Moda Paris: British Museum, Kate Moss, Louis Vuitton, Marc Jacobs, Rei Kawakubo...


Kate Moss em 50 kilos de ouro. Revelação fantástica esta semana feita pelo British Museum, em Londres. A estátua, feita pelo inglês Marc Quinn, custa 1,9 milhões...





A peça com a top britânica como modelo é considerada a maior ja feita até agora, depois do Egito antigo. Kate forever mesmo...



Flowers in the air...

Achei que as flores da Balenciaga iam ser febre neste verão que aqui em Paris quase acabou, mas vendo umas matérias sobre moda na interent percebo que a influência das criações de Nicolàs têm eco é no inverno que vai entrar. Curte alguma imagens de coleções com florais...




De todos o que eu mais gosto é do vestido da Missoni. Para mim as flores não podem vir em comprimentos muito longos. Acho que fui influenciada pelas mínimas proporções do desfile de Balenciaga, visto quase um ano atrás...


Enquanto isso...

Na caverna criativa de Marc Jacobs para a Louis Vuitton entra a Rei Kawakubo. A estilista da Comme des Garçons foi chamada pelo americano e fez estas bolsinhas...




Sou suspeita para falar, pois adoro o monograma secular da marca e sempre admiro as novas versões. Foi uma paixão que me bateu depois de ter vindo dar um tempo no território deles.



Fim de férias...

Pelas ruas aproveito para testar minha máquina nova e ver como o povo entra na cidade para voltar à vida normal. Preto básico não tem erro nunca. Este é o ano que mais vi versões diferentes de camisas...Justas, soltas, longas, curtas, com babados, com jabôs, enfim de todos os jeitos elas imperam!




E também as camisetas justas e gola V que os parisienses amam ( e eu também) e não deixaram ainda de usar. A febre atingiu os visitantes...




Clica na foto para vê-la melhor. A saia é outra dos novos shapes. Anote: não é balonê. É origami. Influência Dior de uma criação de Galliano feita quase dois anos atrás que ainda vale e muito.





Eu amo o bege. E amo a modelagem da calça que eu tiro do corpo apenas para colocar a slim. A minha chegou a rasgar na barra de tanto que uso. Esqueci no Brasil e estou quase adquirindo uma nova. Peça para usar exatamente como na foto. Siga as instruções.





E a sainha com bordado? Acho meiga. É eterna também na nossa moda de todos os dias.





Tiaras, brincos e afins voltam a fazer parte dos balangandãs deles. Marc Jacobs é um que usa brinco sempre. Influência total dele.



E nessa volta tudo mesmo. Até a cor da estação realmente desdobrada em várias versões. Isto é moda de rua. Isto é Paris.
Semana que vem tiro alguns dia de férias para visitar o interior da França, mas faço contato.
Bisous
A+

Moda Paris: Anna Selezneva, Azzedine Alaia, Carine Roitfeld, Emanuelle Alt, Givenchy, Ricardo Tisci, YSL...

Entrou nas bancas ontem a edição de setembro da Vogue Paris. Anna Selezneva é a capa com a cor da estação. Falei ontem aqui no lilàs e a revista confirma o tons derivados dele como os prediletos do mês e do inverno que vem.




Vou dar uma folheada na revista para dividir alguns comentários como a campanha inverno indiano da Hermés. Maravilhosa a imagem com Mariacarla Boscono de volta nas campanhas da temporada.




E ontem também eu falei do rock, dos anos 80 e tal. A brasileira Raquel Zimmermann estrela o encarte especial da loja de departamentos Printemps com a tônica Rock Couture. Foto com o shape da hora, mesmo os slims continuando a martelar e martelar este é o novo. Vai encarar uma calça-bomba? Pernas longas podem.





Quem não as possui, melhor ficar na admiração mesmo. Eu gosto e muito da mistura da veste curta e justa com a calça, mas tem que ter a manha para usar e pensar, principalmente, na escolha do sapato. No caso, salto alto mesmo...




E um dos editoriais da revista feito pela Carine Roitfeld aposta nos exageros. A saia de couro do Azzedine Alaia é preferida da editora-chefe da revista e em vários momentos da edição ela e Emanuelle Alt ( editora de moda) fazem alusão ao estilo que elas mesmas têm. Gostei, afinal servir de exemplo, no caso das duas e da equipe que as acompanha é uma boa. Não erram nunca. No meu entendimento. Sempre bom afirmar, afinal blog é pessoal e intransferível.




Tive a impressão que era Ricardo Tisci a meu lado hoje na banca na hora da compra da revista. O estilista da Givenchy cada vez mais acerta a mão. Amo esta coleção com Mariacarla de novo. Amei os figurinos da Madonna. O frescor de Tisci é absolutamente necessário na moda.



E a campanha de Jean Paul Gaultier tem a Daria Werbowy como top. Achei meio repetitiva a imagem. Ela estrelou alguns editoriais meio em pose de vôo. Pelo menos que eu me lembre em menos de um ano é a terceira vez que a vejo assim.



Outro shape da hora? O da Calvin Klein. Para iniciados total.




E ainda algumas campanhas ( tem muita propaganda! Diz um amigo que divide a revista comigo hoje!) com mais look anos 80. Quem viveu lembra.



Eu acabei não comentando a revolta do Peta com a atriz Gwyneth Paltrow pela campanha da Tod's. Na hora de engordar os cofrinhos as ideologias de alguns se esvaem rapidinho. É uma atitude recorrente na moda ver o povo falando e emprestando a imagem ao Peta e depois voltando atrás e usando peles. Assunto polêmico e longo, diria que sem fim...



Bem... Semana que vem a YSL vai distribuir nas ruas de Paris, Nova York e Tóquio mais um jornal Manifesto. A campanha é com a Naomi é a novidade é a bolsa que vem junto com o material. Vou viajar semana que vem, porém, contudo, todavia... marquei minha volta para o dia em que a distribuição vai rolar. Não posso deixar de ter a bolsa e o jornal em mãos. Viciei em moda e em blogar. Que fazer? Continuar...
Bisous
A+

Moda Paris: Agyness Deyn, Hugo Boss, Lindsay Loham, Victoria Beckham, Sonia Rykyel, tendências 2008/09...


Ufa, graças que as férias européias estão terminando. Não que eu não goste de Paris vazia e não que eu não goste de presenciar cenas como duas que vi semana passada. Antes de falar das tendências da reentrada (rentrée) conto as passagens de uma Paris "quase vazia". Estava eu ( e aqui a colocação do verbo depois do sujeito é proposital viu?) passeando num dia de chuva perto da Notre Dame. De repente olhei para o lado e vi Catherine Deneuve tomando um café como uma pessoa normal que é. Minha amiga não acreditou que uma atriz como ela poderia estar no meio da muvuca que se forma em torno da catedral. Estava. Vou deixar a outra passagem para amanhã, senão me estendo em histórias e deixo a moda de lado. E sabe o que é moda agora? O couro, as jaquetas perfecto e todo esse côté rock que a Agyness Deyn encarna tão bem quanto Kate Moss...




E falando na Agyness e nas minhas andanças por Paris passei ontem na porta do loja do Gaultier, aqui na avenida George V. Engraçado. Fui fotografar a vitrine com a campanha do perfume MaDame que a modelo é a garota-propaganda ( como chama no Brasil é assim ainda?) quando o cidadão vazou na minha foto. Gostei da imagem. Nem tudo é perfeitinho, aliás, nada na vida é.




Voltando às tendências: mais e mais versões do couro. O toque é anos 80. Total. Tire as suas do armário, se é que você não fez a mesma besteira de ter se desfeito da sua. Bem-feito ( rima proposital). Terei que carregar mais uma vez a minha whish list. Realmente o saco dos desejos não tem fim.





E lembra desta calça que a Victoria Beckham usou ano passado e que a Kate fez um comercial para a Longchamp? Então eles estão chamado de tregging. É tendência. Eu tenho uma. Uso com bata, casaco e um monte de coisa que tape o que a Posh mostra na foto. Não tenho a coragem dela. Gosto da idéia mulher-gato, mas não demais.



Que bom que ela voltou. Bem 80. Não guardei a minha. Wish list nela.



E a bolsa Zadig Voltaire, marca francesa que eu curto muito, é do mesmo time das calças de couro e das jaquetas rock. O bom é que a grife sempre faz este modelo. Para eles é básica. Para mim um clássico.



No baú das tendências tem também o coletinho de pelo, não pele! As camisas xadrez e a pantalona jeans circulam por aqui faz, pelo menos, uns dois anos.



E o vestido que a Lindsay usa nesta foto eu não sei se é da Sonia Rykiel. Confesso que não curto andar seguindo a vida das estrelas que andam expostas na mídia. Meu interesse é por moda, música e arte. Comportamento também. Fofoca não. Volta para o vestido: mas a Sonia faz estes modelos. São lindos e quebram o duro do preto de paetê. Peça para quem sabe não misturar muito. Gosto dele assim. Puro.



E o lilás para homens foi tema da minha coluna de domingo passado no jornal Gazeta do Povo. É tendência, entre outras tantas, para nós também. Eu não uso. Mas tem gente que fica bem. Gosto mais para os homens mesmo. Um mocassim, um casaco, um tênis...Bom, muito bom.


Pelas ruas...

As vitrines da Hugo Boss do Champs-Elysées são sempre divinas. O preto e branco por tudo. Dupla infalível, meu caro leitor...




Infalíveis também os shortinhos. Eles quebraram neste verão a hegemonia do "xiii esqueci" do ano passado. Ao invés de muitas saias, que não tapam quase "nada" ( ainda se vê uma ou outra), muitos deles...




Bem básicos como os pretos e càquis ( que também aparece nas calças de alfaiataria para usar com camisa xadrez!) ou ainda...




Na versão: "destruí minha calça jeans e ela virou um short bacana".
Vou destruir uma também.
Colocar fora? Nada nunca mais!
A moda anda em estágio menos gasoso, mais sólido.

Bisous
A+
Volto amanhã

Moda Paris: Madonna, Barack Obama, Karl Lagerfeld, Ricardo Tisci, Hubert de Givenchy, Sticky And Sweet, McCain, Valentino...


Não ia falar dela, mas não tem como não comentar a forma, a perfomance e os atos de Madonna na abertura de sua turnê Sticky And Sweet esse final de semana no País de Gales. Quem foi ao estádio Millenium de Cardiff viu a maravilhosa Madonna aos 50 anos de idade. Não tem Photoshop ao vivo, conformem-se ela é linda mesmo. Bem o mundo todo fala que o show foi um arraso mas...


Nas notícias que leio hoje cedo pela manhã as matérias sobre ela são outras. A questão é politica. Madonna ataca o candidato republicano à Casa Branca, McCain quando toca «Get Stupid». Em segundo-plano cenas de destruição, de Hitler, de Robert Mugabe, presidente do Zimbaué, e de McCain. O povo do candidato está uma fera com a cantora que ainda foi mais longe ao mostrar como bonzinhos, no mesmo vídeo, o também candidato à Casa Branca Barack Obama e ainda Al Gore, Bono Vox, John Lennon e Dalai Lama. Liberdade de expressão ou abuso de poder de massa? Boa questão. Particularmente acho que Madonna tem o direito de se posicionar a favor dos bons e dos ruins.


Enquanto isso no reino de Lagerfeld...

Ele vai fazer 75 anos em poucos dias, numa festa provavelmente aqui em Paris. As coleções de prêt-à-porter começam logo logo em todo circuito. Nova-York, Londres, Milão e terminam aqui no final de setembro. Karl sempre me surpreende pela disposição em ganhar dinheiro e fazer tudo perfeitinho. Agora ele veste os ursos da marca alemã Steiff ( famosa por um botão de ouro na orelha) e ainda lança um ursinho a sua imagem e semelhança. Os 2500 ursos-Karl custam 1500 dólares cada e serão vendidos na rede americana Neiman Marcus...



Ainda tenho tempo..

De ver a expo Valentino no Museu das Artes Decorativas. Pouco menos de um mês para passar. Ela encerra dia 21. Corro tanto por aqui que acabo deixando para a última hora algumas coisas importantes. A mostra conta a trajetória de Valentino Garavani. Aqui em foto do começo de carreira: 1965-1966 Valentino e Virna Lisi. Vestido alta-costura outono-inverno 1965-1966© Angelo Frontoni





Em janeiro de 2008 ele deixou as passarelas passando o bastão para Alessandra Fachinetti. A retrospectiva é uma homenagem ao trabalho glamouroso que o italiano traçou durante os anos em que trabalhou na moda. Valentino saiu da Escola da Câmera Sindical em Paris, en 1952...Aqui uma imagem de Verushka feita por Franco Rubartelli para a Vogue Italia em 1967. Moda atemporal é exatamente isso. As zebras são meu objeto de desejo agora. Ando louca pela estampa. A Dior refez bolsas lindas e na temporada de alta-costura do mês passado fotografei a Emanulle Alt da Vogue Paris com uma calça assim.




Depois de um começo triunfal Valentino virou um grande costureiro, famoso não apenas pelo vestido vermelho, como pela fase branca. Aqui Christy Turlington por Walter Chin alta-costura primavera-verão 1993. Atual também.




E este é o vestido do cartaz que chama para a expo. Peça de 2008, feita para a despedida do criador que entra na história ainda super em forma. Que bom. Perdemos ele como criador de moda de passarela, mas assim como Hubert de Givenchy, ainda o temos vivo e saudável para contar o que a moda viveu em seus tempos.




E meus arquivos...

Sexta-feira troquei de máquina fotográfica. A minha estragou e por alguns meses fiquem com uma emprestada, o que não me impediu de fotografar o estilo dos homens de Paris. Barba mal-feita, cabelo sem propósito arrumadinho ( bom não?) e uma camiseta cinza combinada com um trench-coat marinho. Boa combinação, precisava mais, precisava?????




E de posse de minha nova e possante câmera fui às ruas no final de semana. Encontrei mais meninos com o mesmo tipo de casaco que é uma versão desmembrada do Safari mistura aos casacos de guerra. A cor? Veja você mesmo...



As duas fotos foram feitas no mesmo dia. Quase iguais, eles variam entre o jeans e a calça branca e os tons de ray-bans. Mais um ano para eles. Gosto da sobreposição e do forro deste casaco. O outro é mais uma camisa...


E...

Adorei a quase "não" roupa de Madonna. Criação Givenchy em grande fase nas mãos de Tisci.



Confere o video polêmico do show de Madonna quando ela se posiciona politicamente...

Bisous
A+
Amanhã eu volto....

Moda Paris: Alexander McQueen, " A Shaded View On Fashion Film », Diane Pernet, Dino Dinco, Gisele Bundchen, Naomi Campbell, Stefano Pilati, YSL...



Hoje é dia de fotos vazadas na internet. Começam a girar as imagens de Naomi para a nova campanha Manifesto da Yves Saint Laurent. Trabalho fotográfico de Inez van Lamsweerde e Vinoodh Matadin e uma das melhores coleções que eu vi Stefano Pilati conceber até agora.
Não sei se ainda estou sob o efeito da morte do mestre, mas cada dia que passa gosto mais da sobriedade da Yves. É tudo tão perfeito, tão atemporal. É uma moda que entra na minha veia forte, pois não trata de hits ou modismos, trata de elegância, coisa que Yves sempre quis dar a suas roupas. A calça cintura alta e a camisa estão na minha wish list desde sempre. Entramos em fase de nada de exageros. Graças Stefano por continuar a conceber a Yves como ela sempre foi!


Não era para ter sido...

E as primeiras fotos da coleção que a Rei Kawakubo da Comme des Garçons fez para a H & M vazaram. Foi armada a maior confusão, pois a coleção vai para as lojas apenas no dia 13 de novembro e as imagens não podiam aparecer. Bem isso é o que diz o serviço de imprensa deles. Acho pouco provável. Estratégia de marketing para vender uma coleção mais dificil que as anteriores feitas por Lagerfeld, Stella Mcartney, Madonna, Roberto Cavalli e Viktor & Rolf. Faz um conferes... Eu gosto de algumas coisas.







Como as bolas sobrepostas e as cores. Não gosto de nenhuma parte de baixo. Sinceramente? Acho que ninguém fica bem sem uma certa modelagem mais justa em alguma parte do corpo. Opinião bem pessoal.





O que mais curti então são os casacos. Caem no meu gosto. Comerciais, são daqueles que, se não desmancharem por serem feitos na China, podem quebrar bons galhos.




E amei o casaco-vestido. Este me faria ficar numa fila para comprá-lo. Aliás, pode fazer. Se eu estiver por aqui na época.




E tem também...
A sessão masculina...


Gostas? Eu continuo com a mesma opinião: as partes de cima são boas, as de baixo fazem você virar um bruxo ou uma bruxinha de pano. Não sou desta corrente. Prefiro Yves por Stefano.




Para anotar:

Esta é para minha amada amiga Alexandra Farah do Filme Fashion. Tem festival de cinema bem na abertura da Semana de Prêt-à-porter de Paris. Estaremos com as redações afinadas para ver o « A Shaded View On Fashion Film » de 26 a 28 de setembro no museu Jeu de Paume, onde rola agora a expo do Avedon. A mostra é organizada pela Diane Pernet e o Dino Dinco. São curtas feitos por artistas que tem relação com a moda. Três documentários inéditos serão mostrados: um sobre Alexander McQueen, outro sobre John Galliano e ainda um sobre São Francisco nos anos 1960/70. Um júri vai selecionar as melhores obras inéditas. E Diane ainda coloca no ponto uma série de filmes que ela considera cults.


Para finalizar:

Gisele Bünchen na capa da revista para homens Arena. A publicação inglesa trata a brasileira como a mais sexy e bem-sucedida mulher de negócios do mundo.


Bisous
A+

LinkWithin

Posts relacionados