Moda Paris: Amsterdã, Evita Peron, Louis Vuitton, Madonna, Versace, Tassen Musem...


E eu volto com a foto do livro do museu de bolsas de Amsterdã. É uma jóia. Sabe quando você vai a algum lugar e não espera ver muita coisa e quando chega tem aquela surpresa? Foi o que me aconteceu ao conhecer o Museum of Bag an Purses ou Tassen ( bolsas em holandês) Museum...A história dele é a seguinte: ele existia numa cidade pequena no interior do país, até que um dia quando a coleção chegava a quase 3500 peças, a colecionadora Hendrikje Ivo colocou uma placa na porta do prédio a procura de alguém que quisesse ajudar a mudar para algo maior...




E apareceu um mecenas que comprou o prédio super bacana em Amsterdã com espaço para festas privadas, um café, uma livraria e uma loja. A gente pode, se quiser, sair com uma bolsa novinha ou ainda uma vintage em acrílico que uma colecionadora americana ofereceu para ser exposta e vendida.



O maravilhoso mecenas ( redundância proposital. Sempre é bom avisar) possibilitou que peças com a bolsa de 1600 em couro e metal de algum lugar da Europa entrassem um maior destaque.
A primeira bolsa registrada no Tassen? Vem de um tempo em que as mulheres começaram a carregà-las como um artigo importante nas suas vestimentas...



Depois elas foram pegando e pegando gosto pela coisa. Peça francesa de 1690, Limoges, usada para casamento. Sim, as noivas tinham bolsas especiais para suas bodas. Muitas vezes elas serviam para carregar moedas que ganhavam durante a festa.


Um modelo de 1600-1650 para carregar dinheiro com pedaços de prata nas pontas. O veludo é bom até hoje para a gente usar em bolsinhas de noite.


Interessante: o bordado em pérolas escrito: "'RememberThe Pore 1630". Lembrem dos pobres.



Bolsa para carregar cartas de amor. Achei uma maravilha a vitrine onde vários modelos eram confeccionados para as correspondências entre amantes, palavra que, naquela época, não deveria ter a mesma conotação vulgar de hoje. O tempo destruiu uma composição tão linda. Hoje falar em amantes soa a pecado, algo proibido, condenado pela sociedade.



Intrigante... Entre 1725-1750 pedaços de pano eram feitos em linho e bordados em seda. Carregados como bolsas nas pernas ou coxas femininas eram levados em baixo de enormes vestidos.



Com o tempo os materiais foram se sofisticando e as modas acontecendo como a do papier-maché de 1820. Também decorado com seda. Aparecem os paetês.



Claro que o monograma Louis Vuitton merecia estar entre os mais importantes do começo do século 20. Valise em couro francesa de 1920. Entende o poder do LV?




Mais para frente as primeiras peças em material sintético. Década de 30.




E teve até bolsa em forma de navio. Quem embarcava no Normandie em 1935 ganhava um souvenir da viagem.




Bem, o museu é realmente uma "viagem" pelo tempo, modas e hábitos. Imagina hoje alguém fazer uma bolsa assim? Cabeça de leopardo de 1962.



E chegando nos anos 90 a bolsa que Madonna usou no dia do lançamento do filme Evita. Era 1997 e quem fez o vestido com a bolsa da mesma estampa foi Gianni Versace Couture. Quer ver mais sobre o museu? Entra no site deles aqui
Bisous
A+

Nenhum comentário:

LinkWithin

Posts relacionados