Moda Paris: Alberta Ferreti, Hussein Chalayan, Manolo Blahnik, Steven Meisel...



Das minhas. Uma coisa forte em tempos de crise é o uso dos acessórios. Os de cabeça estão por todas as partes de Paris. São penas, pérolas, franjas, chapéus, gorros, chapkas e outras coisas mais. Abro o post de hoje com algumas cabeças e cortes de cabelo de agora. De um inverno tão gelado que fica até difícil de sair para a rua e fotografar. Paris -3°C.



Adoro cabelos curtos. Usei durante anos. Ando louca para voltar. O estilo melindrosa é um dos meus favoritos, mas hà que se ter um allure para conseguir usar. Caso contrário, vira um personagem que não é você. Ela tem todos os requisitos para o cabelo. Seu rosto combina com o corte.


Voltando aos acessórios e cabelos. A franjinha bem curta faz o contraponto ao cabelo mais comprido. A tiara dourada é de couro, mas podia ser de corrente. No desfile da Chanel, todas as "chaneletes" ( meninas que trabalham na assessoria da grife) estavam com elas. Fiz fotos, mas não achei boas.




E mais uma dos tempos de crise: as cores nas meias, nos cachecóis, enfim, vale o touch pessoal para misturar ao preto. Sou adepta. Addict mesmo. Não das meias coloridas, mas dos acessórios.



Bege no sapato para misturar no preto. O modelo é bem antigo e me lembrou agora do nome do perfume de 190 ml que a gente ganhou na alta-costura da Chanel.



« Je me réfugie dans le beige parce que c’est naturel », dizia Gabrielle Chanel. O perfume faz parte da linha das exclusividades da grife e é apenas vendido em suas boutiques do mundo. Preço? 200 euros.



Merci mille fois...

Mais uma remessa de imagens maravilhosas recebidas do Dino. A campanha da Alberta Ferretti foi feita no Figaro Bistrot Café em Los Angeles, o mesmo onde Madonna foi fotografada para a Louis Vuitton. O espírito Paris está na moda. É tudo muito redundante e eu me torno redundante também, mas preciso falar. As fotos são do Steven Meisel.



A campanha da Ferretti é maravihosa e se refugia bem dentro da valorização dos acessórios com pulseiras enormes e presilhas de pérolas. Os cabelos e tudo mais vêm das melindrosas.



As franjas de agora podem ser de seda e requintadas ou ainda de couro no estilo western. Elas estão por todo lado. Redundâncias mil.



Hussein Chalayan fez parceria com o site eLuxury.com. Recebi as imagens da coleção de verão agora. Vê o que acha:




Para constar e adiantar:

O inverno de 201O tem muita estrutura e coisas que depois vou contar. Mas tem muito destes casacos como a Zadig Voltaire faz. Molinho de tricô. Não segura um frio como o que faz agora, mas para algumas regiões do mundo e épocas do ano é excelente. A única coisa é que fica bem apenas para as mulheres mais altas. Ele encurta as pernas. Ou vai de saltão.



Cavalli e Rykiel fizeram. Agora é Manolo Blanik Blahnik quem veste a Coca-Light. Para constar. Eu não bebo mais. Nada com aspartame ou que não seja natural. Prefiro água.

Bisous
A+
Bom calor para quem está no quente
Bom frio para quem está no congelador como eu!!

3 comentários:

My K. disse...

O que me deixa mais perto de paris é seu blog, faz tempo que eu entro nele, na verdade eu frequento aqui né, tomei coragem de vir comentar, parabéns pelo blog, eu adoro mesmo!
sucesso ;)

Luciene Vieira disse...

Parabéns pela decisão, Ana, de não ingerir adoçantes com formaldeído - aqui em casa tratamos como se fosse veneno de rato (e é!). Melhor o velho açúcar, mesmo. Ou nada - água já é tudo!

Val disse...

Ana, mais facil falar com a senhorita aqui do que em outro lugar...rss vc me deve um café, sugiro o Nabulione, perto de casa de frente pra Invalides, enfim vim comentar aqui que a moça com cabelo melindrosa do post é minha amiga da Bélgica! Its a such small world!! bisous

LinkWithin

Posts relacionados