Bonne Année 2011...

ano
Uma das melhores coisas que existe em Paris é a pâtisserie.  Entenda essa palavra como tudo que envolve a arte de fazer pães, doces, bolos, tortas, macarons e que seja feito com massas, ovos e muita precisão. Pois bem, hoje é dia de comer uma boa pâtisserie e ainda foie-gras, salmão e uma séria de coisas que apenas a gastronomia francesa sabe explorar com tanta paixão. Dedicação. Viver na França é também se perder nesses gostos variados, ácidos, amargos, apimentados, defumados, envelhecidos e outras tantas técnicas que a cada momento eu vou descobrindo. Essa é uma torta que eu comprei agora há pouco no Malitourne, loja de chocolates e pâtisseries que fica na rua que passa atrás da minha casa. Cada rua francesa tem a sua lojinha especializada nessas e em outras tantas iguarias. Cada um com uma especialidade. A do Malitourne é tudo que tenha chocolate junto. Hoje optei por mousse de chocolate com recheio de framboesas. Na volta, a decoração dos famosos macarons, pequenos docinhos feitos de claras de ovos, açúcar e aromas, recheados sempre com o sabor que faz a massa. Ah, mas o blog é sobre moda? Sim, mas comer também faz parte da moda e gastronomia também obedece moda e, além do mais hoje é dia de desejar tudo que possa infinitamente preencher o coração de cada um de vocês que me lê sempre, ou apenas está de passagem por aqui. 
Um 2011 doce para todos. 
Que a vida nos seja leve. 
Os dias sutis.
As noites tranquilas ou agitadas ou ainda ofegantes...
Que quando os sabores forem amargos, a gente saiba também tirar proveito para aprender. Por que é esse a nossa missão: aprender, melhorar, avançar. 
Ah... Esqueci de citar os champanhes, vinhos, conhaques, outras especialidades francesas que essa noite também é momento de provar. Com moderação. É o caminho do meio para não tropeçar e perder a elegância...Nunca, ok?
Fazer o que. Temos que aprender a administrar, até porque vem muito minimalismo por aí. Aproveite  e entre no clima das contenções no consumo de comidas, bebidas aussi. É old fashion. Pense em degustação. É também uma arte. E se divirta muito com isso. 
Voilà
Avance você daí que nós avançamos daqui.
Bisous
Até 2011 que já é daqui a pouco...


Of all the exquisite things there are in Paris the pâtisserie-the pastry shop- is one of them. Understand this word as one that envelops the fine art of making bread, sweets, cakes, pies, macarons and all that is made of dough, eggs and quite preciseness. Well then, today is the day to indulge on a nice patisserie and yet fois-grais, salmon and a number of things that only the French gastronomy knows how to do it with such a passion. Devotion. Living in France is also to get lost on a variety of tastes, sour, bitter, spicy, smoked, aged and rather many techniques that at any moment I get to discover. This is a pie that I bought a while ago at Malitourne, a chocolates and patisseries shop that is on the back street of my house. Every French street has a store specialized on this and many other delicacies. Each one with its own specialty. Malitourne’s is with everything that has chocolate on it. Today I choose chocolate mousse with raspberry filling. On the sides, the famous macarons as decoration, little sweets made of eggs white, sugar and flavours, always filled with the flavour that’s in the dough. Ah, is this blog about fashion? Yes, but eating is also part of fashion and gastronomy also submits to it and, besides this is the day to wish all that can infinitely fulfil the heart of each one of you that always reads me, or is just passing by.
A sweet 2011 to all of you.
May life be light.
And days subtle.
Serene or turbulent nights or yet breathless…
And when bitter tastes happens, may we take the chance to learn from it. Because this is our mission: learning, improving, going forward.
Ah,…I forgot to mention champagnes, wines, brandies, other French specialties that on this evening it’s also time to taste. With good sense. It’s the intermediate way so to not stumble and miss the elegance…Never, ok?
And what there is to do. We have to learn to manage, even so because there’s a lot of minimalism around. Take the chance and get in the mood of food waste restraint, as also beverages. It’s old fashion. Think about tasting. It’s also an art. And have lots of fun doing so.
Voilà.
And there it is.
Move forward from there that we move forward from here.
Kisses.



XX

Translation by Juliana Mercadante

Marc Jacobs...

Vi domingo na livraria do Palais de Tokyo essa foto. Marc Jacobs vestido de senhora na capa da revista Industrie, sexy não?

I saw this pic on Sunday at the Palais de Tokyo bookstore. Marc Jacobs dressed as a lady on the Industrie magazine cover, sexy, don´t you think so?





XX

Paris souvenir...

Amuletos

Foi por causa de um souvenir, desses que os sem papel que vivem se esgueirando pelas ruas e metrôs de Paris vendem, que eu decidi vir morar aqui. Quero dizer, não exatamente por causa deles, mas o efeito que esse pedaço de lembrança que a gente carrega barato na bolsa causou em mim, fixou a ideia forte na minha mente. Em 2005 vim passar uns dias em Paris para refrescar a cabeça. Levei comigo uma pequena bola com a torre Eiffel dentro. Quando eu a revirava, via flocos de neve dançando no cenário que hoje é meu dia-a-dia. Usei esse pedaço de Paris como um despertador visual. Toda vez que eu o visse, tic-tac. Era uma senha para eu me lembrar que eu tinha que voltar. Eu precisava viver dentro dessa bola. E vivo.




It was because of a souvenir, like those that the paperless people that keep sneaking themselves by the streets and subways sell, that I decided to come to live here. I mean, not quite because of it, but by the outcome that this cheap piece of memory that we carry in our bags caused on me, it stuck this strong idea on my mind. In 2005 I came to Paris for a few days to refresh my mind. I brought along a small ball with the Eiffel tower inside. When I shook it, I saw snowflakes dancing on this scenario that today is my day by day. I used this piece of Paris as a visual alarm- clock. Every time I saw it, tic-tac. Like a password to remind me I had to come back. I had to live inside this ball. And so I do.


torre


De novo ela: quando viro a esquina do meu pequeno apartamento- escritório-estúdio-redação sempre me deparo com a torre. São inúmeras vezes. Inúmeras luzes contra e a favor. Por isso, me dou o prazer de simplesmente publicar algumas imagens, porque é assim que eu a vejo: muitas vezes com o sol no rosto. Uma neve no olho. Entre um passo e outro bem rápido para buscar algo na feira que fica logo ali, na frente do Museu, exatamente onde Basquiat e tantos outros mestres estão alojados... Mas eu não. Eu não estou alojada (inquietudes se fazem necessárias sempre. Crescimento. Evolução. Força motora) em lugar nenhum. Nenhum fixo. Estou em todos os lugares. Quero ver tudo. E vejo...



And there it is again: when I turn the corner from my small apartment-office-studio-news room I always face the tower. Countless times. Countless lights against and pro. And for that reason I pleasure myself of simply publish some images, because that’s how I see it: many times with the sun on my face. Snow in the eye.
Between a step and another very fast to pick up something at the fair that is right away, in front of the museum, exactly where Basquiat and many other masters are sheltered…But I don’t. I’m sheltered ( restlessness are always needed. Growing. Evolution. Driving Power) nowhere. Unsettled. I’m everywhere. I want to see it all. And I do...

peless
Vejo a moda das grandes vitrines, dos grandes desfiles. Vi Karl Lagerfeld pressagiar o inverno mais frio dos últimos 40 anos com um desfile no meio de um Iceberg importado da Escandinávia no começo do ano no Grand Palais! Clique aqui para rever. 




I see fashion on the great shop windows, from the big runaways. I saw Lagerfeld predict the worst winter in 40 years in a runaway show in the middle of an iceberg imported from Scandinavia by the beginning of the year at Grand Palais. To see it here.



fome

Mas também vejo a moda da mãe que se alimenta para poder levar o filho em frente na vida. A vida ( de novo ela. Sempre redundâncias nesse blog, lembram?) é assim mesmo: marcada pelo nosso desespero em sobreviver. Alguns com mais calma. Outros nem tanto...Todos com as mesmas necessidades básicas...Sempre bom lembrar: somos feitos da mesma matéria...Karl tinha razão: iríamos precisar de peles para aguentar o frio e a geleira. As da Chanel eram todas falsas. Ecológicas. Assim como terão de ser as da semana de moda de Oslo que acontece no começo de fevereiro. Ficou decidido essa semana que peles de animais não entram nas coleções norueguesas.  Leia mais aqui.


But I also see fashion on the mom that feeds herself to be able to carry her son ahead on life. Life ( and there is it again. Some superfluities in this blog, remember?) is just like that: determined by our despair to survive. Some in a softer way. Some not quite…All with the same basic needs…Always nice to remember: we are made from the same matter…Karl was right: we’d need furs to bear winter and the glacier. Chanel ones were all fake. Ecological. Just like the ones from Oslo Fashion Week which begins early February should be. It become determined this week that animals furs don’t enter the Norwegian collections. Read more about it here.



paris2


Bem, mas fora o delicioso mundo da moda que vende o luxo, o delicioso de tudo é poder ver a moda em absolutamente tudo. Porque ela não é um fato isolado. Um privilégio de quem vive na rive gauche ou droite. Aliás, é completamente fora de moda achar que quem mora em lado ou outro é mais chique ou menos. 




Well, but beyond the delicious fashion world that sells luxury, the delicious of all that is to be able to see fashion in absolutely everything. Because it is not an isolated fact. It’s a privilege for whom lives at rive gauche or droite, by both sides. Besides, it’s completely out of fashion the perception that who lives in a side or another is more chic or less of it.


museu

Na Paris de hoje, século 21, chique é ser educado e cool. E livre. 


On Paris today, by the 21th century, chic is to be polite and cool. And free.


Paris
 

Bem cool, entendeu? 
E eu aqui no meu projeto de vida Closer. Filme que eu amo. Eu também não posso tirar os olhos de você. Mesmo que eu quisesse, Paris não me deixaria descansar. Preciso desses olhares para fazer a moda viver aqui no blog e em mim...Filosofei...


Really cool, got me?

And here am I in my Closer life project. A movie that I love. I also can’t take my eyes off of you. Even if I wanted to, Paris wouldn’t let me rest. I need those glances to keep fashion alive here in the blog and on me… I philosophized it…




Bonne nuit
Quase 2011
Good morning
Almost 2011

Beijos
XXXX
A+



Translation by Juliana Cintra Mercadante

Street-style 2010...Jean Michel Basquiat: The Radiant Child, Museu de Arte Moderna de Paris...

PARIS1
O que de melhor ver e fotografar de Paris quando a temperatura está abaixo de zero e eu tenho vontade de sair de casa para curtir o ritmo lento que o gelo impõe às coisas? Não se pode andar rápido para não escorregar. Não existe transporte em muitas direções. Até o Bateaux Mouche está parado. Nível do Sena acima do tolerável. Então, a poucos metros de minha casa, eu encontro meu alvo mais adorado: a torre Eiffel. Um desafio para que é totalmente autoditata na fotografia. Mas tudo bem: encaro e Voilà! Eis o cartão postal pelo qual eu me encantei e decidi vir para essa cidade tentar ser uma pessoa melhor. Tentar ser um profissional mais merecedor da confiança dos meus leitores. Tentar ser mais feliz!!!!! E consegui tudo isso. 


What’s better to watch and shoot from Paris when the temperature is below zero and I feel like going out to enjoy  the slow cadence that ice lays on things? You can’t walk fast so to not skid. There’s no transportation to many directions. Even the Bateaux Mouche is still. The Sena river level beyond bearable. So, a few meters from my house, I meet my most adored target: the Eiffel tower. A challenge for whom is totally self-taught in photography. But that’s ok; I face it and Voilá! There’s the postcard of which I captivated myself and determined my arrival in this city on the pursuit to become a better person. An attempt to become a professional worthy of trust by my readers. An attempt to be happier!!!! And I got all that.

NEVE
No caminho um pouco dos detalhes das ruas, dos parques. Paris não tem muita neve, mas o suficiente para um cenário introspectivo que, na verdade, é vital para que a gente consiga continuar evoluindo. Muito bom esse encontro com os limites da natureza. 


On the way some street details, the parks. There’s not a lot of snow in Paris, but just enough to compose an introspective scenario that actually is essential to keep us evolving. Quite nice this meeting with nature’s boundaries.

basquiat5
Um limite que Jean-Michel Basquiat não soube impor a seu ritmo de vida. Ontem decidi atravessar a rua e ir ver a exposição sobre ele no Museu de Arte Moderna de Paris. 


A boundary that Jean-Michel Basquiat could not impose on his life cadence. Yesterday I decided to cross the street to go to his exhibit at Paris Modern Art Museum.


BASQUIAT
Uma retrospectiva que mostra toda a densidade do encontro de Basquiat com a arte, a fama, a loucura e a morte. Aqui um quadro chamado Devil. A imensa tela está na ante-sala que precede o começo da imensa mostra. 


A retrospective that presents all the density of Basquiat’s encounter with art, fame, madness and death. Here a painting named Devil. The huge canvas is on the antechamber that precedes the beginning of the vast exhibition.

BASQUIAT2



Jean Michel Basquiat: The Radiant Child é envolvente, forte e não deixa ninguém imune à força da arte de um homem que não deveria ter deixado de ser criança. Entrou no mundo dos adultos, dos marchands, ficou rico de um ano para outro e caiu nas mãos de Andy Warhol, uma parceria que, se lhe rendeu mais fama e grana, certamente também foi o começo do fim.

Jean Michel Basquiat: The Radiant Child
Is seductive, sturdy and leaves no one immune from the power of art from a man that should not have go beyond his childhood. He entered a grown up world, of art dealers, became wealthy suddenly and fell in the hands of Andy Warhol, an association that brought him even more fame and money, but for sure was the beginning of the end.
Bem... Um pedaço do filme feito sobre ele: 


Well, an insert of the movie made about his life:


Ele com Warhol: 


Him with Warhol:
Saindo do Museu...

Um pouco de street-fashion...

Como as pessoas se vestem com muito frio?????

Assim:


On the museum way out...
A little street fashion…


How people dress up when is really cold?????

Like this:



GALLIERA
Divertido fotografar em lugares que não são portas de desfiles, onde o povo anda bem vestido por que tem bom gosto e pronto. Cinza na parada total neste inverno. E muitas botinhas bem surradas marrom...Até por que se não são surradas, ficam rapidinho!!

It’s fun to shoot in places that for a change aren’t fashion shows entrances, where people dress up because they have good taste and that’s it. Gray at full blast this winter. And very worn brown boots as well…Because if they aren’t that worn, it will become really fast!!

pele
E muitas peles. O PETA iria ter trabalho por aqui. A pele não é algo que se usa apenas nos editoriais das revistas. As europeias amam e usam mesmo... Esse ano, o vison tem muitas e muitas versões de uso. Desde os modelos mais curtos  até os longos que batem no pé ( geralmente com origem vintage). Nas lojas, eles são bem leves, ao contrário dos antigos que eram pesados. Bem, e quanto custa em média, um casaco de pele? A partir de uns dez mil euros ( cerca de 24 mil reais) os mais curtos. Isso se for vison. As outras peles custam bem menos, mas todas a partir dos dois mil euros, mínimo.


And many furs. Lots of work for PETA around here. Fur it’s not an item that is worn only on magazine editorials. European women love and really wear it…This year, the vison has lots and lots of ways of how to wear it. From the shorter ones to even the lengthy ones that brush the feet ( usually from a vintage source). On the stores they are quite light, unlike the old ones that were pretty heavy. Well, and how much is a fur coat in general? From ten thousand Euros ( about 24 thousand Reais) the shorter ones. And that if it’s vison. The other furs cost quite less, but all of them around 2 thousand Euros, at least.

street1
Fora as peles, o ano é de lãs e gabardines. As lãs são todas feitas à mão. O tricô é moda, não apenas nas boutiques chiques. Ele é moda por tudo...


Besides the furs, the year is of wools and gaberdines. The wools are all hand knit. Knit is on fashion, not only in fancy stores. It’s on fashion all around….

STREET4
Para meninos inclusive...




Also for boys...


STREET6
E homens também...
And men as well...
 Ah!!! A cor do ano??? Verde militar!!! Não tem outra. É ela. Eu elejo e assino embaixo com as dezenas de fotos que fiz com variações em cima do tom. E não é???

Ah!!! The color of the year??? Military green!!! There’s no other. It’s it. I elect it and sign below the sets of ten pics I made with the hue variations. And it isn’t???


STREETPARIS1
Uma outra peça que o blog cantou a pedra cedo em 2010? As capinhas. Olha elas aí.  Diria que são centenas nas mais diferentes versões. Estão nas lojas e nas ruas...Falei que a minha é vermelha e eu não tenho coragem de usar. Chapeuzinho Vermelho é minha impressão. Que fazer????? 


Another piece the blog sing off early? The little capes. Take a look at it. I’ll say there are hundreds in the most different versions. It is in the stores and on the streets…I told mine is red and I don’t dare to wear it. Little Red Ridinghood is my perception. What to do?????

STREET3


Ir em frente não? Adoro essa foto. Adoro essa cor. Adoro ver a moda surgindo assim aos poucos. É assim que uma cor surge. Começo a vê-la pipocando e quando percebo a febre é imensa...


Go ahead right? I Love this picture. I love this color. I Love watching fashion emerging by fits and starts. That’s how a color emerges. I keep seeing it popping and when I realize it’s a huge fever….


pulso
Exatamente como a dos braceletes que eu uso nos braços. Eu também não resisti ao uso de muitas cordinhas misturadas com jóias, enfim, também brinco a luz de velas quando o frio me impede de sair, mas não de continuar mergulhada no mundo da arte e da moda que Paris tanto me oferece.
Bisous
A+
XXXXXXXX

Just like the wristlets on my arms. I also couldn’t resist to wear many strings mixed with jewelry, after all, I also play by candle light when wintry weather stops me for going out, but not from keeping me diving into the art and fashion worlds that Paris gives me in a such a way.


Translation by Juliana Cintra Mercadante



Bom Natal!

Natal
Uma imagem para a gente pensar. A moda é uma comunicação incrível com o mundo. A moda é paixão. A moda é arte? Tem gente que diz que não. Outros afirmam que sim. Para mim, a moda é tudo. Tem vezes que é arte. Tem vezes que é teatro. Outras é afetação. Muitas outras é diversão. Para os que fazem em grande escala é business. Nesse fim de ano, eu quero deixar minha mensagem de sentimentalismo em relação à moda. Acho que essa foto exprime bem o que é uma paixão. É você simplesmente se entregar ao que acredita, sem ter a mínima vergonha. É isso. Invista nos seus pensamentos mais ardentes. Se vista para fazer seu comunicado. Para dizer que você está aí ou que não está nem aí. Ou que quer estar em outro lugar. Ou que quer mudar tudo. Ou ainda quer ser apenas você, independente de modismos. Mesmo assim, ainda vai ser uma moda: a sua. Eu vou fazer meu Natal à minha moda. Quietinha aqui embaixo das cobertas.
Vendo televisão e lendo um livro de história da moda que acabo de ganhar. 

Bonne nuit.
Bom Natal
Paris -1°C.


An image to get us think.  Fashion is a incredible way to communicate with the world. Fashion is passion. Is fashion art? Some say that it isn’t. Some say that yes, it is. To me, fashion is everything. Sometimes it is art. Sometimes it is theater. Others is vanity. Many times it’s fun. For those who do it on a large scale it’s business. At this end of the year, I want to leave a message of sentimentalism towards fashion. I think this picture express well what is a passion. It is just you simply handed over to what you believe in, shameless. That’s it. Rush at your most fiery thoughts. Dress as to make an announcement. To say that you are around or you’re not. Or that you want to be someplace else. Or that you want to change everything. Or still that you just want to be you, fashion independent. Even like this, it still going to be on fashion: yours. And I’ll celebrate Christmas by my fashion. Quiet and tucked in bed under blankets.
Watching tv and reading a fashion history book I just received as a gift.

Good night,
NiceChristmas.


 Translation by Juliana Cintra Mercadante


Virginie Mouzat...

VirginieMouzet1
Virginie Mouzat é a editora de moda do Madame Figaro, um encarte em formato de revista publicado todos os sábados pelo jornal francês Figaro. Desde que ouvi o zum-zum-zum do anúncio da saída de Carine Roitfeld da Vogue Paris, pensei imediatamente na figura dela.  Cheguei até a twittar minha aposta. Hoje quero mantê-la e mostrar a imagem de Virginie. Ela é, em primeiro lugar, francesa. Não imagino ( e não imagine você também, por que não vai rolar) ninguém na Vogue Paris que não seja da gema. Não faz sentido para quem vive e conhece exatamente como pensam, agem e trabalham os franceses. É uma questão francesa e portanto deve ser tratada e resolvida por aqui mesmo. Virginie é linda, chic, discreta e realiza um trabalho fantástico à frente do Madame Figaro. Editoriais semanais de moda. Entrevistas. Uma edição pilotada por Carla Bruni outra por Karl Lagerfeld passaram pelas bancas esse ano. Tudo no ponto certo e na hora certa. Hoje cedo, meu amigo Abrãao Ferreira me passou um  link de um jornal americano onde se fala num stress enorme com a LVMH que teria culminado com o pedido de degola de Carine. Tudo faz sentido em uma terra que cortou a cabeça da rainha fashion Maria Antonieta. Voilà. O link da versão do Racked.com aqui.
Bisous
A+ 
Paris tem um pouco de sol e eu vou treinar um pouco de fotografia.
Aqui a gente está sempre aprendendo. 





Virginie Mouzat is Fashion editor at Madame Figaro, an insert assembled as a magazine that is published every Saturday by French newspaper Figaro. Since I heard the buzz on Carine’s leave notice from Vogue Paris, I thought about her immediately. I even twitted my bet. Today I want to keep it and show Virginie’s picture. She is, first place, French. I don’t imagine ( and also don’t you, because it’s not gonna happen) nobody at Vogue Paris that is not a thorough French. It doesn’t make sense for whom lives and knows exactly how the French  think, act and work. It’s a French matter and likewise must be managed and settled right here. Virginie is beautiful, chic, reserved and does an incredible work ahead of Madame Figaro. Weekly fashion editorials. Interviews. An edition directed by Carla Bruni another by Karl Lagerfeld hit the newsstands this year. All with the right timing at the right hour. Early morning, my friend Abraão Ferreira sent me an American newspaper link that says that a huge stress with LVMH culminated with Carine’s beheading. It all makes sense at a land that beheaded the fashion queen Marie Antoinette. Voilà. The link from Racked.com here.
  Kisses.
A fair sun in Paris and I´ll practice a little photography.
Here we are always learning.

Translation by Juliana Cintra Mercadante.

Baptiste Giabiconi...

baptiste
A pedidos, alguns portraits que fiz esse ano. Snap-shot total do Baptiste Giabiconi no dia do desfile da Chanel primavera-verão 2011 aqui em Paris no Grand Palais.
Precisa explicar o que é que o Baptiste tem?
Tudo. É lindo, jovem, educado, simples. Perfeito.
J'adore.
Bisous
By request, some pictures I’ve done this year. Total snap shot of Baptiste Giabiconi on Chanel 2011 Spring Summer Fashion Show here in Paris at the Grand Palais.
Do I need to explain what Baptiste has?
All. He is handsome, young, polite, simple. Perfect.
I love.
Kisses.

Translation by Juliana Cintra Mercadante


A+

Da arte de usar Chanel...Paris Life-style 2010...

elas
Poucas coisas me impressionam no mundo da moda. Vejo sempre tanta beleza que o luxo de grandes marcas, por vezes, pode se tornar banal. Mas quando me deparo com certas cenas, percebo o óbvio (a meus olhos!!): o banal e também a vulgarização são provocados pela ato de usar a roupa e pelo espírito de quem a veste. Uma roupa Chanel é caracterizada sempre por certos códigos fáceis de serem reconhecidos. Pérolas, correntes, logos, tweeds, preto, branco, etc e tal. Então todo mundo que usa Chanel fica linda? Nem sempre. Algumas não me tocam em nada. Outras em tudo. O olhar dessas meninas interpreta bem o orgulho de vestir uma roupa que tem história. Uma orquestração perfeita entre a cultura oriental que traz o respeito como premissa básica e vital de sobrevivência dentro da sociedade e a ocidentalização do luxo Chanel. 

Few things astonish me on the fashion world. I get to see so many beauty within the big labels luxury, that sometimes it can be trivial. But when I come upon certain scenes, I realize the obvious ( by my eyes!!): the trivial and the vulgarization are instigated by the act of wearing the clothes and by the spirit of who wears it. A Chanel outfit is always distinguished by easy codes to be recognized. Pearls, chains, logotypes, black, white, etc and all. So how come everyone that wears Chanel gets pretty? Not always. Some don’t strike me a bit. Some do in everything. This girls glance translate well the pride of wearing an outfit that’s has some history behind. The perfect orchestration between the oriental culture that brings respect as its basic and essential premise of survival within the society and Chanel’s luxury occidentalization.

elas1
Assim como essas senhoras se mostram tão orgulhosas de manterem essa tradição de elegância. Uma simbologia que mademoiselle Gabrielle Chanel instituiu quase cem anos atrás como um símbolo de liberação feminina. Bem, para cada uma dessa mulheres vestir significa algo importante. E certamente existem traços que convergem ou divergem em suas escolhas. O bom de ver tudo isso é que em cada uma delas, a roupa toma uma dimensão completamente diferente. E isso é a magia Chanel. E aqui nada é banal, mas poderia, não fossem elas boas intérpretes. 
Bem, bom domingo.
É quase Natal.
Paris 6°C.
Bisous.
A+
Just as these ladies that show so much pride of keeping the tradition on refinement. A symbology that madam Gabrielle Chanel established almost hundred years ago as a symbol of women’s liberation. Well, for each of these women the act of dress themselves means something important. And for sure there is some line that converge or deviate in their choices. The nice thing about all this is that in each one, the outfit becomes a completely different dimension. And that’s the Chanel magic. And here nothing is trivial, but it could, if they weren’t  nice performers.
Well, Nice Sunday.
It´s almost Christmas.
 
Translation by Juliana Cintra Mercadante

E Carine Roitfeld vai deixar a Vogue Paris...

carine

O ano termina com uma notícia bombástica que balançou todas as mídias de ontem para hoje.  Carine Roitfeld, editora-chefe da Vogue Paris demissionou.  A francesa estava há  dez anos à frente da publicação e pediu para sair. Motivo? Hora de tocar novos projetos. Também concordo com Carine. Chega um tempo que a gente tem que virar a página. Ninguém é 100% brilhante, mesmo os que parecem ser, não o são ( tem sempre uma super equipe por trás, caso contrario, Alexander McQueen não teria se suicidado com uma coleção praticamente pronta). Embora ela tenha sido. Tudo bem que elegeu sempre seus amigos para fazer os editoriais mais ousados, mas seus amigos são os melhores. Tudo bem também que a Vogue Paris fez muitos editoriais com as mesmas batidas durante inúmeras edições. Seios magros e nus, Lara pintada de preto, Daria no deserto, Kate lânguida... Muita coisa repetida, mas sempre bom. 
A fórmula de Carine deu certo, mas a cansou. Diria que a levou ao extremo. Diria que é hora de ela sair mesmo para não corrermos o risco de desejarmos sua partida. Quem parte no auge, sempre parte melhor...

The year ends with bombastic news that that shocked all media overnight. Carine Roitfeld, Vogue Paris chief editor resigned. The French was ahead the magazine about ten years and called it quits.Reason? Time to move on new projects. I also agree with Carine. It gets a time that we have to flip the Page. No one is 100% magnificent, even the ones that seem to be, aren’t ( there is always a team on the backstage, otherwise, Alexander MacQueen wouldn’t have committed suicide with an almost done collection). Although she’s been. That’s ok she always chose her friends to the most daring editorials, but her friends are the best. That’s also ok that Vogue Paris did too many editorials with the same subjects throughout many issues. Slim naked breats, Lara painted in black, Daria on the desert, languid Kate…Over and over, but always good.Carine’s formula worked ok, but it wore her down. I’ll say it took her to extremes. I’ll say it’s about time that she leaves so we don’t have the chance to wish her leave. Who leaves on the top, does it always better…
carineroitfeldejpg
Agora é contar os dias para saber quem vai substituì-la. E eu penso: no dia em que Jean Paul Gaultier disse tchau para Hermès com Carine radiante a seu lado, teria ela dito ao amigo estilista seu segredo? " Moi aussi, je vais partir..."
Now is calculate the days to find out who is going to replace her. I wonder: the day Jean Paul Gaultier said good bye to Hermès with a glleful Carine by his side, did she tell her designer friend her secret? “ I’m also going to leave…” 
Invenção minha, claro...Faz tempos que se fala em uma possível ida de Carine para a Vogue Us. O que acho improvável. Anna Wintour, essa sim, sentou no cargo e mesmo que a revista seja chata (a meu ver!!! prefiro mil vezes as repetições da Vogue Paris ao ritmo pausterizado americano).

I made up the story, of course…it’s been sometime that it’s said about a possible move from Carine to Vogue America. Which I think is unlikely. Anna Wintour that’s for sure sat on her position even that the magazine is boring ( my opinion!!! I’d rather thousand times the repetitions on Vogue Paris than the squared American way).
Bem, tenho inúmeras imagens da Carine feitas desde quando vim para Paris e passei a acompanhar seu trabalho... Carine tem grandes qualidades e uma delas é a maneira simples e acessível que trata todo mundo. Um savoire-faire digno de ser copiado. 

Well, I have many images made of Carine since I got here in Paris and started to follow her work…Carine has great qualities and one of them is the simple easiness that she treats everybody. A know-how deserving to be copied. 

Aqui uma foto que eu fiz para o Style.com no dia do desfile da alta-costura da Dior inverno 2011. Ao lado de um de seus amigos e assíduos colaboradores: Patrick Demarchelier.  Essa imagem está nas eleitas pela Vogue Paris para elencar 50 momentos da carreira de Carine. Veja linkando aqui.  E leia também no Telegraph quais são as apostas para o cargo que a editora deve deixar no final de fevereiro. 

Here a picture that I did for Style.com on the day of 2011 winter Dior Haute Couture. Close by one of her friends and constant contributor: Patrick Demarchelier. This image is on Vogue Paris selection to epitomize 50 moments of Carine’s path. See it here. And also read on Telegraph what are the bets for the position that the editor is about to leave on the end of February. 



blogflashback2
Carine em 2009 na saída de um desfile da Balmain na Place Vêndome ao lado da filha Julia Restoin-Roitfeld.  
Carine circa 2009 on the way out of Balmain’s fashion Show at Place Vêndome along her daughter Juliana Restoin-Roitfeld.
CARINE
E em junho de 2008, na saída do desfile Dior Homme ao lado de um de seus possíveis sucessores, Stephen Gan.

And by June 2008, on the way out of Dior Homme Fashion Show beside one of her possible successors, Stephen Gan.
Alguns vídeos com Carine. No dia da despedida de Jean Paul Gaultier da Hermés: Some vídeos with Carine. On Faultier’s farewell from Hermès:



No desfile da Givenchy masculino inverno 2011 onde ela encontra a transexual brasileira Léa T (que mais tarde sairia em foto nua na revista. Tem a publicação nos arquivos do blog):
On Givenchy’s 2011 Men Winter where she meets Léa T., the Brazilian transsexual (that later on would appear naked on the magazine. The issue is on the blog archives):

Bisous
Assim que souber de mais news eu twitto ou publico aqui...
Paris 0°C
Soon I get more news I’ll twit or post it here…


Translation by Juliana Cintra Mercadante

LinkWithin

Posts relacionados