Moda Paris: Viktor e Rolf, Dior, Vivienne Westwood, Dior, Martin Grant...Tendências 008: du rouge!


Sexta-feira é para mim o melhor dia da semana, sobretudo em Paris. Antes de vir também era, reservo, desde que me lembro de dar valor aos pequenos momentos da vida, algumas coisas especiais para fazer no último dia útil da semana. Esse último útil na verdade não vale para os jornalistas. A gente não tem dia e nem hora para trabalhar, bem, que seja! Dedico o dia de hoje ao vermelho...A cor símbolo de paixão, fervor, ódio, amor, calor, proibição, etc... ganha a partir do dia 19 de março uma expo no Museu das Artes Decorativas. Eu conto as horas para poder vê-la.. Antes disso procura na moda de hoje a cor. O vermelho da alta-costura da Dior é escuro, quase sangue e acompanha cabelos enormes...Tudo para lembrar a paixão que uma certa Madame X tinha pelas roupas e pela irreverência...





Na criação de Martin Grant a cor, que em francês se chama rouge ele é vivo. Antigamente se chamava blush de rouge. A conexão vem do efeito que a maquiagem provoca nas bochechas. É como quando a gente se esquenta!!!A tal da cor de saúde era associada ao nome vermelho em francês. Me lembro que, até os 18 anos, meu pai não gostava que as filhas colocassem rouge no rosto. E vermelho nas unhas então!!! Essa foi uma das poucas proibições paternas que tive na vida. Hoje associo à vontade de meu pai a um desejo de não entrarmos cedo nesse universo de sedução produzido pelo vermelho...




Até hoje, confesso, não uso muito vermelho nas roupas e nem o rouge que para mim virou blush, ma as unhas estão 90% do tempo pintadas com essa cor. Tenho coleção de esmaltes com os mais diversos tons de vermelho.
E, vez por outra me perco em confissões, as botas de verniz da Vivienne Westwood são de um vermelho vivo, diria paixão..



Mas os tons que a estilista inglesa usou na sua passarela aqui em Paris, semana passada, são mais desmaiados. Vivienne protesta contra as desigualdades com sua moda, pinta o rosto de suas modelos como se estivessem em uma guerrilha e, fazendo uma associação simbólica, vejo um cansaço nessa luta. As coisas deveriam ter evoluido mais entre os homens e esse vermelho está cansado...



O vermelho da vanguardista Miuccia Prada para o inverno 008/09 de sua Miu Miu é bem forte. Como se fosse concentrado. Tem muita energia para emanar daí...




E eu fiquei em dúvida se o vermelho da Donatella para a Versace realmente vermelho era. Mas é... Meio cereja, diluído pelos tempos fortes que a empresária e estilista tem passado. É uma nova discrição da grife. Um "vamos com calma"...



Heiid Klum resplandeceu com a cor... Adorei o coque... O tom do loiro. Enfim a cor lhe concedeu o brilho das divas...Misturado com as pedras rosas então? A combinação rosa e vermelho é muito boa...




E o vermelho de AF Vandervost é vivo... Quase laranja...



O de Yamamoto é suave e se usa com verde...


E o de Viktor & Rolf faz aquele jogo de dar um toque apenas nas meias. Esse é forte e mostra: a combinação com bordeaux ( seria essa cor um vermelho envelhecido????) é boa aussi...




E na vida real os vermelhos estão por toda a parte. Vou mostrar ainda muitos... Esse partilha a intensidade da cor com a suavidade do rosa. Mais um bom exemplo do jogo de cores...




E como esse assunto ferveu na minha cabeça acabei encontrando a foto da Amy Winehouse, supostamente na festa da Fendi na sexta-feira passada, aqui em Paris. Ao lado de Karl. Deve ter vindo escondida numa cápsula que certamente não era vermelha, senão teria sido destroçada pelos fotógrafos, repito: eles não são de brincadeira, quando chega alguma celebridade passam pela gente como se fossem uma nuvem de poeira. É igual ao que a gente vê nas histórias em quadrinhos ou desenhos animados. Ainda não entendi como a Amy passou incógnita. Prossigo a investigação...


Volto segunda
Vou me repor de tanta informação
Bisous
Põe força no vermelho
A+

Um comentário:

Ju disse...

Ana Clara, encontrei o teu blog por acaso, e foi um excelente acaso. Adoro, venho todos os dias e já retirei daqui umas fotos para o meu, espero que não te importes.
Sou portuguesa, moro em Lisboa e trabalho com moda tb.
Um abraço e parabens pelo teu trabalho.
Ju

LinkWithin

Posts relacionados