanto ao jardim de infância, com uma vestimenta infalizada demais, mas também nem tanto ao apelo de tentar um vestir uma criança de adulto. Aqui a dose é perfeita. 
O bom é que essa receita ela vai poder usar durante muitos e muitos anos. 
Bisous
Paris com chuva 6°C.
Faltam poucos dias para a Fashion Week começar. 

Ah! O som do inverno?

Um desejo de todas as coleções que vi até agora entre NY e Londres?

Jaeger London...Cores, comprimentos, o tal do crash da cor: Adoro. 
Adoro também a sandália com meias. 
E vibra um rosa quase laranja. Acid. 
Re-bisous! 

Blue style 2011...




Se tem uma cor que pulsa forte é o azul. Índigo. Invente algo para colocar em suas produções. É cor que ajuda no inverno. Ao contrário do vermelho, outra das cores da hora, não cansa o olhar. Pode ser em muitos tons. Pode ser em um foulard. Pode ser em uma calça harém. Elas também orbitam again and again.
Bisous
A+
Paris 6°C com um sol divino. 
Não vamos mais ter neve.
A lua é cheia. 
E os passarinhos começaram a cantar. 
Poético? Sim. Viver em Paris pode ser como em um filme, um poema, um romance. 



Eu agora me embrenho no mundo de Mario Vargas Llosa em "Tours e détours de la vilaine fille".
O cenário é familiar: Paris.
Re-bisous

Ana 

Céline, Valentino, Miu Miu, campanhas 2011. Freja Beha, Daria Werbowy, Stella Tennant, Juergen Teller...




Enquanto a moda rola solta em NY e eu espero para ir fazendo alguns comentários por aqui, fico curtindo as campanhas de primavera-verão 2011. O meu info-hunter Dino enviou semana passada algumas campanhas, mas confesso: a gripe me tirou quase a vontade de trabalhar e, e alguns dias, tive que priorizar os dead-lines impressos que tenho. Não se vive apenas de blog, talvez seja essa a grande diferença entre blogueiros e jornalistas que têm blogs. Os blogueiros encontraram um jeito de ganhar a vida com uma atividade nova que, se for voltada para o lado comercial, pode render bons frutos. Para os jornalistas, os blogs são veículos onde nos aproximamos com mais espaço e liberdade de nossos leitores. É onde nos libertamos das amarras dos caracteres contados que tanto prejudicam o total esclarecimento de nossas ideias. Bem, voltando. Palavras do Dino: 

"Valentino continua clássico e atemporal. Dessa vez nada de modelos seminuas como na última campanha, agora a pegada é outra mais feminina,romântica com Freja Beha e as new faces Julia Saner e Caroline Brasch-Nielsen.Foco nos sapatos e bolsas que já estão rolando no seu blog.As imagens são do David Sims"



Sobre a Nova Era Valentino, escrevi uma coluna publicada domingo passado na Gazeta do Povo.
Ei-la...


Para visualizar maior, clique em cima da imagem!

Em frente...



"Miu Miu com direção de arte de Giovanni Bianco reflete o mesmo clima do desfile com Sasha, Querelle e Kaisa numa sala de espelhos com as roupas e acessórios vistos em vários ângulos. A Miu Miu entra no mundo dos curtas e mostrará uma série de vídeos dirigidos apenas por mulheres o primeiro é The Powder Room dirigido por Zoe Cassavetes com as modelos sussurrando segredos e confissões enquanto passeiam pela sala usando os looks do verão 2011 incrível e misterioso", conta Dino.  








O vídeo:


Miu Miu
Modelos: Sasha Pivovarova,Querelle e Kasia Struss
Fotos: Mert Alas e Marcus Piggott
Direção de arte: Giovanni Bianco

 Céline...







E para finalizar, a campanha da Céline com Stella Tennant e Daria Werbowy. A temporada marca a volta de Stella Tennant.  No desfile de alta-costura da Chanel ela foi uma das atrações, aos 41 anos. Fala-se muito nisso: na beleza das mulheres mais maduras. Tem espaço para todas as idades no mercado. Isso é uma marca desse começo de década do século 21. Maravilhoso. O que seria da moda se continuasse a rolar apenas um padrão de corpo, idade e beleza? Uma condenação. A melhor maneira de você aproximar a consumidora do produto é apresentar identificações com a realidade. Bem simples. Não precisa ser gênio para chegar a essa conclusão. Elementar. 
Comment do Dino sobre a Céline: 

" Transformando o skate em acessório de luxo, as modelos exibindo o minimalismo luxuoso criado por Phoebe Philo nos cliques de Juergen Teller numa galeria de arte". 


Bom né?
Bisous
A+
Paris 4°C. 




Hairs colors! Style 2011! NY Fashion Week, David LaChapelle, Rihanna, Alexander Wang, Theyskens Theory, Marc Jacobs, Yves Saint Laurent, Madame Grés...

cabelocor
Tem algumas tendências ou modismos que são eternos vai-e-vem  na moda. Eternal como falamos em francês e eu adoro esse termo. Bem, a explosão de toques de cores nas roupas que a gente vê no inverno ( embora ainda exista muito preto e branco!!!) e vai ver muito no verão europeu e que invade as lojas com a entrada das novas coleções, tem um componente a mais para entrar em equilíbrio ou brincar: as cores nos cabelos. Elas aparecem em mechas que podem ser como essa primeira, mais discretas e em branco mesmo...


Ou ainda...

cabelocor1
Ganhar um espaço maior no cabelo como essa imensa mecha verde.  Eu amo isso. Claro que não faria, mas nem tudo que é moda é meu estilo, mas não me impede de acreditar e falar que é uma grande opção para tirar um pouco do peso que invernos muito rigorosos nos trazem aos ombros. O legal das mechas de agora é que não são privilégios de adolescentes ainda em fase pré-faculdade. É uma moda que atinge mulheres maiores aussi...



cabelocor3
Para fechar esse lance dos cabelos coloridos: a cabeleira incrível dessa moda. Sim, pode funcionar super bem com uma roupa caretinha. J'adore!!! Essa foto inicialmente foi publicada no site da Vogue.br durante a semana de moda de alta-costura. Reproduções? Citando a fonte!

NYFW INVERNO 2011/12...


Faço um apanhado das coisas que tenho visto e gostado em NY. Assim como no Brasil, alguns estilistas ainda se inspiram e muito no que é feito pela moda europeia. Acho válido a inspiração, mas não a cópia. esse é um assunto tão cansativo e tão recorrente que, sinceramente, me cansa falar, mas tudo bem. Alguns toques: em Jason Wu muito Givenchy e Valentino, apenas para falar por cima. A coleção é linda, mas não é a cara dele. Diane Von Fustenberg de tanto ser vítima de muitas cópias com sua melhor invenção, o vestido envelope,  acabou ela mesma por perder a mão e, em coleções passadas, confessar que isso era normal. Para DFV todo mundo copia. Eu continuo achando cansativo ver um desfile igual a outro. Ponto.  Quer copiar? Faz um tributo. Ficaria mais legal e mais instrutivo. Assim quando você vê uma estampa cheia de bocas, vai saber que é claramente uma cópia de uma criação de Yves Saint Laurent dos anos 70. Não tem necessidade de fazer a gente pesquisar ou algum dia, em meio a uma exposição de história da moda, ter o susto e a constatação de que aquele estilista que você tanto ama e admira é, na verdade, um grande copiador. Xerox. 



Imagem que fez parte da exposição retrospectiva à carreira de Yves Saint Laurent no Petit Palais de Paris, ano passado. Confere o que o mestre fez na década de 70. Boquinhas, drapeados ( que não foram invenção dele e sim de Madame Grés), casacos de pêlos, turbantes. Tudo lá.

 Imagem de Grés trabalhando. Ela fazia vestidos drapeados que davam voltas no corpo. Um dia faço um post completo sobre ela. Ela foi uma das grandes estilistas do começo do século 20 e infelizmente morreu pobre e na sombra. Por isso, faço questão de mostrar e depois ainda falar muito sobre essa mulher remarcable!

Atualizando agora: 

Certo fez o David LaChapelle que registrou queixa de plágio contra Rihanna. O artista não gostou das imagens do clip S &M da cantora, lançado recentemente. Para ela, é cópia de seus trabalhos fotográficos.
Confere:



Bem, agora sim... NY e o que eu gostei até agora...


Marc Jacobs com o que funciona na moda de hoje. Ok, ele não inventa com esse primeiro look, porque todo mundo usa agora as calças cropped, mais curtas com o blusão caretinha, mas fica bom e é fácil de fazer. Gosto do metalizado mais discreto. Adoro, aliás. Depois, o look de Jamie Bouchert me parece ainda com a fase Mary Poppins, mas enfim é bem Jacobs e é bom. As cores são as cores que também usa na rua agora. Ele sabe e faz mais do que vai garantir as vendas...


Desejei...
Amei essa bota Marc Jacobs. É disso que a gente ( eu!!!!) precisa no inverno. Algo que vista, esquente e garanta um certo charme. Os sapatinhos ou sapatões de salto alto são para categorias de mulheres chofer na porta. 

A nova era Theyskens...

E o lado comercial americano pegou a veia de Olivier Theyskens. O belga que causou na moda parisiense com coleções maravilhosas para Nina Ricci se rende ao day-by-day dos States. Claro que faz bem, mas deixa saudades na exuberância que a moda se acostumou a vê-lo fazer. Theyskens precisa continuar e essa foi a maneira digna de ele fazer. Gosto da perfeição da simplicidade. Atenção: o mercado anuncia uma alta em 2011 no preço das roupas de algodão. Em alguns casos, podem custar o dobro. Essas roupas simples e de label vão continuar a ser daquelas coisas que a gente olha e apenas com muita coragem vai comprar. Outro anuncio foi que os especialistas estavam esperando que a NYFW apresentasse peças anos 70. Voilà. Tudo cadenciado....

Querido Wang...


E meu preferido em NY até agora e acredito que até o fim. Usei ano passado um vestido de Alexander Wang até gastar. Comprei outro, por sinal nos drapeados Grés. Pretendo usar muito no verão. 
Alexander é um dos melhores criadores do momento. Sua habilidade com misturas de materiais, cores e comprimentos é muito grande. A roupa é para usar, despretensiosa, funcional e fina. 
Peças que as magras e as nem tanto podem usar. Thanks Wang, as mulheres normais agradecem.
Bisous
A+
Paris 5°C. 

Reflexões de inverno... Chanel primavera-verão 2011...

IMG_9769

Aproveito que hoje é sexta-feira para soltar algumas imagens que fiz dias antes de começarem as coleções masculina e alta-costura aqui em Paris. Andei horas pela cidade, como é meu hábito, fotografando pessoas e testando a máquina.  A busca por imagens que falem de moda e comportamento em dias comuns é bem mais elaborada, merece um olhar rápido e apurado para perceber coisas importantes e não perder a imagem. Muitas vezes, o que vimos, não fica retratado. Outras sim. E foi exatamente como a foto mostra que vi essa menina caminhando no Jardim de Tuileries acompanhando o pai (também super elegante) e o irmão. Quanta magia em uma capa. A peça que agora é moda por todos os lados e que eu cheguei a contar aqui a compra da minha, mas também confessei a falta de coragem para usar, é realmente algo que carrega uma simbologia. A capa cobre, absorve a sua silhueta e serve para quem precisa de proteção extra. Capa é para transportar você. Para fazer voar, como as dos personagens de animação. Como a de Batman, Robin e como a de Chapeuzinho Vermelho, que usou a sua para se proteger e acabou entrando em uma cilada. Tanta simbologia que cabe exatamente no que significa usar uma capa hoje. Nas crianças, a permissão é máxima. Linda, perfeita para quem precisa voar atrás do pai em um parque em um dia frio e ensolarado de domingo. Mas para quem tem que carregar uma bolsa com todo seu escritório dentro ou ainda uma potente máquina na mão, a capa não vai funcionar. Melhor mantê-la na imaginação ou ao alcance do olhar. Apenas admirar. 


IMG_9877

Já as estampas de bicho, essas sim são permitidas para todas as idades do mundo. Não existe limite para elas, a não ser a forma de usar. Me encanto com certas senhoras parisienses que ainda mantém o frescor da moda nos passos e no olhar. 



Olho na primavera...

IMG_9929
Amanhã terminam as liquidações aqui. As vitrines das grande lojas mostram as primeiras imagens da primavera-verão 2011/12. Vem muita cor e estamparia. Vem um anos 70 que, se for bem aproveitado, pode ser a coisa mais confortável do mundo. Chanel tem sua parcela de culpa nessa onda. A coleção Croisière foi apresentada em Saint Tropez e relembrou os áureos tempos em que Brigitte Bardot era rainha por lá. O conselho para aproveitar bem a onda é o de sempre: avalie se você tem tamanho para comportar um vestido assim. Ele aumenta tudo. Mulher pequena tem que ter proporções bem finas, delicadas. Mulher grande também. Para as mais voluptuosas o que cai bem dos 70, são os longos mais retos. Bem, não vai faltar espaço para gente ver e falar sobre a moda que vem. 
Eu volto assim que der.
Bisous
Bon Week end.
Enquanto isso, o inverno de NY está rolando. O Style.com publica todos os dias todos os desfiles. 

PS: Recado para Gabrielle que acabou de postar aqui sua pergunta:
Sim a primavera tem toque romântico. 
Quem vem para Paris em abril pode trazer algumas peças mais frescas, como camisetas, pantalonas soltinhas, rasteirinhas, mas não deve esquecer de ainda carregar o kit frio com um par de coturnos, jeans, blusas de cashemere, casaco quente e ainda luvas. Pode fazer calor e frio. Tudo em uma semana. Atenção redobrada com a mala. O clima aqui é bem traiçoeiro. Temos frentes frias que podem ser violentas. 

Bisous
A+ 

Girls in Paris... Street-style 2011...Balenciaga, Jean Paul Gaultier, Emanuelle Alt...

girls5
Chegamos à metade do inverno e ja posso falar qual a tônica do ano no street-style, mesmo falando de fotos que foram feitas em portas de desfiles e por isso com bem mais gente grifada que os lugares normais. Talvez seja em função do frio intenso, talvez não. Talvez seja porquê o povo anda rejeitando os uniformes, mas sinto que a moda em 2011 é fazer uma mistura de tudo que a gente gosta, seja de label ou não. Por exemplo: eu não sei de quem é esse casaco que essa menina apareceu na porta do desfile de Jean Paul Gaultier, mas achei lindo o detalhe do trabalho em metal. Bem raro mesmo. E a forma como ela colocou um chapéu que não é todo combinadinho e perfeitinho, mas incrivelmente lindo nela. Uma outra coisa me chama a atenção tanto nela quanto na foto que vem a seguir: a maquiagem com lápis preto no olho, um batom e basta! Aderi ao preto no olho esse ano também. E as unhas clarinhas, eu começo a amar novamente...


girls3

Assim como não tem como não achar bacana quem ande vestida assim. Ah, mas ela não está arrumada, diriam algumas! Lógico que sim. Super valoriza o casaco e a eterna bolsa Balenciaga, uma das melhores que entraram no mercado no fator beleza e praticidade. O mundo precisa de gente assim. Senão enjoa tantos panos, cores, shapes, de vez em quando tudo bem, mas all the time NOT!!! Sorry, mas eu sou do time da Emanuelle Alt que em recente entrevista falou que jeans não tem que ter design. Eu também concordo, quando mais limpo for o jeans, para mim melhor...

Girls4
Adorei essa foto. Ela mostra um panorama do que é misturar a bolsa de grife 
(Louis Vuitton super caretinha e linda) com outras peças como a jaqueta perfecto. Aqui tem estilo. Não tente copiar, porque pode ficar desastroso. Ela encaixou nessas peças, porque são sua maneira de encarar o frio daquele dia. Ah o camelo não morreu. Mesmo.

Vai um coquinho? 

girls2
Quando eu comecei a viajar para o exterior e fotografar pessoas nas ruas a primeira coisa que eu amava registrar era a maneira como as gringas prendiam os cabelos.  Isso era 98 ou 99 e eu vivia indo para NY. Levava minha câmera lambe-lambre, daquelas de filme, obviamente e me inspirava na maneira descompromissada que elas amarravam, prendiam, colocavam grampos. O que mais me encantava e eu adoro até hoje era a não perfeição. O ar despojado em um look que eu um cabelo preso de qualquer jeito pode te dar. 

dourado
A moda não passou. Claro que tem uma questão econômica que não permite a ninguém que não é rico viver indo ao salão. É tudo uma fortuna, então o jeito é você se virar ser moderna do seu jeito. Adoro. Adoro também o blusão de tricô feito à mão dourado. Duas tendências em uma peça apenas. Esse ano me apaixonei pelos blusões de lurex da Isabel Marant. Segurei a onda para não pagar uma fortuna em uma peça linda, mas que eu sei: pode custar bem pouco para produzir. Agora olhando as imagens da São Paulo Fashion Week, vi que a Neon fez alguns modelos idênticos, quem sabe no Brasil não fica mais barato? 


Girls
Enfim, ano de peles de todos jeitos mesmo, falsas, verdadeiras. Cada uma se esquenta como pode, sem perder um pouco da graça. Joga uma meia preta, um saltão, um brinco de argolas enormes, coloca strass nos cabelos. Pinta unhas de fluo, em alguns casos, ainda e...

IMG_6066
Investe na mistura com o vintage. Botas de uma coleção de uns quatro anos atrás de Christian Lacroix. Eu lembro. Tenho memória de moda. 

IMG_5939
Para fechar, muitas galochas estampadas nas ruas. Encara ou não?
Bisous
XX
A+
Paris 6°C.

LinkWithin

Posts relacionados