Moda Paris: Catherine Deneuve, Elie Saab, Jean Paul Gaultier, Ines de la Fressage...



Catherine Deneuve chega ao desfile de alta-costura primavera-verão 2009 de Jean Paul Gaultier, ontem à tarde, aqui em Paris. Encontrei a atriz duas outras vezes. Uma vez como anônima, assim como eu, ela se escondia da chuva nos arredores da catedral de Notre Dame. Cruzei pela atriz, mito do cinema e maior representante da beleza deste país, como qualquer outra pessoa que anda pela cidade a curtir pequenos esconderijos dentre os lugares mais muvucados por turistas, como é, no caso, a região da Notre Dame. Depois encontrei Catherine no dia dos funerais de Yves Saint Laurent. Ontem foi a terceira vez. O encantamento é enorme quando se vê alguém tão significativo. Pelo menos, para mim, apreciadora de cinema, moda, musica, pintura e fotografia, entre outras artes, é.



As escadas que nos levaram à sala onde aconteceu o desfile de Gaultier. Maravilhoso lugar na rue Saint Martin. Um prédio que fica exatamente do lado das ruas, onde mulheres de mais do que meia-idade perambulam quase nuas, cobertas por imensos casacos de pele. Na grande maioria, de vison, igual ao que Catherine portava na fria tarde de ontem. Ao debut não percebi, mas ao avançar pelas ruas em busca da Saint Martin, descobri que ali é uma zona antiga de prostituição parisiense. Paris agora -3°C.




O ambiente da apresentação de Gaultier é absolutamente sedutor e cordial. Na parte de cima, imensos painéis com as imagens da atual campanha do estilista.




Os convidados variados. Muitos jornalistas como eu ou Diane Pernet.





Gaultier sempre resgata algo ou alguém que alegra a plateia. Ontem, a grande top foi Ines de la Fressange. . Entre 1983 e 1989 Karl Lagerfeld a escolheu como símbolo da Chanel. Ela firmou um contrato de exclusividade com a maison. Mas a relação não teve um final muito feliz. Ines se parecia muito com Gabrielle, por isso a escolha de Lagerfeld. Em 1989, Ines foi convidada para ser modelo de Marianne (uma estátua, símbolo da nação francesa, colocada em todas as prefeituras). Como tinha exclusividade com a Chanel, Karl Lagerfeld queria que ela recusasse o convite e dissesse: « Je ne veux pas habiller un monument, c'est trop vulgaire ! ». Traduzindo: "eu não quero vestir um monumento, é muito vulgar!". Mesmo assim, Ines aceitou o convite e seu contrato com a Chanel foi rompido após uma batalha judicial.

Mais tarde, a modelo iniciou carreira como estilista também. A grife com seu nome hoje pertence ao grupo Louis Vuitton que, vez por outra, lança coleções para manter a marca viva, mas não decola. O charme é dela. Ines foi super aplaudida em suas entradas. Ela tem 52 anos.




Entrando no desfile. Algumas imagens feitas por mim. A alta-costura Gaultier tem macacões com detalhes de smokings, ternos, tailleurs e vestidos com rendas, plissados ou metal.



O atelier Gaultier hoje é quem faz seus próprios bordados, rendas e todo trabalho artesanal. Para quem não sabe, Gaultier desenha para a grife Hermés e é o grupo quem mantém seu trabalho homônimo vivo.


Na sequência...

No lado de fora dos desfiles, a elegância feminina da maioria, no momento, priva pelo quase nada de maquiagem e uma sobriedade pertinente aos tempos de crise.




Amanhã conto mais sobre os dias de alta-costura. Sobre o desfile de Elie Saab com muitas tops desfilando para ele. Sobre Valentino. Sobre Giorgio Armani, Martin Margiela.




E sobre a comovente demonstração de amor à alta-costura em forma de filme. Vi ontem de manhã.



O desfile do estilista de Franck Sorbier teve apoio de dois dos mosqueteiros da moda francesa: François Lesage e Raymond Massaro. Mas isso é papo para outro post.
Bisous
A+

2 comentários:

Gaveta Fashion disse...

Imagens SOBERBAS!
: )

Dinorama disse...

Catherine Deneuve e Ines tem uma presença magnética e continuam lindas.e Diane Pernet com seu mega penteado tem um certo charme.

LinkWithin

Posts relacionados