Moda: Prêt-à-porter Milão outono-inverno 200/2009. Emporio Armani, Missoni, Just Cavalli e + street-fashion...


Uma moda sem muitas renovações diria um especialista sobre o desfile de Emporio Armani, ontem em Milão. Uma das marcas de Giorgio Armani, a Empório apareceu com as referências de cores marca-registrada do estilista (cinza, preto, branco e alguns brilhos), mas com pinceladas de uma nuvem que atravessa o nosso céu agora; a dos anos 68...



Armani não entrou na hippie-time com força, porquê não é de seu estilo caracterizar muito suas coleções, mas em uma coisinha ou outra a gente reconhece...




O espírito da hora. Casacos com abotoamentos militares para usar com o quê???? Boinas, muitas delas...E o veludo molinho é um tecido que serve para fazê-las ou ainda para as pantalonas que, se não desbancam as silhuetas sequinhas, começam pouco a pouco a ganhar nova vida...Eu ativei as minhas...




E a Missoni me parece ter ares de Louis Vuitton inverno do ano passado. Os drapeados e os volumes se assemelham. O segundo look tem ares de Prada, também sessão passada, mas afinal quem se importa com isso? A idéia é fazer uma moda comercial lembra? Tudo se recicla na moda, sobretudo as idéias de como refazê-la...



Missoni tem veia boa para o inverno que vem. Gosto dos macacões, dos coletes com pantalonas. Bem 70... Charlie iria adorar uma de suas Angels com qualquer look desses...





Cada coleção de Roberto Cavalli para ele mesmo ou para sua segunda marca, a Just Cavalli, gosto mais do estilista italiano... Essa sim num hippie-time total com seus lurex, suas saias longas e também as curtas, afinal os 70 foram anos de criação e de muitas formas...




As patas-de-elefante que Cristophe Decarnin relembrou para Balmain ano passado em sua alta-costura e depois em seu prêt-à-porter estão agora em várias coleções. Outra volta certa? O terninho setentinha... Escolheu a cor do seu???




E os rapazes também apareceram na coleção feminina da Just. Matéria vista. Se as mulheres usam o xadrez, a gola-smoking e a perfecto eles também!!! É um troca-troca começado por Gabrielle Chanel no começo do século passado. Ela adorava pegar roupas ou tecidos de seus amigos ou namorados e transformà-las em peças femininas. Nadinha de novo...


Enquanto isso...

Aqui em Paris as boinas e o rosa claro ou forte ( sempre existe o contraponto) proliferam em todas as idades e formas...



O vermelho-revolução idem...



Assim como os conjuntos, ternos ou seja como você prefira chamar com as pantalonas e as bolsas idem. Atenção nova avalanche de bolsas enormes vindo por aí.




E o tal do hippie-time again . Dessa vez nada de passarela e sim para comprar na Dolce & Gabanna da avenue Montaigne. Não adianta fugir. É uma época a ser revivida agora, de novo e, acredito que sempre pela criação...




Como falei esses dias o presente quase não existe. O que temos de fato é o passado e o futuro. A moda é especialista em conectar esses dois tempos e eu aqui sirvo como ponte entre esse blog e tudo isso. Mais além? Uno um pedaço da moda com partículas de um entardecer em Paris.
Bisous
A+

Nenhum comentário:

LinkWithin

Posts relacionados