Vintage feelings...Paris 2014...Paul Poiret...


Uma imagem que me transporta a um tempo que não vivi. Os anos 10 revistos cem anos depois. Paul Poiret eternizou esse estilo. Art Déco,  Belle Époque, um tempo onde o nome já diz tudo. Por que se a moda busca aliados para se reinventar, estava faltando um link novo com o estilista que começou a ponte entre a realidade e os costumes de teatro.  Foi Poiret que, ao lado de Madeleine Vionnet, iniciou a liberação feminina de trajes que impunham o corset. Ele teve uma importante participação na ajuda da emancipação feminina. Ainda hoje, olhando para as imagens daquela época, sente-se a exuberância feminina através de uma roupagem rica de símbolos, extremamente confortável. Riqueza. Tudo diferente do que era o padrão normal para aquela época. Olhar para o que Poiret deixou como legado e retraçá-lo pode ser uma das boas vertentes que a moda tome por esses novos tempos. Eu gosto e sonho com isso. Fica a inspiração no ar. A vontade. O orientalismo como uma das bases. Uma moda que não tem como dar errado. Já é. Aproveite. Inspire. Respire e vai nessa onda. Eu vou! 


Conheça mais sobre ele: 



Mais posts? Três vezes ou mais por dia no Instagram @anagarmendia
Follow me!!!
Sabe quantos dias para eu voltar para a base Paris???
Sete! Número lindo
É para lá que eu vou.
Bisous
A++++



Paris, Morro do Vidigal, Georgio Armani, Beyoncé...


 Minha nova palavra de ordem é inspiração. E a sua? O que inspira você a seguir em frente? O que te inspira a levantar da cama todos os dias? O que te move em busca de novos gostos, sabores, emoções em geral? As respostas são muitas mas, no meu caso, tenho sempre a observação como base para responder. O que me inspira? As imagens que passam por mim. Sejam elas de arquivos de Paris ou as que ainda nem baixei no computador feitas numa linda tarde que passei no Morro do Vidigal, na última segunda-feira. Estão vivas na minha mente e algumas feitas no I-phone publicadas no meu Insta (@anagarmendia). Bem, e tirando dos meus inspirados sonhos para a vida, caio de amores por esse look. O que me inspira a me arrumar para um evento que tenho hoje na Armani do Pátio Batel, em Curitiba, onde passo meus últimos dias antes de voltar para uma grande temporada na Europa é esse cabelo, as cores, o verde, as pedras, o jeans e a eterna companheira da moda: a tee branca. 
Meu desafio é achar algo que caiba nessa inspiration no meu closet. 


O ar está carregado de novas ideias, mas não de muitas novas modas, então o jeito é olharmos bem para o vintage. O que funcionou ontem pode funcionar hoje. Sem muito apego às formulas velhas de uso, mas um novo olhar. Tem colete, cabelo reto, vermelho, bocas rosa e ainda as máxi peças para levantar qualquer astral. 



E tem um Armanismo voltando com força. Georgio Armani com sua clássica e sutil renovação re-começa a fazer um grande sentido. O período de guerras, brigas, falências, crises econômicas, instabilidades explica o momento de não colocar exagero nas compras, de comprar bem, de não colocar dinheiro fora. De investir mesmo. Em tudo.  Se você pode a hora é de investir em grandes clássicos, grandes básicos, daqueles que daqui 20 anos você ainda vai se orgulhar de ter comprado. 


Mais inspirações? 




O divertido com o sério. O velho hi-low dando novamente com força as caras! 


Wish list:



Qual a inspiração em sua vida? "PODE SER SER FELIZ?" Beyoncé responde e me representa.
Lindo clip. Linda música. Merci Shakespeare de Batom por me apresentar. Merci Luiza Garmendia por me inspirar!






E é isso. Posts continuados. Mesmas teclas. Outras nem tanto, mas sempre em movimento por que aqui a gente não vai parar. Nem agora e nem nunca. Só reciclar. Respirar. Amar.

Bisous 
A+



Sobre cores e silhuetas...Paris street style...

Algumas maneiras de amar a moda? Ou de continuar acreditando nela? Estudar imagens. Perceber o astral de quem usa as roupas e acessórios da estação e ver se funcionam. Meu mood é esse. Vi essas imagens, ao vivo, em março, mas não as vejo como tendência por onde passo durante minhas temporadas no Brasil. Penso que não verei os volumes dessas peças usadas em Paris. Brasileiras não curtem não mostrar as curvas. É fato. Ponto. Brasileiras se chocam com cabelos curtos. Brasileiras amam o que é sucesso entre americanas e brasileiras famosas. Não sei por que descambei a escrever isso, mas enfim falei. É isso. De minha parte, desejos imensos por esses sapatos da Dior, mesmo que sejam last season, afinal só agora aprendi a amá-los. Depois de vê-los muitas e muitas vezes em uso. Esse é o lance da inspiração da fotografia.


 
E só agora amei esse rosa com azul, assim no contraste. Ele vira alegria. Nada mais funcional que uma moda que não nos faça gesso, mas nos torne atrativa aos olhos. Descobri essa palavra hoje.  Fase minha de descobertas. Re-descubro também. Atrativo= o que atrai. Uma palavra simples que não ouvia há anos, mas que cabe muito em muitas frases. O bom de ser do rock é sempre descobrir pedras e pérolas novas pela frente. 




E daí para continuar nesse lance de inspiração e revisitação chego na mais que vista Miroslava Duma. Show de intérprete para qualquer roupa. Em gente pequena como ela quase tudo cai bem. As saias também entram na lista do que as brasileiras não gostam, não usam ou não curtem quase nunca. Bem, mas está aí. Tudo em branco. Pérolas. Cara lavada. Gola alta. Uns bordados que eu já vi em leituras ( seriam cópias ou inspirações???) de algumas marcas brasileiras, mas em vestidos curtos ( of course...) e o que mais precisamos? A grana para gastar. 


Do começo do post até aqui já adquiri mais desejos. Camisas brancas, mais ainda. Sou fã e sempre acredito que elas podem estar partout.  Paris confirma. E também essas alfaiatarias incríveis da calça azul absolutamente apaixonante. É tudo um show. Um grande espetáculo ver essas moças, não importa se pagas ou não pelas marcas, vestindo com tanto primor peças que, normalmente, não teríamos a ideia de comprar, usar, resgatar dos nossos closets. Enfim, a vibe é essa: misturas de shapes, tecidos, texturas, pitadas de cores, sobriedade e uma dose grande de humor, sempre.

Som?
Escuta comigo:




Bisous
A+

PS: minha expo #BOYS está em cartaz até do dia 31 de agosto no piso l2 do Pátio Batel, shopping de Curitiba. Passa lá e vê o resultado de meu período sabático. 



LinkWithin

Posts relacionados