Moda Paris: Dolce Gabbana, Antonio Marras, Diane von Fustenberg, Pucci, Diane von Fustenberg, Legwork, Chanel e as cores que eu gosto...


Pane total e pela primeira vez depois de muito tempo fiquei sem postar numa segunda-feira. Feito que hoje é o primeiro dia da semana e eu recupero o prejuízo de ontem falando sobre cores, texturas e lançamentos...Final de ano é hora de vestidos e produções. Para mim um pouco de cor em tudo isso é essencial, apesar de eu amar um preto e branco. Essas imagens italianas mostram como usar um tomara-que-caia metalizado da Dolce & Gabbana. É tempo de cabelos rebeldes, pouca maquiagem e peles mais brancas...




Aproveito esse editorial para a gente repassar e rever o que vem ainda por aí. Todos esses tons fortes, mas não fluor, estão na pauta. A fase chamativa passa e os opacos tomam conta e combinam com brilhos reais dos laminados, das botas de plástico e preste atenção no vedete-violeta. Para quem está no Brasil agora: faça uso com jeans clarinho cintura alta...



A propósito: um monte de gente comentou sobre a dúvida da cintura alta. O resultado é: a maioria gosta, mas existem os que acreditam que essa silhueta não emplaca mais. Acho que emplaca para quem segura a onda. Os slims continuam. As leggings não. Deu.
E esse rosinha? Adoro. Suaviza, eterniza, cria um espírito de pureza ainda mais com essas formas de saia e casaco. Bom para as pequenas...



Se o balonê foi decretado morto daqui para frente, as evidências dizem NO NO NO... Ainda têm um tempo de vida útil. Apenas não vale gastar uma fortuna, ou até vale, para guardar depois...



E a saia justa de vinil laranja realmente me seduz...



Falei dos opacos com brilho e parece uma coisa contraditória, mas Antônio Marras e sua Kenzo ajudam a decifrar minha frase... E mais rosinha vovó...




Para confundir mesmo o rosa-choque-pink da Celine verão europa 008. Sasha encarna o espírito da coisa, entra no mesmo nível da foto 1, não tem muitos adereços e rola o monocromático...Bolsa e sapato iguais. Não destoar é a ordem aqui. Uma característica da moda real de Paris. Existe uma harmonia. Os italianos já são mais espalhafatosos, mas hoje nas passarelas estão mais comedidos, por isso estão na frente em vendas. França é tradição. Itália faz vender e invade geral...Milão é a atual capital da moda em números.



Ainda nos italianos queria mostrar o novo óculos da Pucci. A marca italiana lança em parceria com a Solaris vários modelos de óculos agora no começo de 2008. Tem várias lojas em Paris. Uma delas é enorme e na avenida Champs Elisèes. As peças ficam em expo do dia 15 de janeiro a 28 de fevereiro. Preços? De 255 à 403 €.



E essa é a bolsa-envelope de Diane von Fustenberg. Ela inventou o vestido na década de 70. Anos depois de ter sido copiada pelo mundo todo, a estilista com nova loja em Paris aparece com esse chouchou que pode custar até 11 mil euros se for na versão croco. Os modelos mais baratos saem até por 600. Tudo euro claro.



E vem dos Estados Unidos a nova moda parisiense. O vídeo Legwork foi encomendado pelos estilistas de sapatos Victor Chu e Cece Chin a um grupo de dançarinos da Broadway. Eles queriam ajudar a transformar as pernas femininas em maravilhas para usarem saltos agulhas. O Dvd já é vendido em Paris. Onde amore? Galleries Lafayette...


Um pouco de história...Estou imersa no mundo de Chanel com a biografia dela que leio agora...Aqui ela fala de moda. Absorva...

Bisous A+
Hoje no outro blog: os longos!!!

Um comentário:

Next Generation Mission disse...

Dear Ana.Parabéns.Olha,sou novo neste assunto de blog.Entretanto,achei o seu na Gazeta do Povo e achei de alta qualidade.Tambem tenho um,muito amador.Chama-se nextgenerationmission.blogspot.com. Sendo assim,valeuuuuu pelo seu trabalho.
Sergio Abreu

LinkWithin

Posts relacionados