MODA PARIS: àguas Chanel na alta-costura inverno 2008...


E o desfile da Chanel alta-costura 2008, ontem de manhã, no parque Saint-Cloud, poderia ter dado errado, mas a maison tirou de letra e com elegância a quase destruição de tudo causada pela insistente chuva que cai em Paris hà dias. Nem parece verão. O céu estava preto e a apresentação tinha flores e uma passarela de pedrinhas com um jardim de cenàrio...









Verão? Nada disso... Os jornalistas chegavam jà bem armados contra o mau-tempo. Botas , guarda-chuvas. O bom seria uma galocha mesmo. A Chanel fez uma no ano passado. Devia ter comprado, mas não. Fui com um modelo da grife de salto alto com jeans e verniz e quase perco minha mais recente aquisição...









Se o tempo estava feio, quem se importou? Os amigos-celebridades de Lagerfeld como Vanessa Paradis, mulher de Johnny Depp, foram em peso... Sabe que a àgua acabou dando um charme ao ambiente? Ficou todo mundo mais pròximo e divertido...










Toda a àgua nem afetou o diretor David Lynch... Presença da boa no défilé...










E sabe quem é essa? É a filha da "diaba" Anna Wintour que eu falei no post anterior. É possìvel sucessora da mãe. A chefona da Vogue América não sai sem ela ultimamente...










Teve gente que ficou tensa, achou que o desfile poderia ser cancelado. A imprensa criticou a organização da Chanel. Para o Le Monde, a passarela de pedrinhas era perigosa e os toldos brancos poderiam ter desmoronado...









Mas nada caiu. Tudo foi varrido e arranjado para a apresentação começar. Na vitrola rock e na passarela uma roupa de sonhos. O preto longo armado é um show. Uma das extravagâncias que Lagerfeld faz questão de dizer: é ele mesmo quem cria e pensa em tudo. "O diretor de estilo sou eu", disse à televisão daqui...









E os tailleurs maravilhosos que Gabrielle Chanel amava estavam là. A cor é meio um vermelho-telha e as botas são de pelica fina. Se chamam cuissards, por serem mais longas que o normal...










Teve rosinha clarinho, bege-marfim e vàrios tecidos. De lã a musselines. Bordados e plumas... Tudo originàrio dos ateliers de artesãos que a Chanel comprou...









Teve até vestido estilo cinderela 2008... Como a grife é a que vende mais alta-costura no mundo e o mercado asiàtico é grande dà para entender o modelo... Elas adoram...









E o vestido de noiva todo de plumas poderia ser igual ao da coleção passada, mas não é. Genialidades de Karl...









Que desfilou de calças brancas, òculos pretos com cristais. Sempre gosto de ver os modelos que ele usa nos desfiles. Ditam tendência. Karl sempre à frente... Um mito vivo para mim...








Depois de tudo encerrado, hora de mais fotos. Esse look é do prêt-à-porter inverno 007-008... Lindo de morrer...








E hora de abraçar Karl... Reconhece esse senhor ai? É Raymond Massaro, o mestre que faz as botas lindas e muitas vezes bordadas para a Chanel... É chamado um dos mosqueteiros da alta-costura francesa...










Electra Rosselini em foto exclusiva para o blog. Não precisa de legendas...








Tampouco Ana Mouglalis... As duas são garotas-Chanel...








E ainda o paparico das clientes estilosas. Desde os tempos de Coco a tradição se mantém: elas vestem as roupas da grife da cabeça aos pés para prestigiar e se sentirem homenageadas com as novas coleções. Por isso Lagerfeld cria roupas de vàrios estilos e sempre mantém peças mais comportadas. Ele colocou as cuissards nas suas coleções a fim de que as mais velhas possam usar saias curtas, sem mostrar a pele das pernas...











E até os seguranças de Karl protoganizam imagens de elegância e harmonia...









Deu tudo certo. O desfile foi lindo e uma coisa aprendi para sempre. Em Paris o tempo é traiçoeiro. Uma boa bota, um lindo guarda-chuva e um super trench-coat são peças indispensàveis para quem vem passar temporada aqui. Não importa qual. Bisous A +.





Amanhã: Franck Sorbier e um desfile incrìvel...






PS: No post sobre a festa da Dior esqueci de contar uma coisa. Escrevi esse texto para o Chic, mas ele acabou não entrando na ìntegra por um descompasso horàrio de edição. Aqui são cinco horas a mais que no Brasil. Vou colocar para complementar o texto de abertura do site da Glorinha Kalil e as informações do blog.


"O clima era de festa, mesmo que no fundo Galliano esteja sobre a influência de uma tristeza. Seu amigo e assistente Steve Robinson morreu hà três meses aos 38 anos. A relação dos dois era tão forte que a jornalista do Herald Tribune Suzy Menkes chamou Robinson de alter ego do estilista da Dior. No material que recebemos junto a um leque comemorativo ao Bal des Artistes, cuidadosamente postado em cima dos assentos de nossas cadeiras, a citação: "Para celebrar os sexagésimo aniversàrio da casa Christian Dior nòs exploramos a primeira coleção do senhor Dior, não a moda, mas seus favoritos artistas. Usando o espírito do Neo-Romantismo artístico que essa galeria representa nòs criamos o ultimo Baile dos Artistas como um tributo à memória de Steven Robinson".

Um comentário:

Luiz Oliveira disse...

Querida Garmendia, tenho visto e gostado cada vez mais do seu blog. De muito bom gosto, igualzinho como a responsável por ele. E agora vou "chupar" uma informação, mas não se preocupe que não é sobre moda, mas sobre música. Gostei da banda dos belgas, visitei o site deles, escutei mais músicas e vou indicá-los no meu blog aqui da Gazeta Online. Bisous.

LinkWithin

Posts relacionados