Moda Paris: Alexander Wang, Carlos Miele, Diane Von Fustenberg, Marc Jacobs, NT Fashion Week, inverno 2009/2010...




Vou observar Nova York. Imagem de Marc Jacobs para o inverno 2009/2010. A crise chegou forte aos desfiles americanos. Redução de número de desfiles e uma moda que não muda. É um continuar a fazer o que se usa. Jacobs vive e cria aqui em Paris. Gosto da economia colorida. Na verdade, a gente sabe que, para a maioria, o que funciona é roupa assim mesmo. O resto é porta de desfile.




Estou com uma coluna no prelo sobre este modelo de saia. Até eu tenho uma comprada ano passado na Printemps da Max Azria. Jacobs, como bom observador, saca a predileção das parisienses neste momento pelo volume...



Mas também pelo retrofuturismo, uma das vertentes da estação que vem.



E se Thierry Mugler não voltou ainda em passarelas, sua influência é forte. Uma outra que não enfraquece é a calça de cintura alta e pregas. Diferentes das do inverno passado, as de Jacobs, são bem mais secas embaixo.





Minha coluna da Gazeta do Povo de domingo passado se chamava: "De ombros bem marcados", uma influência seguida de várias maneiras que resgata os anos 80, mas pode ir para o futuro, se for aerodinâmica. Os brilhos das estampas, dos lamês, também vão acontecer no ano que vem. A crise não vai nos matar de tédio. Não enquanto gente como Marc existir.




Uma nota para Carlos Miéle. Ele também tem loja aqui em Paris e o fato parece tê-lo influenciado. Sinto ares de Balmain...




E, depois de muito tempo, gosto de não ver apenas vestidões esvoaçantes. Confesso que eles não me seduzem. Gosto de roupa para usar, bater até gastar. Peças que possamos realmente fazer "se pagar". A ideia do desembolsar muito por um vestido para depois usa-lo raramente sempre me pareceu absurda. Agora como recessionista ( coisa que sempre fui) tenho a certeza de que sempre estive certa. Um dos meus maiores erros? Comprar um vestido Issa. Não uso de jeito nenhum. Ele é lindo, mas acho que os modelos de jersey, no momento, dataram.





O que eu gostei mesmo de ver na passarela de Miéle foi o grande Max de Castro tocando. Para quem não o conhece, é filho de Simonal, um dos maiores artistas da musica brasileira das décadas de 60 e 70. A biografia de Simonal aqui.



Até Diane Von Fustenberg parece ter se cansado dos vestidos de jersey que ela tanto fez e ganhou dinheiro e que a Issa acabou indo na sua esteira. Seu inverno tem as mesmas saias rodadinhas que as parisienses usam agora.




As sobreposições e as misturas que Diane fez me parecem uma grande influencia europeia. Para mim tem muita coisa misturada. Cito algumas influências aqui: Missoni, Ives Saint Laurent...

Ah! As regras: o concurso dura até o dia 25 de março.
Você tem que arrecadar novos leitores para o blog. Amigos seus que gostem de moda e queiram receber a news. Para eu saber quem realmente indicou, a pessoa deve entrar aqui nos comments e dizer por quem ela foi indicada e mandar seu e-mail ou aqui ou para equipedoblog@anaclara.com.br para a gente cadastrar. Quem conseguir indicar mais amigos ganha o Manifesto que eu enviarei pelo correio.
Foi dada a largada


Ah! de novo: o video do desfile do Alexander Wang em NY. Confere:


Gosto dos couros. Tem ar Givenchy não?

Bisous
A+

7 comentários:

Bel sant anna disse...

eu acho que a crise vai afetar durante um tempo as grandes grifes e pequenas sim, é claro. mas de repente, a gente pode ver o outro lado: novos e criativos designers, uma moda mais real para o bolso e o luxo sendo entendido de outras formas...Adoro as peças de Miele e concordo com sua observação.

Luciana disse...

Voce pode mostrar seu vestido Issa?
Voce ja pensou quanto tempo levará para contabilizar quem vai levar o manifesto? Boa sorte, sucesso!

Carolina Asevedo disse...

meu e-mail é carolinapasevedo@hotmail.com ... fui indicada por Henrique marquez


beijoos!

Sineide maria disse...

oi, eu sou sineide, e quero me cadastrar para receber as news letter...
meu e-mail é sineidemmaria@hotmail.com

fui indicada por Henrique Marquez


:)

Davi disse...

Henrique Marquez me indicou o blog, realmente adorei, queria poder me cadastrar no news letter

Davi disse...

Henrique Marquez me indicou o blog, realmente adorei, queria poder me cadastrar no news letter

Anônimo disse...

Não acho que vestidos de jersey "dataram". Pucci é a prova que eles sempre serão um coringão no closet. O problema é a massificação. Os da Issa são lindos. Optei por um sem estampas, modelo quimono e uso muito.A próxima vítima serão os "bandage dress". No final do inverno ninguém mais vai querer vê-los. Só as espertas.
Marcela

LinkWithin

Posts relacionados