Túnel do tempo...Paris Street-style 2010...

turbante

De repente a gente entra novamente no túnel do tempo. Aliás, esse é um assunto reincidente na moda. Ou vamos para frente, ou pra trás. Quase nunca estamos no hoje, no que se refere a tendências. "Isso é velho!!!", diz meu amigo fotógrafo que está a meu lado, enquanto eu subo as imagens para publicar. É o tal do velho novo. É tanto turbante agora que até tem uma explicação: dias de cabelo ruim, dias em que o tempo vira, dias em que a gente quer mudar de cara mesmo. E eu presto atenção e estou quase indo comprar uma sombra branca para fazer um toque com o delineador preto ou para usar um risquinho em cima, exatamente como ela fez.  E nas lojas não tem turbante para vender. Então é algo vintage mesmo, mas tem camisa Jeans e tem muita coisa com toques, arremates de couro. Detalhes que a gente vai vendo o que diferencia uma peça velha de uma nova. São coisinhas que sinalizam o avanço, senão ficaria tudo com cara de velho. E não é?


Suddenly we get inside the time tunnel again. Besides this is an up and coming subject in fashion. Or we go ahead or backwards. Almost never we are on today, when we talk about trends. “This is old!” , says a photographer friend next to me, while I download the images to publish. It’s that new old. There are so many turbans now that it already has an explanation: bad hair days, days when there’s a shift in the weather, days when we just really want to change our face. And I pay attention and am almost going to buy white eye shadow to go along a black eyeliner or only a trace up in the eyes, just like she did. At the stores there’s no more turbans to sell. So it´s something really vintage, but has a jeans shirt and many things with touches, leather finishes. Details that we realize that it is what makes the difference from a vintage piece to a new one. Little things that indicates the improvement, otherwise it would all look like old stuff. Isn’t it?



BLOG
Ou é? Ao olhar a moça do lado esquerdo, vejo alguém que sai de dentro de um filme. Me lembro algo muito antigo mesmo, cenas do começo do século 20, quando Coco Chanel ia aos eventos e se irritava com penteados e vestidos que amarravam as mulheres. A diferença é que os longos de hoje trazem uma castidade, mas não tanto. São mais soltos e comportam muita transparência. Se você quiser mostrar a calçola pode. Tenho até uma foto para ilustrar, mas deixo para outro post. Hoje estou trabalhando em um computador emprestado e, por isso, não posso me estender muito em assunto nenhum...E pode também fazer exatamente o inverso. Como é o caso da moça de minissaia, botas e uma meia vermelha quase transparente que eu poderia detestar em qualquer outra pessoa, mas nela achei perfeita. O astral aqui conta tudo. E a naturalidade, o gesto também. Love it.

Or is it? When I see the girl on the left, I see someone that comes from inside a movie picture. Reminds me of something really old, beginning of the 20th century scenes, when Coco Chanel went to events and got annoyed with the hairstyles and dresses that tied up women. The difference of today long dresses it’s that they suggest a chastity, but not that much. They are looser and hold lots of transparence. If you want to show off your panties that’s ok. I even have an image to enlighten, but I’ll leave it to another post. Today I’m working on a lent PC, and because of that, can’t strecht out on any subject…And it’s ok to do exactly the opposite. While this is just the case of the girl in the mini skirt, boots and red sheer socks, so translucent that I would hate it in someone else, but on her I find it perfect. And the simplicity, and also the gesture. Love it.



minimalwhere3
Ok, mas o que é novo então? Nada??? Calma, não é bem assim. Essa tom azul-acinzentado da Fendi com esse manchado no meio e o forro de print piton aparecendo é novo. Lindo. A Peek-a-boo começa a martelar na minha cabeça.  Chega a aguçar meu desejo de uma it-bag nova. Quase, mas não resolveria minha vida e bolsa cara tem que resolver algum momento da sua vida. Nada a ver pagar uma fortuna para não usar.  Pode até pagar, mas tem que usar. 
Agora o que não é novo, mas aguça e reforça a ideia do militarismo, mesmo que com uma estampa mais do que conhecida de sempre: é esse casaco camuflado. Nosso inverno ou o verão de vocês ( para quem está no Brasil) tem quem ter uma peça assim. De novo, de novo e pelo visto para sempre. Quando passar a moda, a gente guarda por uma ou duas e até quatro temporadas, mas vai chegar a hora da reedição. E você vai pensar: ainda bem que eu comprei. 
Por isso o novo (quase) nunca é novo, mas tem gosto de ser. Pelo menos para gente que vive e respira o assunto o tempo todo. Quando redescobrimos algo no guarda-roupa temos a sensação do bom investimento feito. Sensação deliciosa.
Voilà. 

Ok, but what is new then? Nothing??? Easy, it´s not like that. This grayish blue from Fendi with this stain on the center and the python print lining showing up is new. Grgeous. A peek-a-boo starts to pound in my head. It even turn on my desire for a new it-bag. Almost, but that wouldn’t made up my life and the expensive bag has to settle a moment in your life. It is not worth to spend a fortune to not wear it. You can even pay for it, but gotta wear it. 
Now what is not new, but stimulates and intensifies the militarian idea, even if is on a print more than well known: is this camouflaged coat. In our winter or you Summer ( for whom is in Brazil) gotta have a piece like this. Again and again, and it seems that for always. When the trend goes by, we keep it for one or  two or even four seasons, but it will come the time to re-edition. And you’re going to think: I’m glad I bought it.
And that’s why the new (almost) never is new, but it seems like it. At least for us who breath and live the subject all the time. When we rediscover something in the closet we have the feeling of a well made investment. Delightful feeling.



Paris 3°C com chuva fria. 
Paris 3°C with a chilly rain.


Beijos
Kisses
A+

5 comentários:

Cátia disse...

que mala linda!!!


xoxo

LotteryHolly.blogspot.com

pepa-stylevintage disse...

Adorei o post ....lindo reflexivo e filosófico( a ilusão do novo )..lindo tudo. Aposto que agora, que estás sem computador sente mais vontade de publicar no blog e se enche de idéias para isso. Comigo acontece isto... qdo não posso , me encho de idéias...que lástima... haahaha abraços

pepa disse...

lindo o post ...reflexivo e filosófico, adorei o lance da ilusão do novo. agora, que estás sem o pc deve estar se enchendo de idéias e vontade de publicar, comigo acontece isso... que lástima... abraços

Tamires Padilha disse...

Eu estou fascinada com seu blog, adoro moda. Estou seguindo.

Tatiane Padilha disse...

Adorei seu blog!
Parabéns,
Caso querira visitar meu blog o link é
http://batomconcreto.blogspot.com/

LinkWithin

Posts relacionados