Moda Paris: Yves Saint Laurent, Claudia Schiffer, Catherine Deneuve, Laetitia Casta, Katoucha...


Estou com o pensamento fincado em Yves Saint Laurent. A cada imagem de sua vida que vejo me surgem novas questões a respeito do criador... Por quê Yves cansou tão cedo? Por quê ele não achava mais graça ( segundo Pierre Bergé, seu sócio e companheiro) na moda contemporânea? Por que esse rapaz de olhar tão puro que assumiu antes dos 20 anos o cargo de assistente de Christian Dior abandonou a carreira e foi pouco a pouco apagando sua vida? Faço hoje mais uma retrospectiva de imagens do designer ( me disseram que não se usa a palavra estilista, por quê mesmo????). Hoje estou cheia de porquês....Essa foto foi feita em 1955 no dia em que ele assumiu a direção da Dior, logo após a morte de Christian...



Mas vendo os dados biográficos de Yves Saint Laurent começo a entender um pouco de suas desistências. O homem que fez a coleção Trapézio para a Dior pouco durou là. Ao ser chamado para prestar serviço militar durante a Guerra da Independência na Argélia, seu país natal, , Yves foi acometido de uma depressão nervosa, chegou a ser internado e quando reapareceu havia sido substituído por Marc Bohan... Li em um livro sobre a história da alta-costura parisiense que não foi bem assim...



A depressão de Yves teria sido curada com uma viagem ao lado de Bergé o que para os diretores da Dior soou como uma afronta... Assim nascia o império de Laurent e Bergé. Um nada seria sem o outro, disso não tenho a menor dúvida...




A trajetória da Yves Saint Laurent ( existe também a Yves Saint Laurent Rive Gauche criada em 1969) é marcada por grandes fatos. A quebra de silhuetas é apenas alguma delas. Quem lembra do perfume Opium? Me recordo de ver minha mãe e avò usando. O cheiro era inebriante, exalava pela casa e era sempre sinônimo de alguma coisa boa acontecendo por là ( festas, reuniões familiares, etc). A idéia do nome teria sido escolhida pelo costureiro graças a sua incursão no meio das drogas. A fragrância foi lançada em 1977 e soou como um acinte a moral e aos bons costumes. O resultado da irreverência apenas iria reforçar a imagem de força que esse homem tinha .O sucesso foi tão grande que os estoques acabaram três meses apenas após seu lançamento... Imagina que essa fama chegou ao sul do Brasil numa época em que telefone fixo era um luxo e televisão colorida também...




E chegamos ao grand finale da carreira de Yves Saint Laurent. Paris, final de janeiro de 2002, o Centro Georges Pompidou, mescla de museu e biblioteca e um dos mais importantes templos culturais da cidade, é o palco da despedida de Yves Saint Laurent da costura. Foi nessa época que o então presidente da França, François Miterrand, declarou: "moda é arte"...Se dentro do Boubourg ( apelido dado pelos parisienses ao centro) celebridades, tops e estilistas amigos de Laurent se acumulavam para aplaudi-lo, là fora a multidão se aglomerava para ver o espetáculo nos telões...





Na passarela uma grande retrospectiva de trajes importantes criados por YSL... Claudia Schiffer com o famoso la “Saharienne” criado para o verão de 1968 e usado em campanha publicitária pela top Veruska...



Um outro momento-chave da carreira de Laurent foi um grande desfile feito no Stade de France em 1998, também em comemoração aos seus 40 anos de carreira ( pelo que entendi ele comemorou duas vezes, uma pela data que começou a trabalhar e outra quando montou sua maison). Dentre as 300 modelos que se apresentaram, antes da final da Copa do Mundo de futebol, a hoje mulher do presidente da França, Nicolàs Sarkozy, Carla Bruni Sarkozy...





No desfile do Pompidou as africanas. Lembrando: Yves Saint Laurent fez muita coisa em cima de impressões que tirava das viagens que fazia. Vi na Fundação deles a expo chamada " Viagens Extraordinárias" , onde essa conexão entre roupas típicas e moda para usar foi mostrada... Aqui uma notinha que dei naquele período. O blog ainda estava engatinhando...




Dessas viagens pode-se dizer que saiu tudo. Espanha na mira de Laurent...



Paixões..

Uma das grandes amadas de Laurent era Laetitia Casta ( ela é uma das capas da Vogue Paris desse mês!). Aqui em 98, ano em que ela foi eleita pela revista Rolling Stones como a "mulher mais sexy"...



E foi Saint Laurent quem abriu espaço para as modelos negras em suas passarelas. A top Katoucha em desfile em 89. Ela morreu recentemente vitima de um possivel afogamento ao cair do barco em que morava às margens do Sena...



Bastante desgastado pelo tempo e pela dedicação à moda um Yves Saint Laurent rodiado das mulheres que amava e que o amavam no final do desfile em 2002...




E no dia 7 de janeiro de 2002 em uma conferência de imprensa monsieur Yves Mathieu Laurent disse adeus ao mêtier que tanto amou, deixando Tom Ford em seu lugar... Em 2004 é a vez do italiano Stefano Pilati assumir o cargo...
Bem acho que contei quase tudo que sei...
Vou continuar acompanhando os desdobramentos dessa morte numa semana especialmente dedicada ao mestre.

Suas pombas fúnebres serão na quinta-feira. Depois da solenidade as cinzas de Yves Saint Laurent serão levadas ao Marrocos e guardadas no jardim de uma propriedade do criador e seu companheiro, Pierre Bergé.


Com o maior respeito e admiração pelo que ele representa para a história de nossa moda me despeço
Bisous
A +

3 comentários:

(¯`·._.·[***Celina***]·._.·´¯) disse...

Informações preciosas, não sabia disso tudo. Parabéns pela matéria.
Bjo

Samuel disse...

Oi Ana!!

Obrigado pelo retorno, talvez o mistério tenha que ser mantido, acho que essa é chave para o sucesso da Maison Margiela, né!!... Ainda choramos a perda desse magnífico Costureiro!! Símbolo de tempos aureos da Alta-Costura parisiense, YSL é costureiro sim e dos bons, no processo criativo da moda esse tipo de profissional, que desenvolve uma técnica e a pratica, podemos chamar costureiro, e esse conceito foi instaurado por Charles Frederick Worth, pai da Alta-Costura. A partir do anos 60 quando o sistema da moda passou por uma dinamização chamada Prêt-à-Porter, onde podemos inserir a figura de YSL também, para a Rive Gauche, o profissional dessa área se dinamizou também, e por isso passa a sugerir e não mais ditar o que seria estilo e, portanto, Moda. Esse é o estilista. Hoje as coisas se tornam ainda mais complicadas, a moda veio desde sua origem(1482, séc XV)num processo de crescimento e solidificando suas bases no mesmo terreno que o da Arte, por isso, sempre se teve essa dúvida, Moda é arte? Hoje eu penso que sim, essas culturas caminham lado a lado, inclusive com os mesmos questionamentos. Para isso precisamos nos remeter a Duchamp, que instaura um pensamento de arte como ciência, e sendo ciência tem que se questionar. Dessa forma podemos atrelar nesse pensamento a moda!! Quem mais hoje se auto-critica do que a própria moda? Temos designers tão intrigantes, o próprio termo passa por um processo de auto-critica, podemos pensar hoje nos diretores criativos de várias marcas. Atualmente se fala em artistas, de criadores de conceitos, principalmente pq a moda muitas vezes não está na roupa e sim num gesto ou ainda no "pó de uma seda quando cortada por uma tesoura"!!! Essa é parte da minha explicação do pq dessa alteração no termo para designar essa mágica profissão de cobrir corpos, sobretudo com muita inteligência!! Ana, lindo o post, chorei com a rosa!! Domingo foi um dia que entrou para história, não só da moda, mas da humanidade, pq Laurent e seu repertório são emblemáticos na ilustração de parte de um contexto relevante no caminhar da História!! Beijos!!! Do amigo Samuel!!! (já tô curioso com a nova cara do blog, vai ficar lindo, como tudo que vc faz!!)

cleudiLene disse...

Ei Ana Clara,
quando vi a notícia no jornal logo imaginei que teria algo sobre o Yves Saint por aqui! A notícia foi bem rápida, mas, deu para perceber a importância que Yves teve e tem para a moda'. Gostei de saber da trajetória dele e de que foi ele quem abriu espaço para as modelos negras nas passarelas.

Esperando por mais notícias!
beeeeeijos! ;*

LinkWithin

Posts relacionados