Moda Paris: DG, Giorgio Armani, Lanvin, Miuccia Prada, Rafael Nadal, Roberto Cavalli, Milão outono-inverno 2009/2010...




Quanto mais vejo, mais gosto da Prada. Achei que não ia acontecer este momento de eu me deixar cair realmente de amores pela grife, mas é agora. O desfile da coleção outono-inverno 2009/2010 fez meu coração bater mais forte. É sempre o que eu espero de uma apresentação de grandes marcas. Tem que ter renovação. Miuccia reformulou again...




Cuissardes ( estas botas com canos enormes se chamam assim) largas e presas com cintas-liga por cima de short de lã e cardigan. Roupa? Nada. Cores. Nada melhor que enfiar um casaco quentinho e uma bota. A força dos acessórios. Os tons caramelo de novo para eles.



A crise traz classicismo. Não adianta. Quem vende sabe disso. Tailleurs para as mulheres da Prada. Nada muito justo. E o cinto para arrematar. Lembram?


E por fim um pouco de poesia num desfile que firmou as bases com os cacacos, as cuissardes e os vestidos decotados em V. Os cabelos presos nestes coques-bombril são maravilhosos. São remodelações de penteados de tempos de guerra. E para mim, as saias como que em franjas de couro, porém mais grossas, poderiam ser vestidas por uma Guinévere dos nossos tempos.
A mesa de Miuccia está armada. E é linda. Ps: queria entrar mais no capítulo sapatos e botas Prada. As desta estação tem saltos grossos de borracha ou são galochas com detalhes em lã ou pele(????). Os sapatos ficam entre os scarpins e modelos mais enfeitados, efeito modelo de dançar tango. Nada que a gente não consiga caminhar. Tomara que a gente consiga comprar.



D&G


Escolhi quatro looks para falar da D&G. Resgate de alguns itens primordiais. "Precisamos" comprar: calça e camiseta e saltão.


Sei que tem muitas adeptas do vestido corpete e saia-bolo. Eu passo a informação e recomendo para mulheres bem, mas bem pequenas...


As calças e camisas são simples, adequadas para uma certa depressão na moda milanesa?



Enfim, D&G fez vários modelos de vestidos ou duas peças com saias curtas e armadas. Algumas me parecem ter um tecido matelassê sofá.




Nem precisaria legendar para saber que é Giorgio Armani. O mestre faz mais do mesmo faz tempo e é muito bom. Um pouco de brilho e um ar chique. Refinado.



Mostrar ao público o que este sabe reconhecer como seu. Armani não confunde. Aqui tem réplicas de roupas feitas para serem usadas durante anos. Não vão para o baú. Não viram acervo.




E antes de cair nos slides com os super parecidos Roberto Cavalli e Gucci, um último look de monsieur Armanìiiiiiiii: cinza, saia comportada e casaco com rabo, se é que me entende. Adoro estes detalhes atrás. Como se diz no Brasil; usa depois com tudo. Até com jeans. Pronto! Vendi! Quero minha comissão Armani. Para explicar; quando eu fazia faculdade de jornalismo, trabalhava durante o dia em lojas bacanas para poder comprar minhas roupas. Naquela época eu nem imaginava que acabaria por unir as duas paixões.



A eles...


Tive que passar uma lupa para entender onde era Gucci e onde era Roberto Cavalli. As imagens com fundo claro são Roberto Cavalli, as escuras Gucci. As duas grifes investem no preto, no azul, nas calças justas, nas jaquetinhas. Existe muita sobriedade de cores , mas um toque rock'n'roll. Um pouco de transparência, um pouco de peles e as cuisssardes que-de novo- confundem. Tem vezes que parecem calças, mas não são: são botas. Roberto Cavalli colocou bege e fez uma de suas coleções mais limpas. É o fim do bling-bling para ele.



Nota de pé de página:


Rafael Nadal ( precisa explicar quem é este maravilhoso jogador de tênis espanhol???) é o eleito da Lanvin para lançar o novo perfume da grife francesa. São 120 anos em 2009 ( Jane Lanvin começou junto com Chanel). O perfume de chama L’Homme Sport.

Bisous
A+
Bom 2009 para quem está no Brasil. Começa hoje o ano não?

Um comentário:

Lúcia Gomes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

LinkWithin

Posts relacionados