Moda Paris: Basso Broke, Dior, John Galliano, Lagerfeld, London Fashion Week, Paul Smith, Vivienne Westwood Red Label...


A London Fashion Week aconteceu bem no meio do furacão econômico das bolsas de valores do mundo inteiro. Estados Unidos em crise grave ( hoje aplacada pela injeção de recursos e o congelamento das ações podres que quase quebraram o mercado) e os desfiles como a de Vivienne Westwood Red Label mostraram o que eu ja tinha previsto: é tempo de mais do mesmo. De roupas clássicas, atemporais...





E o que são estas peças? Terninhos, tailleurs, saias mais longas ou não e a grande volta das calças largas sejam elas saroel ou não. Lição bem cumprida pela segunda marca de Vivi.


Em meio aos seus típicos shapes uma influência de sua passagem pelo Brasil ( ela lançou uma Melissa là que é vendida aqui também!!) com tops de barriga de fora.


E o "origamismo" da Dior de John Galliano com força e mais força. Tinha em Nova York e agora tem em Londres. E eu "tenho" um vestido "origâmico" da Maria Bonita Extra.




Mudando o "disco", como diziam os antigos, entram as estampas da Basso & Broke. Toda semana de moda tem que ter uma marca que as faça. Em Milão é Pucci. Em Paris é Leonard e Dries Van Noten. E em Londres são eles. Em Ny não me vêm ninguém agora em mente.





Verão necessita de cores e a grife fez bem feito, mas também não inventou nas formas. Se o tecido é ousado, o corte pode ser simples. Mais orientalidade e origamis.. Palavra para marcar em 2009...



Para confirmar: Paul Smith é maravilhoso. Ontem adquiri uma "veste" dele. Traduzindo: um blazer. Lindo de morrer, bem cortado, chique, clássico e de um azul maravilhoso. A marca cai na minha lista de preferidas e compráveis. As calças são as que eu quero no momento. Mas quero e ainda uso muito a slim preta e jeans. Todas para compor com os casacos justinhos, as camisas e as camisetas masculinas grandes ou justas. Pensamento: o justo com o largo. Nem tudo largo junto e nem tudo justo idem.



E ainda no Paul Smith o vestido longo. Prova de que a moda do verão 2008 ainda vai continuar respingando em 2009. Pelo menos enquanto a instabilidade financeira econômica reinar ninguém, sem um respaldo muito grande, vai querer inventar demais. Quem pode? Galliano, Lagerfeld e Jacobs para Vuitton ( por sinal a marca francesa mais lembrada em um ranking de 2008 internacional divulgado hoje pela Interbrand). É esperar e ver. Paris começa em duas semanas.
Estou credenciada e armada.
Bisous
A+

Um comentário:

Mariana disse...

Acredito que são os tempos difíceis que trazem as mudanças. Esperamos por Paris.

Bisous

LinkWithin

Posts relacionados