Moda Paris: Diana Spencer, a princesa do povo. Dez anos sem ela. Um post em sua homenagem...









Hoje faz dez anos que a ex-princesa Diana morreu aqui perto de onde moro. Acordei cedo e fui là fazer as fotos que publico aqui sem palavras para no final transcrever um texto que fiz ontem no meu outro blog....












Começo o post de hoje falando na Diana. Ela morreu aqui perto de onde eu moro em Paris. Place D'Alma, um lugar lindo emoldurado pela torre, mas que estranhamente tem esse nome e também postes que parecem seres de outro mundo. No começo não sabia de toda a história, mas aos poucos fui aprendendo mais sobre a flâmula dourada que virou o ponto parisiense de homenagem à ex-princesa, morta no túnel que passa exatamente debaixo onde ela foi colocada.
Na verdade ela é a réplica exata da flâmula da estátua da Liberdade americana que, por sinal, foi um presente francês aos americanos. Tudo isso porquê aqui em Paris existe uma outra e inicial estátua da Liberdade. Esta antecede ao famoso símbolo americano. É um troca-troca de gentilezas entre França e Estados Unidos e não um monumento pensado em sua homenagem. Mas acabou sendo. Essa semana o lugar està cheio de fotos, flores e gente fazendo visitas, como se fosse um túmulo. O povo escreve mensagens de amor, de saudades, de indignação e ali virou um cantinho para ela em Paris...Independente de aniversários sempre existe essa paradinha. Atração turística mesmo.
Sobre Diana, Paris tem várias passagens para contar, além daquela terrível noite de 31 de agosto de 1997. Muitas ligadas com sua vida pessoal e uma possível trama de conspiração de assassinato duplo passam em documentários mostrados pela televisão francesa. Dodi al-Fayed e ela estariam incomodando várias pessoas e colocando em risco interesses pesados com seu romance. Muita coisa nessa história não encaixa, mas o caso faz dez anos amanhã e provavelmente vai ser arquivado.

Quando o assunto é falar de Diana viva e as cenas de elegância que protagonizou, aí eu gosto mais. Certa vez ela veio para cà participar da inauguração da expo Cézane no Grand Palais. A então primeira-dama francesa Margareth Chirac inventou de presenteà-la com uma bolsa Dior. Bernard Arnault, presidente do grupo LVMH que detém Dior, Vuitton, Chandon, entre tantas outras grifes de luxo, mandou confeccionar a peça toda em matelassê de couro em uma noite. Isso foi em 1996.

Aproveitando a deixa da data, a escritora Tina Brown lançou um livro sobre a ex-princesa de Gales. Cenas da uma vida de uma mulher que, segundo ela, não tinha nenhuma cultura e sempre se achava estùpida, mas era dotada de uma enorme inteligência emocional... "Diana, Crônicas intimas", jà està nas livrarias européias...

Para encerrar essa rápida imersão queria falar: o corte "Diana" foi feito para a princesa em 1981 para seu casamento com o princìpe Charles. Ela nunca mudou. Colocava vez ou outra gel neles ou deixava um pouco mais longo, mas se manteve clássica e fiel ao estilo. Até o fim... Pena. Saudades de verdade. O mundo precisa de mulheres elegantes que usem seu poder para ajudar quem precisa. Ainda que andem tapadas de diamantes, ainda que usem bolsas, sapatos e vestidos que poderiam alimentar famílias, mesmo assim é importante ser mais do que um porta-estandarte de "nada" ambulante. Fazer o que Diana fez deixa o exemplo. Ser útil na inutilidade. Uma mulher que tinha tudo e não precisaria mover uma palha para ajudar quem precisa, mas moveu.
Eu volto.

Bisous A+...

Salve Diana!

3 comentários:

Samuel disse...

Ana!!
Essa frase que vc escreveu diz tudo sobre Diana e o exemplo que ela deixou!!! "Ser útil na inutilidade!!", nossas elites deveriam seguir mais esse exemplo e enxergar que atrocidades são cometidas para que somente alguns possam desfrutar a vida!!! Linda homenagem!!! fiquei emocionado!!! Beijos!!! Mais uma vez eu digo: Gente assim não devia morrer!!! Saudades, Diana, saudades!!!

Juliana Ozol disse...

Magníficas palavras! Confesso que fiquei emocionada... nem mesmo o tanto de filmes e documentários passando na tv não despertaram em mim a emoção que teu texto despertou!
bisous!

silvio jp disse...

Ana Clara,
Mas uma coisa boa que eu ouvi de um noticiarista japonês: "Fazem 10 anos e a imagem que temos de Diana é esta. Vai fazer 20, 30 anos e a imagem vai continuar a mesma. É esta a imagem que vai permanecer por muito tempo. "
***
Então agora, diamantes e Lady Di são para sempre.

LinkWithin

Posts relacionados